Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quinta-feira, os destaques na bolsa nacional vão para o BCP e para a Sonae. No domínio da política monetária, o BCE realiza a primeira reunião do ano e a presidente da Fed fala em Stanford, Califórnia, depois de na véspera o seu discurso em São Francisco ter feito disparar o dólar. Yellen mostrou-se optimista quanto ao crescimento da economia dos EUA e disse que a Reserva Federal está pronta para prosseguir a subida dos juros.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Direitos do BCP começam a negociar

Começam esta quinta-feira a negociar em bolsa 944.624.372 direitos de subscrição do aumento de capital do BCP. Tendo em conta a cotação de fecho de ontem das acções, os direitos partem para a bolsa com uma cotação teórica de 1,005 euros. Com o arranque da negociação dos direitos, deverá a aumentar a volatilidade das acções, já que os dois títulos tenderão e transaccionar em equilíbrio.

À cotação das acções corresponde um valor teórico dos direitos e vice-versa, pelo se os direitos negociarem em queda, as acções seguirão o mesmo caminho. Na calculadora do Negócios pode simular os respectivos valores teóricos.



Sonae reage a vendas recorde

As vendas do retalho alimentar e especializado do grupo Sonae cresceram 7,2% em 2016, para um total de 5.198 milhões de euros – ultrapassando pela primeira vez a fasquia dos cinco mil milhões de euros num ano. A Sonae MC, dona do Continente, atingiu um recorde de mil milhões no quarto trimestre.

Os dados das vendas preliminares foram apresentados ao mercado na quarta-feira, 18 de Janeiro, após o fecho do mercado, e hoje as acções da empresa deverão estar a reflectir estes bons resultados.



BCE realiza primeira reunião do ano e Yellen fala nos EUA

O Banco Central Europeu realiza a sua primeira reunião de política monetária de 2017, depois de em Dezembro o seu presidente, Mario Draghi, ter anunciado o alargamento do programa de flexibilização quantitativa até ao final deste ano – mas com uma redução no valor das compras de activos.


A política monetária estará também em foco nos EUA, com a presidente da Reserva Federal norte-americana, Janet Yellen, a proferir um discurso no Stanford Institute for Economic Policy Research, um dia depois de ter falado em São Francisco e animado a negociação do dólar. Já o presidente da Fed de São Francisco, John Williams, falará numa reunião anual da Solano Economic Development Corp.


No plano empresarial, a IBM apresentará os seus resultados do quarto trimestre após o fecho das bolsas nos EUA.


Investidores seguem de perto produção industrial nacional

Esta quinta-feira há mais indicadores económicos a serem divulgados. Por cá, o Instituto Nacional de Estatística publica o índice de preços na produção industrial, referente a Dezembro, e o Banco de Portugal apresenta o boletim estatístico. No resto da Europa, destaque para os dados da balança comercial espanhola, em Novembro.

Nos Estados Unidos, teremos os dados relativos aos pedidos de subsídio de desemprego na semanana passada, bem como os números referentes ao arranque da construção de casas novas, em Dezembro, que se espera que tenha aumentado (pela segunda vez em três meses).  

 


Mercado petrolífero à espera de conhecer as reservas

A Administração de Informação em Energia (sob a tutela do Departamento norte-americano da Energia), divulga dos dados relativos aos inventários de crude dos EUA na semana passada, bem como os stocks de destilados e gasolina. Ontem, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) divulgou os seus dados mensais sobre o mercado petrolífero, tendo realçado que a sua produção diminuiu em Dezembro – pela primeira vez em sete meses.

Sublinhe-se que a OPEP se comprometeu, no passado dia 30 de Novembro a organização, a cortar a produção em 1,2 milhões de barris por dia a partir de Janeiro deste ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar