Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta terça-feira, o Supremo Tribunal do Reino Unido decide se Theresa May pode accionar o artigo 50º do Tratado de Lisboa sem ter primeiro a aprovação do parlamento britânico. Do outro lado do Atlântico, o presidente Donald Trump reúne-se com os CEO de três fabricantes automóveis: General Motors, Ford e Fiat Chrysler.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 24 de janeiro de 2017 às 07:30
Supremo do Reino Unido decide se May pode avançar com o Brexit

O Supremo Tribunal britânico vai determinar se a primeira-ministra, Theresa May, pode legalmente avançar com o processo de saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) sem a aprovação do parlamento. A decisão surgirá depois de o governo britânico ter recorrido da decisão do Tribunal Superior de que May não podia accionar unilateralmente o artigo 50º do Tratado de Lisboa – que dá início à saída de um Estado-membro – sem a aprovação do parlamento de Londres.

Os investidores vão continuar atentos, numa altura em que a libra esterlina tem estado a ganhar terreno, já a descontar que o governo britânico perca o recurso no Supremo.



Política monetária da Zona Euro e futuro da Europa em destaque


Dois responsáveis pela política monetária do Banco Central Europeu irão discursar esta terça-feira. Peter Praet, membro do conselho executivo da autoridade monetária europeia, irá discursar num painel em Roma, e Sabine Lautenschlaeger, membro do conselho executivo do BCE, falará em Hamburgo.

Por outro lado, o ministro holandês das Finanças e também presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, fará o discurso introdutório da conferência sobre o Brexit promovida pelo jornal L’Echo e consagrada ao tema "O futuro da Europa".



Investidores avaliam estado de saúde das economias

Serão divulgados esta terça-feira vários indicadores económicos de relevo. Na Zona Euro serão divulgados os índices PMI da indústria e dos serviços relativo a Janeiro (dados preliminares).

Já nos EUA teremos os números das vendas de casas em segunda mão, em Dezembro, bem como o índice PMI para a indústria, da Markit, referente a Janeiro.


Sector automóvel em foco nos EUA

O presidente norte-americano vai reunir-se com líderes de fabricantes automóveis do país num pequeno-almoço de negócios. Donald Trump estará com os presidentes executivos da General Motors Co, Ford Motor e Fiat Chrysler Automobiles, numa altura em que tem vindo a pressionar as fabricantes automóveis no sentido de fomentarem o emprego nos Estados Unidos.

Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca, disse - citado pela Reuters – que Trump quer ouvir as ideias destes responsáveis sobre a forma de se poder trabalhar conjuntamente para trazer mais empregos para este sector. Trump, recorde-se, tem criticado as marcas automóveis norte-americanas que fabricam carros no México e noutros países e ameaçou impor tarifas de 35% sobre os veículos importados.

 


Mais resultados anuais em todo o mundo

Hoje mais empresas divulgam as suas contas do quarto trimestre (e anuais) e a bolsa norte-americana, com especial incidência no índice tecnológico Nasdaq, estará a reagir aos resultados da Yahoo, que foram ontem apresentados após o fecho dos mercados e que ficaram acima do esperado pelo consenso dos analistas.

Entre as empresas que irão confessar-se ao mercado esta terça-feira temos a SAP, Johnson & Johnson, Royal Philips Electronics, Samsung Electronics, Verizon Communications, Lockheed Martin, 3M, Janus Capital, Texas Instruments, entre muitas outras. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub