Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quarta-feira, os sectores da energia, banca, tecnologia e automóvel estarão no centro das atenções dos investidores, especialmente na Europa e nos Estados Unidos.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 25 de janeiro de 2017 às 07:30
EDP Renováveis com vento a favor

A entrada em operação de novas centrais eólicas e o aumento da produção das centrais face a 2015 ajudaram a catapultar em 14% a produção da EDP Renováveis em 2016, anunciou a empresa na terça-feira, em comunicado enviado à CMVM sobre os seus dados operacionais.

Estes dados foram divulgados após o fecho da bolsa nacional, pelo que as cotações da empresa liderada por João Manso Neto deverão estar hoje a reflectir estes números no seu desempenho na praça lisboeta.


Na sessão de terça-feira, a EDP Renováveis somou 4,38% para 5,96 euros, no dia em que a empresa-mãe se financiou em 600 milhões de euros, através de títulos com maturidade em Setembro de 2023. A forte escalada da EDP Renováveis aconteceu também depois de o BPI ter melhorado o preço-alvo para as acções em 4,5% para 8,15 euros e ter mantido a empresa na sua lista de favoritas.



Wall Street atenta à energia e sector automóvel

A Administração de Informação em Energia (sob a tutela do Departamento norte-americano da Energia) divulga dos dados relativos aos inventários de crude dos EUA na semana passada, pelo que a reacção do petróleo nos mercados internacionais poderá ditar a evolução dos títulos da energia nas bolsas.


Além da energia, também o sector automóvel estará em destaque esta quinta-feira, sobretudo do outro lado do Atlântico. O presidente norte-americano reuniu-se ontem com os presidentes executivos da General Motors Co, Ford Motor e Fiat Chrysler Automobiles, numa altura em que tem vindo a pressionar as fabricantes automóveis no sentido de fomentarem o emprego nos Estados Unidos.


O encontro revelou-se produtivo, com os títulos destas empresas a subirem em bolsa depois de Donald Trump ter anunciado um corte nas regulações ambientais para as construtoras automóveis e petrolíferas - tendo estas últimas contado também com o 'empurrão' do anúncio de que Trump está a avançar no sentido de se construir dois novos oleodutos. Também a banca, tecnologias e imobiliário estiveram ontem em alta, levando o S&P 500 e o Nasdaq Composite a marcarem máximos históricos.



Avaliação bancária sobressai entre os dados económicos

Esta quarta-feira há mais dados económicos que ajudarão a medir o pulso às economias. Por cá, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga o inquérito à avaliação bancária na habitação, relativo a Dezembro. Ainda na Zona Euro, a Alemanha divulga o índice Ifo relativo a Janeiro.


Já nos EUA teremos os números federais sobre os preços das casas em Novembro, e no Japão serão apresentados os indicadores relativos ao comércio (Dezembro). A Rússia, por seu turno, apresenta os dados referentes ao desemprego, salários e vendas a retalho no mês de Dezembro.


Tecnologias e banca com peso na apresentação de contas

Esta quarta-feira, há mais empresas a apresentarem ao mercado os seus resultados. Na banca, serão divulgados os números do Santander Totta e do Bankinter. Já nas tecnologias e telecomunicações teremos a AT&T, eBay e Qualcomm.

Destaque ainda para a apresentação das contas da Boeing e Novartis, entre muitas outras empresas.

 


Literacia e inclusão financeira em destaque na conferência do G20

O Grupo dos 20 (G20) realiza em Wiesbaden, na Alemanha, uma conferência sobre literacia e inclusão financeira, que irá decorrer até quinta-feira.

Entre os oradores estarão o presidente do Bundesbank (banco central alemão), Jens Weidmann, o governador do Banco de Inglaterra, Mark Carney, o presidente do Banco Nacional da Suíça, Thomas Jordan, o governador do Banco Central do México, Agustin Carstens, e o ministro alemão das Finanças, Wolfgand Schäuble.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar