Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quarta-feira a Fed anuncia a sua decisão de política monetária, não se esperando que mexa nos juros. Avaliação do Brexit prossegue no Reino Unido e há mais resultados de empresas, nomeadamente Facebook.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 01 de fevereiro de 2017 às 07:30
Fed decide sobre política monetária

A Reserva Federal norte-americana termina a reunião mensal de dois dias e pelas 19h de Lisboa anunciará a sua decisão sobre política monetária. A expectativa do consenso dos economistas é de que a Fed mantenha a taxa directora inalterada, depois de a 14 de Dezembro passado a ter subido em 25 pontos base, para um intervalo compreendido entre 0,50% e 0,75% - o único aumento em 2016, depois de uma primeira subida em Dezembro de 2015 pela primeira vez em quase uma década.

Na reunião de Dezembro passado, os responsáveis da Fed estimaram que poderiam subir os juros três vezes em 2017, em 25 pontos base de cada vez. A decisão a anunciar hoje ainda influenciará a negociação do outro lado do Atlântico, uma vez que as bolsas norte-americanas só encerram às 21h de Lisboa.



Prossegue a avaliação do Brexit no Reino Unido

No Reino Unido, a Câmara dos Comuns continua a discutir o Brexit. Será o segundo de dois dias de debate sobre o projecto-lei do governo britânico que confere autoridade à primeira-ministra, Theresa May, para accionar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa e avançar com a saída da União Europeia. O Supremo Tribunal britânico, recorde-se, determinou que May precisa de aprovação parlamentar para seguir em frente. Os membros da Câmara dos Comuns decidem hoje se a proposta deve ser votada na segunda leitura, o que significa que pode passar à fase seguinte.

Hoje, o secretário britânico do Tesouro, Liam Fox, é questionado pela Comissão Parlamentar do Comércio sobre as opções para as empresas após o Brexit. Já Ivan Rogers – que deixou no início do ano o cargo de enviado do Reino Unido junto da UE e que destacou as falhas na abordagem do seu governo à saída do bloco europeu – é inquirido pela Comissão de Escrutínio do Parlamento Europeu.



Economia em foco na Europa e Japão

Na Zona Euro, o Eurostat divulga o índice da Markit para a indústria, relativo a Janeiro. Ainda na Europa, também o Reino Unido apresentará os seus dados para Janeiro do índice PMI para a indústria, da Markit.


Nos Estados Unidos teremos o relatório da ADP (sector privado) sobre o emprego em Janeiro, bem como os dados relativos aos gastos na construção (Dezembro) e vendas de automóveis (Janeiro).


Investidores à espera de mais resultados 

Hoje mais empresas divulgam as suas contas do trimestrais (que, na maioria dos casos, correspondem também ao fim do exercício fiscal).

Em destaque na divulgação de contas está o Facebook - que reporta os seus números após o fecho das bolsas norte-americanas -, bem como a Siemens, Roche e Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA).

 


Petróleo conhece reservas semanais dos EUA

A Administração de Informação em Energia (EIA [na sigla original], entidade que se encontra sob a tutela do Departamento norte-americano da Energia), divulga dos dados relativos aos inventários de crude dos EUA na semana passada, bem como os stocks de destilados e gasolina.

O mercado está especialmente atento, numa altura em que também se espera pelos dados da produção dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo para ver se o cartel cumpriu com o corte prometido em Novembro passado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar