Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta sexta-feira, a agência de rating Fitch poderá rever a sua classificação e perspectiva para a dívida soberana de Portugal. Na bolsa nacional, o BCP, Navigator e Mota-Engil vão estar no centro das atenções.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 03 de fevereiro de 2017 às 07:30
À espera dos resultados do aumento de capital do BCP

Depois de a 30 de Janeiro ter terminado o período de oito sessões bolsistas para a negociação dos direitos de subscrição do aumento de capital do BCP, ontem findou o período de subscrição das novas acções – que deverão ser admitidas à negociação a 9 de Fevereiro. É, pois, esperado para hoje o anúncio do resultado do exercício de direitos e do rateio.

Na sessão de quinta-feira, as acções do banco liderado por Nuno Amado encerraram a ceder 1,16% para se fixarem em 0,1616 euros. 



Estimativa de queda dos lucros balançará a Navigator?

Ontem, os analistas do CaixaBI divulgaram – após o fecho da bolsa – uma nota de análise antecipando uma quebra de 13,8% nos lucros da Navigator. Além disso, segundo o "research", a ex-Portucel terá visto as receitas recuarem 4,1% no último trimestre de 2016, um período em que os preços do papel e da pasta caíram.

Na sessão desta sexta-feira, a Navigator irá reagir a estas projecções? Ontem, a cotada esteve a negociar em alta, tendo inclusivamente renovado o valor mais elevado desde Janeiro de 2016 ao tocar nos 3,495 euros. A ex-Portucel fechou a subir 1,34% para 3,477 euros e acompanhou a tendência do sector.



Novo contrato para a Mota-Engil pode animar negociação

O consórcio detido em partes iguais pela Mota-Engil e pela turca Yapi Merkezi foi o escolhido pela Tanzânia para ligar este país ao Burundi e ao Ruanda. O contrato prevê a construção de cerca de 400 quilómetros de linha férrea, revelaram à Bloomberg, sob anonimato, fontes próximas do processo.


O contrato está avaliado em mais de mil milhões de euros, de acordo com a agência noticiosa. Uma notícia que poderá hoje dar energia, na praça lisboeta, aos títulos da construtora liderada por Gonçalo Moura Martins.


Taxa de desemprego dos EUA centra atenções

Na Europa teremos a divulgação do índice da Markit para os serviços, tanto na Zona Euro como no Reino Unido, em Janeiro. Teremos também os dados do comércio a retalho (Dezembro de 2016) na Zona Euro, apresentados pelo Eurostat. Mas os olhos estarão postos nos dados da taxa de desemprego nos Estados Unidos, em Janeiro. Ainda do outro lado do Atlântico, serão divulgados os dados das encomendas de bens duradouros em Dezembro. Por outro lado, o presidente da Fed de Chicago, Charles Evans, fala sobre a economia num evento no país.

A nível empresarial, destaque para a apresentação de contas da energética norte-americana Phillips 66 e do banco italiano Intesa Sanpaolo. 

 


Fitch pode pronunciar-se sobre rating de Portugal

A Fitch tem agendada uma possível decisão sobre a dívida soberana de Portugal, depois de ter adiantado recentemente que há fraquezas no sistema financeiro português e que os rácios de capital são baixos.


Entre outras possíveis indicações para as classificações soberanas, destaque nesta sexta-feira para o facto de a Standard & Poor’s poder ter algo a dizer sobre Moçambique. Os relatórios sobre os ratings e perspectivas para as dívidas soberanas podem não ser publicados, uma vez que os agendamentos das agências de notação financeira são apenas indicativos. 


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 03.02.2017

É estranho, que depois de tantas noticias sobre o aumento de capital do BCP, esta seja a primeira a referir o rateio.

Todas as outras falavam da compra e venda de direitos e nunca deram se quer uma explicação que os detentores de direitos se podiam candidatar a rateio, e terem de despender 0.094 € para comprar cada acção que não tivesse sido exercida.

Mais estranho quando a FOSUN deu uma ordem irrevogável para 30 % do capital.

Espero agora, que dediquem, um bocado do vosso tempo a apurar se o rateio é igual para a FOSUN como para o resto dos accionistas!

comentários mais recentes
Anónimo 03.02.2017

É estranho, que depois de tantas noticias sobre o aumento de capital do BCP, esta seja a primeira a referir o rateio.

Todas as outras falavam da compra e venda de direitos e nunca deram se quer uma explicação que os detentores de direitos se podiam candidatar a rateio, e terem de despender 0.094 € para comprar cada acção que não tivesse sido exercida.

Mais estranho quando a FOSUN deu uma ordem irrevogável para 30 % do capital.

Espero agora, que dediquem, um bocado do vosso tempo a apurar se o rateio é igual para a FOSUN como para o resto dos accionistas!

pub