Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

No penúltimo dia de negociação do BPI no PSI-20, como reagirão as acções do banco que passou a ser controlado pelo CaixaBank, que ficou com 84,5% após a OPA? E o BCP, no dia de entrada em bolsa das novas acções, no âmbito do aumento de capital, irá recuperar do tombo de ontem?
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro Nuno Carregueiro 09 de fevereiro de 2017 às 07:30
BPI reage a resultados da OPA e à saída do PSI-20

Foram ontem conhecidos os resultados da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank sobre o BPI, finda a qual o grupo catalão passou a controlar 84,5%. O actual CEO, Fernando Ulrich, passa a "chairman", substituindo Artur Santos Silva, e na presidência executiva passará a estar o espanhol Pablo Forero.

Por outro lado, a Euronext Lisbon decidiu que o BPI deixará de negociar na praça lisboeta a 10 de Fevereiro, ficando assim o PSI-20 com 17 cotadas até à próxima revisão, agendada para 20 de Março. A comissão gestora do PSI-20 decidiu que o BPI vai deixar a carteira do índice, porque depois da OPA a liquidez daquela cotada em bolsa vai ser diminuta, já que o "free float" ficará reduzido a cerca de 7% (além de o CaixaBank ter reforçado para 84,5% no capital banco, a Allianz permanece com 8,43%.


As acções do banco ainda liderado por Fernando Ulrich encerraram a sessão de quarta-feira em mínimos de Setembro de 2016.



Entrada em bolsa das novas acções do BCP

Mais de 14 mil milhões de novas acções do BCP, emitidas no âmbito do aumento de capital, vão ser admitidas à negociação na bolsa portuguesa a partir desta quinta-feira, 9 de Fevereiro. Um factor que levou na quarta-feira a mais uma sessão de fortes quedas das acções do BCP, com o mercado a antecipar a pressão que estes novos títulos vão exercer na negociação do banco em bolsa.

Isto porque os investidores que adquiriram direitos de subscrição para comprar novas acções no aumento de capital podem ser tentados a vender já as acções para realizar mais-valias. É que os direitos negociaram em bolsa sempre a desconto face ao preço das acções.



Banco de Itália apresenta relatório sobre a banca

O Banco de Itália divulga o seu relatório mensal "Money and Banks", que inclui números sobre crédito malparado, depósitos, concessão de empréstimos e titularidade de dívida soberana.

Ainda no universo dos bancos centrais, o presidente da Fed de Chicago, Charles Evans, fala sobre as actuais circunstâncias económicas e sobre política monetária, numa conferência em Chicago. O presidente da Reserva Federal de St. Louis, James Bullard, também irá discursar no país. Os responsáveis poderão deixar indicações sobre futuras mexidas nos juros, depois do banco central norte-americano ter deixado a sua taxa directora inalterada, sem dar sinais sobre decisões futuras.


Já o vice-governador do Banco do Canadá, Lawrence Schembri, discursa na Western University, em Ontário, e as suas observações serão publicadas no website do banco central. Por seu lado, Hiroshi Nakaso, vice-governador do Banco do Japão vai falar sobre política monetária em Koichi, região ocidental do país, seguindo-se uma conferência de imprensa.

Além disso, o presidente do BCE, Mario Draghi, reúne-se com a chanceler alemã, Angela Merkel, para conversarem sobre o futuro da Zona Euro.


Navigator, Brisa e Twitter apresentam resultados

Esta quinta-feira, a papeleira Navigator (ex-Portucel) divulga as suas contas de 2016, antes da abertura da bolsa. De acordo com as estimativas do CaixaBI, a cotada liderada por Diogo da Silveira deverá ter encerrado o último trimestre do ano passado com lucros de 47 milhões de euros, uma descida de 13,8% face aos 54,5 milhões do mesmo período do ano anterior. Por cá, destaque ainda para a Brisa, que também irá divulgar os seus números.

Lá fora estará em evidência a divulgação dos resultados trimestrais da tecnológica norte-americana Twitter. A dona da rede social das micro-mensagens reportará os seus números após o fecho das bolsas em Wall Street (às 21:00 de Lisboa). Ainda nos EUA, também a Coca-Cola irá confessar-se ao mercado.

 


INE divulga dados sobre comércio internacional

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga as estatísticas relativas ao comércio internacional, em Dezembro, bem como o índice de volume de negócios, emprego, remunerações e horas trabalhadas na indústria, também relativo a Dezembro. No resto da Europa, destaque para os dados relativos às importações e exportações da Alemanha, em Dezembro.

Nos EUA, serão apresentados os dados relativos aos novos pedidos de subsídio de desemprego na semana terminada a 4 de Fevereiro.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub