Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quarta-feira, as atenções estarão sobretudo viradas para as eleições na Holanda e para o anúncio da decisão da Reserva Federal norte-americana em matéria de política monetária.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 15 de março de 2017 às 07:30
Fed sobe juros nos EUA?

É um dos eventos mais aguardado pelos mercados esta semana. O Comité Federal de Mercado Aberto conclui a reunião de dois dias de política monetária, seguido de uma conferência de imprensa de Janet Yellen para explicar as decisões tomadas.

Os investidores dão quase como certo que o intervalo da taxa dos fundos federais suba 25 pontos base. Actualmente está entre 0,50% e 0,75%, após a Reserva Federal ter subido os juros no passado mês de Dezembro.  



Mercados atentos às eleições na Holanda

Dia de eleições legislativas na Holanda, com a eleição a ser vista por alguns analistas como um barómetro para a força dos partidos populistas na Europa. Após ter estado à frente das sondagens, Geert Wilders, do Partido Popular para a Liberdade e Democracia, que tem uma agenda anti-europeia, perdeu terreno nas últimas semanas para o partido do actual primeiro-ministro, Mark Rutte. 


Os mercados estão especialmente atentos às eleições na Europa este ano, devido ao crescimento da extrema-direita no Velho Continente – cujos partidos defendem a saída da União Europeia.



Emprego na Zona Euro e inflação em França e Itália em destaque

Esta quarta-feira há mais indicadores que permitirão medir o pulso às economias. Por cá, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga os dados da actividade turística relativos a Janeiro. Ainda por cá, teremos o leilão de Bilhetes do Tesouro a 6 e a 12 meses, anunciado na passada sexta-feira pela agência que gere a dívida portuguesa, IGCP. Já o Eurostat irá divulgar os dados do emprego na Zona Euro, referentes a Janeiro. Ainda no bloco da união monetária, Itália e França apresentarão os valores da inflação de Fevereiro. Fora da Zona Euro, o Reino Unido divulga dos dados do emprego (Janeiro).

Nos Estados Unidos, teremos as vendas a retalho de Fevereiro, que se estima que tenham diminuído – a confirmar-se, será a primeira queda em quase um ano, assinalando assim um abrandamento nos gastos dos consumidores. Serão igualmente divulgados os dados do índice de preços no consumidor em Fevereiro, que deverá ter aumentado. 


Calendarização do Brexit em foco

O secretário britânico do Brexit, Davis Davis, é inquirido pelo comité do Brexit da Câmara dos Comuns, esperando-se que o principal tema seja a data de arraqnue do processo de saída da União Europeia.


Na segunda-feira - após o parlamento britânico ter aprovado o projecto de lei que permite à primeira-ministra, Theresa May, accionar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, com vista às conversações para um acordo de divórcio - Davis Davis reiterou que a data provável para arrancar com este processo será finais de Março, com a imprensa a avançar o dia 27 como provável.

 


Petróleo conhece reservas semanais dos EUA

A Administração de Informação em Energia (EIA [na sigla original], entidade que se encontra sob a tutela do Departamento norte-americano da Energia), divulga dos dados relativos aos inventários de crude dos EUA na semana passada, bem como os stocks de destilados e gasolina.

Estes dados têm captado ainda mais a atenção dos mercados, nas últimas semanas, devido aos inventários recorde nos Estados Unidos – que estão a anular o esforço da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) no sentido de diminuir a oferta no mercado para fazer subir os preços.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar