Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta segunda-feira o PSI-20 passa de 17 a 19 cotadas, com a entrada da Ibersol e da Novabase. Nas praças financeiras da Europa começa o roadshow da CGD para vender dívida perpétua. E os candidatos à presidência em França têm o primeiro debate televisivo.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Paulo Zacarias Gomes 20 de março de 2017 às 07:30
Ibersol e Novabase entram no PSI-20

Quase um mês depois de ter ficado reduzido a 17 cotadas – com a saída do BPI por incumprimento dos critérios no pós-OPA do CaixaBank -, o principal índice accionista nacional volta a aproximar-se das 20 constituintes que lhe dão a designação. Ficará com 19 a partir de hoje, com a integração da Ibersol e da Novabase, que na sexta-feira reflectiram o potencial de maior visibilidade com avanços de mais de 10% e mais de 4%, respectivamente. Desde que foi conhecida a alteração da composição, a Ibersol viu os seus títulos valorizarem-se em 1,04%, enquanto a Novabase assistiu a uma subida maior, de 7,8%.



Arranca roadshow para emissão de dívida perpétua da CGD

Começa hoje a ser promovida a emissão de dívida perpétua enquadrada na recapitalização do banco público. São 500 milhões de euros em dívida subordinada a serem emitidos a partir do Luxemburgo e os investidores institucionais vão ser sensibilizados a investir com apresentações em Londres e em Paris. A Fitch atribuiu a estes títulos um "rating" três níveis abaixo do do banco, no sexto nível de "lixo". Se o rácio de capital "common equity tier one" vier a tocar nos 5,125%, implicará automaticamente perdas para os detentores desta dívida. Na sexta-feira a instituição divulgou 11 perguntas e respostas sobre a emissão de dívida perpétua. O plano de recapitalização da Caixa pressupõe ainda uma injecção de 2,5 mil milhões de euros em fundos públicos.

Deutsche Bank em foco, mercados digerem G20 e encontro Merkel-Trump

As acções do banco alemão poderão reagir aos detalhes revelados este domingo sobre o aumento de capital da instituição, que

vai emitir 687,5 milhões de novas acções a 11,65 euros por papel, valor que representa um desconto de 35% face ao fecho de sexta-feira. 

Os investidores estarão também a intepretar os sinais saídos da reunião dos responsáveis máximos das Finanças do G20 deste fim-de-semana, na qual os ministros das Finanças e os governadores dos bancos centrais não conseguiram chegar a acordo sobre formas de combater o proteccionismo e apoiar o comércio livre.

Em análise ainda as conclusões do primeiro encontro entre o presidente norte-americano Donald Trump e a chanceler alemã Angela Merkel. Na sexta-feira, a governante germânica sugeriu sugeriu que Trump pondere o reinício das negociações sobre o tratado de comércio livre entre a União Europeia e os Estados Unidos (TTIP), enquanto Trump reiterou o seu compromisso com a NATO, pedindo à Alemanha que aumente o financiamento à Aliança Atlântica. 


Candidatos presidenciais no primeiro debate televisivo em França


Depois de afastado o espectro populista nas eleições da semana passada na Holanda, as atenções concentram-se agora nas presidenciais de 23 de Abril em França. Esta noite, às 20:00 (hora em Portugal Continental), os cinco principais candidatos enfrentam-se no primeiro debate televisivo. As sondagens mais recentes dão vantagem a Marine Le Pen na primeira volta (26,5%), seguido muito de perto pelos 26% de Emmanuel Macron. O candidato independente bateria Le Pen por 61%-39% numa segunda volta.


Eurogrupo: Dijsselbloem em risco?


Os ministros das Finanças do euro reúnem com a Grécia, os orçamentos dos Estados-membros, a evolução do emprego e as emissões de dívida sobre a mesa. Esta será o primeiro encontro liderado por Jeroen Dijsselbloem desde que o seu partido saiu fortemente penalizado nas eleições holandesas, o que poderá vir a afastá-lo de uma futura nova formação governamental. E, por inerência, da presidência do Eurogrupo, já que ocupa o cargo enquanto ministro das Finanças dos Países-Baixos.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub