Bolsa Bolsa de Lisboa avança pelo segundo dia

Bolsa de Lisboa avança pelo segundo dia

Os ganhos do BCP, EDP e Galp, além da Pharol, levam o índice nacional à segunda sessão consecutiva de ganhos, numa Europa a recuperar das perdas de ontem.
A carregar o vídeo ...
Paulo Zacarias Gomes 12 de abril de 2017 às 08:10

O índice português de acções PSI-20 abriu a sessão desta quarta-feira, 12 de Abril, em terreno positivo, com os ganhos a acompanharem o sentimento de alta ligeira no resto da Europa, onde os factores geopolíticos têm condicionado as negociações nas últimas sessões.

A praça portuguesa abriu a valorizar 0,09% para 4.8970,99 pontos, com 10 títulos em alta, oito inalterados e um a experimentar perdas. A sustentar as valorizações estão os papéis do BCP, Galp e EDP, além da Pharol.

A travar maiores ganhos estão as acções da EDP Renováveis, que recuam 0,79% para 6,935 euros depois de esta terça-feira a assembleia-geral da empresa ter aprovado o pagamento de um dividendo de cinco cêntimos relativo ao exercício de 2016 e que, como anteriormente previsto, leva a EDP a reduzir no mesmo valor (de 6,80 para 6,75 euros) o preço por acção na OPA da Renováveis.

Os títulos do retalho seguem a valorizar, com a Sonae a ganha 0,11% para 0,914 euros e a Jerónimo Martins a subir 0,06% para 16,68 euros, um dia depois de terem sido conhecidos números de crescimento no sector, com a associação da distribuição a mostrar uma subida de 3% nas vendas para 19,5 mil milhões de euros.

Depois de comunicada a venda à Sonae Capital pela ENC de um projecto na área da energia na Chamusca – a Gasflow Capwatt -, os títulos da empresa abriram inalterados nos 0,869 euros. Ainda na energia, a Galp sobe 0,38% para 14,59 euros, a acompanhar ganhos de 0,2% no preço do barril de petróleo nos mercados internacionais e após a energética ter convocado a assembleia geral para validar Paula Amorim como "chairman" e aprovar o dividendo regular de 24,8832 cêntimos por acção.

Os títulos das papeleiras Altri e Navigator somam ligeiramente depois de o Governo ter anunciado a imposição de multas de até 37 mil euros para a plantação de eucaliptos sem um projecto de compensação.

No dia em que o Tesouro português vai aos mercados para procurar levantar até 1.250 milhões de euros em obrigações a cinco e oito anos, os títulos do sector financeiro oscilam entre os ganhos de 0,5% do BCP (para 0,181 euros) e manutenção no valor de fecho de ontem dos fundos de participação do Montepio (0,417 euros) e do BPI (que, fora do índice, cota em 1,061 euros). Ontem uma nota da agência de rating Fitch elogiava os progressos feitos pela banca portuguesa (nomeadamente Novo Banco - que hoje apresenta resultados de 2016 - e CGD), mas dizia que permanecem riscos pela frente.

A Mota Engil, que ontem encerrou em máximos de Novembro de 2015, está igualmente inalterada nos 2,183 euros. Já a Pharol mantém-se em terreno de ganhos (1,10% para 0,367 euros). Ontem disparou 10% interrompendo uma série de sete sessões seguidas de queda de valor. 

(Notícia actualizada às 8:17 com mais informação)




A sua opinião17
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado comuna 12.04.2017

BCP A ESSE PREÇO NINGUEM VENDE POR ISSO SE JUSTIFICA A POUCA LIQUIDEZ

comentários mais recentes
Novato na bolsa 13.04.2017

Bem diziam por aí que iam comprar o BCP a 0,17. Afinal a bola de cristal funciona bem... está quase lá. Já agora, alguém pode puxar a pharol para cima? Lol
Bons negócios!

BCP 12.04.2017

Pois, mas também ninguém compra...

comuna 12.04.2017

BCP A ESSE PREÇO NINGUEM VENDE POR ISSO SE JUSTIFICA A POUCA LIQUIDEZ

BCP 12.04.2017

Mas o que se passa com o BCP? Já vai para duas semanas seguidas a negociar nos 0,18. Ainda para mais, com uma liquidez reduzidíssima. Cá para mim, vai ser só disto até à apresentação dos resultados a 8 de Maio. Esperemos...

ver mais comentários
pub