Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Numa altura em que a bolsa nacional tem vindo a renovar máximos, os especialistas acreditam que ainda há margem para novas subidas. Esta segunda-feira conhece-se o resultado da OPA à SDC e o Banco Popular continua a ser o foco das atenções.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Sara Antunes 05 de junho de 2017 às 07:30
Banco Popular à espera de conhecer o seu futuro

O Banco Popular tem estado sob enorme pressão, devido à especulação em torno de um eventual resgate financeiro. Isto porque se esperava que, por esta altura, já fossem conhecidas proposta de interesse para comprar esta instituição que está a braços com problemas financeiros. Mas até agora não se conhece nenhum interessado oficial, o que tem elevado a especulação em relação ao futuro do banco. E isso tem sido expresso no comportamento bolsista, com as acções a afundarem. Este fim-de-semana foi noticiado que o banco estará a analisar os passos necessários para aumentar a liquidez. E o presidente da instituição, Emilio Saracho, escreveu uma carta aos funcionários onde reconhece a "situação difícil" mas diz que o banco "está solvente".


Resultados da OPA à SDC

A oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela Investéder terminou na sexta-feira, 2 de Junho, mas os resultados só serão conhecidos esta segunda-feira, 5 de Junho. Certo é que Manuel Fino decidiu vender as acções que detinha no capital da construtora. Em causa estava 55,7% do capital da SDC. A Investéder é a empresa de António Castro Henriques e Pedro Gonçalo Santos , os gestores da SDC, que avançaram com a OPA.



EDP e REN sob os holofotes

Na sexta-feira o presidente executivo da EDP, António Mexia, e João Manso Neto, actual CEO da EDP Renováveis mas que exerceu funções na eléctrica desde 2006, foram constituídos arguidos no âmbito de uma investigação relacionada com os Custos para Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC) e a sua introdução no sector eléctrino nacional. Na REN também foram constituídos arguidos dois responsáveis: João Conceição e Pedro Furtado. A Polícia Judiciária empreendeu, esta sexta-feira 2 de Junho, buscas aos escritórios em Lisboa da EDP, da REN e da Boston Consulting Group (BCG). Corrupção activa, corrupção passiva e participação económica em negócio são as suspeitas da investigação que decorre no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).


Santa Casa mais perto do Montepio?

O jornal Expresso diz que o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, pressionou a Santa Casa a investir no Montepio, defendendo junto de Santana Lopes os benefícios de tal investimento. Entretanto, o comentador político Luís Marques Mendes adiantou que a Misericórdia de Lisboa deverá mesmo avançar, com uma participação de 10%, mas poderá não ir sozinha, sendo acompanhada de outras Misericórdias. Nos últimos dias de Maio, as unidades de participação do Montepio dispararam em bolsa, acumulando subidas de 77% em apenas dois dias, sem que nada oficial justificasse este movimento. Mas a especulação em torno da instituição é grande.

 


Bolsa e juros continuam em destaque

Os investidores têm elevado os activos portugueses, com a bolsa a renovar máximos de 2015 e as obrigações a subirem, levando os juros a descer para mínimos de Setembro. Os especialistas consideram que a bolsa nacional ainda tem margem para subir mais. Esta sessão será ainda marcada pelo desconto de dividendo da Semapa. As acções da empresa descontam os 45 cêntimos de dividendo que os accionistas vão receber, o que implica uma descida das acções de 2,67%. Um ajuste técnico, mas que tem impacto no desempenho da bolsa.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub