Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

As atenções estão hoje centradas na reunião da Reserva Federal. Em Portugal o IGCP regressa às emissões de dívida de longo prazo.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Nuno Carregueiro 14 de junho de 2017 às 07:30
Fed sobe juros

O foco dos investidores está hoje centrado na reunião da reserva Federal. Os investidores atribuem uma probabilidade de 95% a que a entidade liderada por Janet Yellen suba o intervalo da taxa dos fundos federais em 25 pontos base, para entre 1% e 1,25%. Além da decisão, que será conhecida às 19:00 (hora de Lisboa), o mercado estará atento às palavras de Janet Yellen, já que desta vez haverá lugar a conferência de imprensa (às 19:30, hora de Lisboa). 



Portugal emite obrigações

A agência que gere o crédito público realiza um duplo leilão de Obrigações do Tesouro a cinco e a dez anos. O montante indicativo é de entre 1.000 e 1.250 milhões de euros e o valor angariado servirá para pré-financiar as necessidades de 2018. No mercado secundário estes títulos transaccionam com uma taxa de 1,31% a cinco anos e de 2,94% a dez anos. A emissão de obrigações surge a dois dias da agência de notação financeira Fitch se pronunciar sobre a dívida portuguesa, não sendo expectável qualquer alteração.



Mota-Engil reage a contratos

A construtora anunciou que ganhou mais contratos no mercado africano, tendo ainda concretizado a assinatura do mega-projecto em Moçambique. Entre os novos contratos, o mais relevante diz respeito ao celebrado na República da Guiné, que tem um valor de 210 milhões de dólares (cerca de 187 milhões de euros). Em comunicado à CMVM, a empresa liderada por Gonçalo Moura Martins fala ainda de diversas obras noutros países da região de África, das quais se destacam vários contratos com valor de cerca de 130 milhões de dólares em Angola. Quanto ao contrato de 2,4 mil milhões de dólares celebrado em Moçambique, que já era conhecido, a Mota destaca que foi já assinado, que reforça a expectativa de as obras arrancarem em 2018. Apesar de este anúncio ter sido efectuado já depois do fecho da sessão de terça-feira, as acções encerraram o dia a ganhar 3,75% para 2,409 euros. Hoje deverão voltar a reagir às notícias. 

Dados económicos nos EUA …

A decisão da Fed vai centrar a atenção dos investidores, mas antes são vários os dados para analisar e que também poderão dar pistas sobre o rumo das taxas de juro na maior economia do mundo. O departamento do Trabalho divulga os dados da inflação de Mai,o às 13:30 (hora de Lisboa), com os economias a estimarem que fique estável. Pela mesma hora o Departamento do Comercio revela como evoluíram as vendas a retalho, que terão abrandando face a Abril. 

 

…  e na Europa e China

O dia arranca com importantes dados económicos na China (produção industrial e vendas a retalho), sendo que pela manhã também serão conhecidos os dados da actividade industrial na Zona Euro. Em Portugal o INE publica os dados da actividade turística, referentes a Abril, e das obras licenciadas e concluídas na construção, referentes ao primeiro trimestre.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub