Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quarta-feira, 21 de Junho, dia em que começa o Verão no Hemisfério Norte, há várias novidades por cá. Os accionistas da Cimpor vão reunir-se para decidirem se a empresa sai de bolsa e o Banco de Portugal publica o Boletim Económico. Além disso, realiza-se uma emissão de Bilhetes do Tesouro a três e a 11 meses.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
AG da Cimpor. E sai de bolsa?

A Cimpor dá esta quarta-feira, 21 de Junho, um passo para sair de bolsa. Os accionistas da cimenteira vão reunir-se, a partir das 9 horas, com um único ponto na ordem de trabalhos: deliberar sobre a perda da qualidade de sociedade aberta. O mesmo é dizer que a Cimpor quer sair de bolsa, mas mantendo os accionistas minoritários no seu capital.

Ainda assim, poderá ter de comprar acções de minoritários, já que, segundo o Código dos Valores Mobiliários, caso haja deliberação de perda de qualidade de sociedade aberta em assembleia-geral, a empresa tem de "adquirir, no prazo de três meses após o deferimento pela CMVM, os valores mobiliários pertencentes, nesta data, às pessoas que não tenham votado favoravelmente alguma das deliberações em assembleia".



Portugal realiza leilão de dívida de curto prazo

Uma semana depois de ter emitido 1.250 milhões de euros a cinco e a dez anos, com os juros mais baixos em vários anos, o Tesouro português regressa ao mercado para colocar dívida de curto prazo.


O IGCP pretende arrecadar entre 1.000 e 1.250 milhões de euros, com títulos com maturidade em 22 de Setembro de 2017 e 18 de Maio de 2018, anunciou a instituição. Esta será a primeira emissão após o comentário da Fitch para Portugal, na última sexta-feira, quando a agência de rating elevou o "outlook" da dívida soberana de 'estável' para 'positivo'.



Banco de Portugal divulga Boletim Económico

Por cá, o Banco de Portugal divulga o seu Boletim Económico. Além disso, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga os dados sobre as previsões agrícolas de Maio e a Síntese Económica de Conjuntura, também referente a Maio.

Nos Estados Unidos, destaque para os números relativos às vendas de casas usadas no país, em Maio. Segundo as estimativas da Bloomberg, deverá ter-se registado uma queda de 1% nas vendas de casas usadas no mês passado, quando em Abril já tinha sido reportada uma redução de 2,3%.


Petróleo a entrar em mercado urso

Os preços do "ouro negro" voltaram a recuar e atingiram mesmo o valor mais baixo dos últimos sete meses. A penalizar a matéria-prima continuam os receios de excesso de oferta, numa altura em que vários países exportadores incrementam o ritmo de extracção, com especial relevo para a Líbia – que subiu a sua produção para o valor mais elevado em quatro anos. Estas preocupações levaram os preços a cair perto de 20% desde Agosto, o que significa que o crude está a entrar em "bear market" (mercado urso).

Quando temos um mercado urso, significa que está em queda – e os investidores que acreditam que as praças accionistas estão em baixa são também considerados ursos (pois estão em modo "bearish"). E porquê o urso? Porque ataca de cima para baixo, com as suas garras, provocando um movimento descendente. Entra-se em "mercado urso" quando um título, índice ou outro activo regista uma queda de pelo menos 20% face ao anterior máximo.

 


Perspectivas para os mercados emergentes em dia de comemoração do Plano Marshall

A Bloomberg promove um painel dedicado ao "outlook" para os mercados emergentes, que contará com a presença do responsável do BBVA Bancomer pelo departamento accionista a nível global, Luis Angel Rodriguez.

Ainda hoje, a chanceler alemã Angela Merkel e o ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger discursam em Berlim no evento que assinala o início do Plano Marshall – de ajuda à recuperação da Europa após a II Guerra Mundial – há 70 anos. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar