Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta terça-feira o BPI divulga os seus resultados dos primeiros seis meses do ano. Ainda por cá, destaque para os dados da turística dos residentes no primeiro trimestre. Lá fora, as atenções vão concentrar-se no regresso da Grécia ao mercado da dívida.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 25 de julho de 2017 às 07:30
BPI divulga resultados semestrais…

Numa semana recheada de resultados de cotadas na bolsa nacional, hoje será a vez de o BPI reportar as suas contas semestrais. Na semana passada, o BPI anunciou ter gasto 91 milhões de euros para rescindir com 519 trabalhadores no programa de reformas antecipadas e de rescisões por mútuo acordo. Tendo em conta estes números, cada trabalhador recebeu, em média, uma indemnização de 175 mil euros.  Formalmente, o programa lançado pelo banco que vai ser liderado por Pablo Forero (ainda carece de aprovação do Banco Central Europeu) acabou, mas além destes números havia já outros funcionários a acordar a saída. Já tinham chegado a esse entendimento mais 98 colaboradores. Neste caso, o custo foi de 15,4 milhões.

O custo é reconhecido já no primeiro semestre, apesar de 73 funcionários apenas saírem de funções em 2018. Este gasto será sentido, então, nos resultados que vão ser conhecidos hoje.



…e prossegue a prestação de contas nos EUA

Também nos Estados Unidos prossegue a época de apresentação dos resultados, que se focalizam mais nos números do trimestre do que no acumulado do ano. Depois de ontem a Google se ter confessado ao mercado, após o fecho de Wall Street, esta terça-feira será a vez de cotadas como a AT&T, McDonald’s, General Motors e Caterpillar.

Além disso, o Citigroup promove o Investor Day de 2017, com uma apresentação por parte do CEO, Mike Corbat, e de outros gestores de topo. O evento decorre em Nova Iorque.



Grécia regressa ao mercado com emissão de dívida soberana a cinco anos

A Grécia vai voltar a financiar-se nos mercados, aproveitando a queda recente das taxas de juro. Com efeito, Atenas tem em curso uma emissão de obrigações do tesouro a cinco anos, tendo contratado um sindicato bancário para esse efeito, segundo a Bloomberg. É a primeira emissão de médio e longo prazo desde 2014 e serve como um teste para o país começar a obter fontes de financiamento que lhe permitam sair do programa de assistência financeira, que termina em Agosto do próximo ano.

A operação já estava a ser antecipada pelos mercados nas últimas semanas dada a descida das taxas de juro associadas à dívida helénica após o acordo com os parceiros europeus para desembolsar a última tranche do programa de assistência financeira. Além disso, a Comissão Europeia recomendou a saída da Grécia do Procedimento dos Défices Excessivos e isso reflectiu-se em análises menos negativas por parte das agências de "rating".


Mais dados para medir a temperatura às economias

A semana arranca com novos dados económicos da Europa, com destaque para a divulgação dos dados sobre a confiança do consumidor em França, no mês de Julho. Além disso, na Alemanha é divulgado o Índice de preços na importação, em Junho, e o Instituto Ifo apresenta as expectativas sobre o clima de confiança empresarial (dados de Julho).

Por cá, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga os dados relativos à procura turística dos residentes, no primeiro trimestre de 2017.

 


Arranca reunião dois dias da Fed

A Reserva Federal norte-americana, liderada por Janet Yellen, inicia a sua reunião de dois dias, para se pronunciar sobre a política monetária do banco central.

Recorde-se que no passado dia 14 de Junho a Fed decidiu avançar com uma nova subida de 25 pontos base nos juros, colocando a sua taxa de referência num intervalo entre 1% e 1,25%. Na reunião de 13 e 14 de Junho, os responsáveis do comité de política monetária da Fed não conseguiram chegar a acordo quanto à data em que devem começar a "encolher" o seu vasto balanço, indicaram as actas dessa reunião.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub