Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Hoje é dia de reacção na bolsa nacional aos resultados que foram apresentados pela Martifer, Pharol e Teixeira Duarte, perspectivando-se uma evolução positiva das acções, já que as duas primeiras passaram de prejuízos a lucros e a construtora reduziu os resultados líquidos negativos.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Nuno Carregueiro 29 de agosto de 2017 às 07:30
Novo míssil da Coreia do Norte pressiona mercados

A Coreia do Norte disparou mais um míssil nas primeiras horas de terça-feira, sendo que desta vez em direcção ao Japão, tendo mesmo sobrevoado o país. Nos mercados a reacção foi negativa, com destaque para a bolsa do Japão, com o Nikkei a chegar a negociar em mínimos de Maio. Já os futuros sobre o norte-americano S&P500 caem perto de 0,5%, apontando para uma sessão negativa nas bolsas europeias e norte-americanas esta terça-feira.


A iniciativa da Coreia do Norte também teve impacto no mercado cambial, com o dólar a recuar para mínimos de quatro meses face ao iene (108,33 ienes por dólar). "Desta vez o míssil sobrevou o Japão, pelo que desta vez as implicações deverão ser diferentes face aos últimos lançamentos", afirmou à Reuters Hirokazu Kabeya, da Daiwa Securities.

Ainda no mercado cambial, a moeda europeia tem registado uma subida fulgurante nas últimas semanas, estando a registar máximos desde Janeiro de 2015 quase todas as sessões. Ontem aproximou-se da fasquia dos 1,20 dólares, o que penalizou as bolsas europeias, devido à perda de valor das empresas exportadoras. A evolução do mercado cambial poderá ditar o rumo das bolsas nas próximas sessões, numa altura em que o dólar está a ser penalizado pelas perspectivas menos animadoras para a economia norte-americana e pelos efeitos da tempestade Harvey.

Teixeira Duarte reduz prejuízos

A Teixeira Duarte anunciou esta terça-feira que fechou o primeiro semestre com um resultado líquido negativo de 9 milhões de euros, o que compara de forma favorável com os prejuízos de 35,77 milhões de euros registados um ano anos. Foram sobretudo dois os factores que explicam esta evolução positiva nos resultados líquidos: as menores perdas com variações cambiais e com a participação accionista que detém no BCP. As acções vão reagir hoje a estes números, bem como ao anúncio de uma nova ronda de venda de acções por parte da família Teixeira Duarte.



Valorização da Oi leva Pharol para lucros

A Pharol anunciou ontem que obteve no primeiro semestre um resultado líquido de 61,8 milhões de euros, o que compara com um prejuízo de 8,3 milhões de euros no mesmo período do ano passado. Trata-se dos primeiros lucros que a Pharol anuncia desde que a sua actividade se resumiu à gestão da participação na brasileira Oi e deixou de ser a PT SGPS. As acções vão reagir hoje a estes números da empresa liderada pela empresa liderada por Palha da Silva. Hoje é a vez da Teixeira Duarte anunciar as contas do primeiro semestre.


Martifer regressa aos resultados positivos

Desde o primeiro semestre de 2011 que a Martifer apresentou sempre prejuízos no primeiro semestre. Na primeira metade deste ano conseguiu inverter a tendência, ao registar lucros de 5,7 milhões de euros, o que compara com prejuízos de 3,2 milhões de euros um ano antes. Os números foram divulgados já após o fecho da sessão de ontem, pelo só hoje as acções vão reagir. Desde o início do ano os títulos já duplicaram de valor, o que atenuou o desempenho fortemente negativo dos títulos desde que entraram em bolsa, a 8 euros por acção. Nos últimos nove anos apenas em dois acumularam saldos positivos e ontem fecharam a valer 0,359 euros.  


PIB da França, confiança dos consumidores dos EUA e vendas a retalho em Portugal

Para avaliar o desempenho da economia europeia e norte-americana, há hoje dois indicadores para seguir com atenção. A França publica a segunda estimativa para o PIB no segundo trimestre, que servirá para confirmar se a segunda maior economia da Zona Euro continua a acelerar (a primeira leitura aponta para um crescimento em cadeia de 0,5%). Nos Estados Unidos será divulgado o índice que mede a confiança dos consumidores, referente ao mês de Agosto.   

 

Num relatório publicado ontem, o gabinete de estudos do Montepio assinalava que a economia portuguesa continua a dar sinais positivos. Hoje vai ser divulgado mais um indicador para avaliar a evolução da economia (e também a actividade das retalhistas portuguesas cotadas Sonae e Jerónimo Martins), já que o INE vai publicar o índice que mede o volume de negócios no comércio a retalho. Os dados serão referentes a Julho, pelo que será dos primeiros indicadores referentes ao arranque do terceiro trimestre.

 

O Instituto publica também a inquérito à avaliação bancária na habitação (também referente a Julho), que dará novos sinais sobre a evolução dos preços do imobiliário em Portugal.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

AMIGOS, COMPANHEIROS, CAMARADAS
HOJE FOI MAIS UM DIA DE SHORTAR
MAS COMO VOS EU DISSE ESTÁ MANHÃ EU IA SAIR HOJE E SAI ESTÁ TARDE
FORAM 3 DIAS SEGUIDOS A GANHAR COM O BCP, 7,2% DE LUCROS
SÓ TENHO MONTEPIO, QUE AGORA VOU REFLETIR SE VOU ENTRAR NOVAMENTE, OU ESPERO MAIS 2 OU 3 DIAS PORQUE BCP ESTÁ MUITO APETECIVEL, PARECE UM DOCE
MAS AMIGOS TENHAM CUIDADO, OS HOMENS NÃO SE ENTENDEM, SE CAI UMA BOMBINHA ONDE QUE LUGAR FOR, VAI FAZER UM ESTRADALHAÇO DO CARAÇAS, VAI HAVER AÇÕES QUE VÃO CAIR DE REPENTE 30%, 40% OU 50% DE UMA VEZ SÓ.
O MELHOR REFUGIO É MESMO O OURO, QUE IRA SER A MOEDA DE TROCA PÓS GUERRA, QUE DOLÁR, EUROS, OU OUTRA MOEDA QUAL ELA SEJA NÃO VALERÁ NADA DE NADA, MAS O OURO VALERÁ SEMPRE.
TENHAM ATENÇÃO AMIGOS PORQUE O METAL AMARELO É O QUE VALE, DINHEIRO E AÇÕES SERÁ APENAS PAPEL INÚTIL PARA DEPOIS SOBREVIVERMOS.
BONS NEGOCIOS PARA TODOS
UM FORTE ABRAÇO AQUI DO MASSA.
SEMPRE AS VOSSAS ORDENS ESTE VOSSO AMIGO.

pub