Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quinta-feira, o BCE anuncia a sua decisão de política monetária. Por cá, o INE divulga os dados relativos à inflação de Novembro. Destaque ainda para a evolução da Pharol e da banca italiana.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
INE divulga dados de Novembro para a inflação

Por cá, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga o índice de preços no consumidor, relativo a Novembro. Além disso, o INE publica também dados sobre a construção, no que diz respeito às obras licenciadas e concluídas no terceiro trimestre; bem como as paridades de poder de compra em 2016.


Nos Estados Unidos, destaque também para três dados: os novos pedidos de subsídio de desemprego na semana terminada a 9 de Dezembro, as vendas a retalho em Novembro e o índice de preços na importação, igualmente em Novembro. 



Draghi faz novas projecções para a economia

O Banco Central Europeu (BCE) deverá deixar o plano de compra de activos inalterado, assim como as taxas de juro, depois de ter alargado o seu programa por mais nove meses, até Setembro de 2018. Mario Draghi deverá, porém, traçar novas projecções para a economia do euro, incluindo o primeiro "outlook" para 2020. 


A decisão de política monetária será anunciada em Frankfurt às 13:45 (12:45 em Lisboa) e a conferência de imprensa de Draghi terá lugar às 14:30 locais.



Banco de Inglaterra não deve mexer nos juros

Também o Banco de Inglaterra (BoE) anuncia esta quinta-feira a sua decisão em matéria de política monetária. É a primeira reunião dos responsáveis do banco central britânico depois da histórica subida dos juros em Novembro.

A expectativa é de que seja uma reunião sem sobressaltos, se bem que possam sair mais pistas sobre o rumo das taxas de juro em 2018 nas actas que vão ser divulgadas e que se referem ao encontro do mês passado.


Banca italiana sob forte pressão

Nas praças europeias, a maior queda na sessão de ontem coube ao índice italiano, que recuou mais de 1% perante o risco de impasse político, dado que o parlamento italiano pode ser dissolvido entre o Natal e o Ano Novo e pode haver eleições no início de Março.

Também a pressionar estiveram os receios de que o Banco Central Europeu possa aumentar os requisitos para a banca italiana em matéria de malparado, o que levou os títulos do sector financeiro a quedas. Entre as maiores, destaque para as da BPER Banca, que afundaram 6,3% para 4,25 euros.

 


Pharol afunda com nova versão do plano de recuperação da Oi

A Pharol fechou ontem a cair 8,01% para 0,287 euros, penalizada pela nova versão do plano de recuperação da Oi, operadora brasileira de que é maior accionista. A solução apresentada resultará na diluição da posição da empresa liderada por Palha da Silva na telecom Oi, com a conversão de créditos em acções e reforço de capital. 

Os títulos da antiga PT SGPS, que detém mais de 20% da Oi, reagiram assim à nova versão do plano de recuperação judicial da Oi, que foi entregue na terça-feira na Justiça brasileira e que prevê a possibilidade de converter créditos até 75% do capital e o parcelamento, em 20 anos, das dívidas que a operadora tem junto da Anatel, devido a multas. Além disso, a proposta prevê a realização de um aumento de capital mínimo de 4 mil milhões de reais, que poderá pode chegar a 6,5 mil milhões.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar