Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quarta-feira, a Reserva Federal norte-americana divulga o seu Livro Bege e o Eurostat apresenta os dados da inflação de Dezembro. Entre as contas anuais a serem divulgadas do outro lado do Atlântico, destaque para o Goldman Sachs e Bank of America.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 17 de janeiro de 2018 às 07:30
Inflação na Zona Euro em destaque

O gabinete de estatística Eurostat divulga novos dados sobre a Zona Euro: o índice de preços no consumidor, em Dezembro [anterior: 1,5%; estimativa: 1,4%]; e os números da construção, em Novembro [anterior: -0,4%].

Nos Estados Unidos, estará em foco a produção industrial de Dezembro [anterior: 0,2% ; estimativa: 0,4%].



Fed divulga Livro Bege

A política monetária está, esta semana, no centro das atenções dos investidores. Esta quarta-feira, a Reserva Federal dos Estados Unidos publica o Livro Bege sobre a evolução da economia.

O Livro Bege é um documento que é seguido com atenção pelos investidores para anteciparem as próximas decisões do maior banco central do mundo.  



Membro do BCE discursa em Viena

Ewald Nowotny, membro do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE), discursa numa conferência em Viena. Palavras que serão seguidas com especial atenção depois de, na semana passada, terem sido conhecidos os relatos da última reunião de política monetária, realizada em Dezembro.


De acordo com este documento, os responsáveis do BCE mostraram abertura para ao longo deste ano ajustar a sua comunicação com o mercado para sinalizar uma retirada dos estímulos monetários de forma mais célere do que o previsto actualmente. Além disso, entre os responsáveis do banco central é "amplamente partilhada" a ideia de que a comunicação terá de evoluir ao longo do ano em linha com as perspectivas para o crescimento e a inflação.  


Bank of America e Goldman apresentam contas

A divulgação dos resultados de 2017 segue em força nos Estados Unidos. Depois de na sexta-feira o JPMorgan, Wells Fargo e BlackRock terem dado o "pontapé de saída" na época de apresentação de resultados, ontem foi a vez do Citigroup, que reportou os primeiros prejuízos anuais desde 2009 devido ao facto de ter de incorporar as novas regras da reforma fiscal da Administração Trump.


Hoje será a vez do Bank of America, Goldman Sachs, US Bancorp e Alcoa apresentarem as suas contas do ano passado.

 


Euro, kwanza e bitcoin no radar

A moeda europeia esteve ontem a recuar dos máximos de Dezembro de 2014 fixados nas últimas sessões, devido à incerteza sobre os resultados das negociações para a formação de um governo de coligação na Alemanha, depois de vários membros do SPD terem votado contra as conversações com o partido de Angela Merkel. A política monetária também pressionou o euro, depois de a Reuters ter noticiado que não será tão cedo que o BCE vai alterar a sua comunicação com o mercado, no que diz respeito à retirada de estímulos. 

Ainda no mercado cambial, destaque para o facto de Angola ter voltado a desvalorizar o kwanza em mais 10%. A desvalorização da moeda angolana pode abrir caminho a um pedido de assistência financeira ao FMI.


No mundo das moedas digitais, a bitcoin esteve ontem em foco, a afundar 20% e a regressar à casa dos 11 mil dólares. As criptomoedas estão a ser penalizadas pela confirmação do governo da Coreia do Sul de que poderá banir a negociação deste tipo de produtos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.