Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

A reacção aos resultados apresentados pelo BCP e os dados económicos divulgados nos EUA deverão marcar a sessão, num período que tem sido marcado por uma volatilidade elevada.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Sara Antunes 15 de fevereiro de 2018 às 07:30
Investidores reagem aos resultados do BCP

O BCP revelou já após o fecho do mercado que fechou o ano passado com um lucro de 186,4 milhões de euros. Um valor sete vezes superior ao apurado um ano antes. A actividade doméstica voltou a contribuir positivamente para os resultados. Já a actividade internacional, que continua a representar o maior bolo, registou uma quebra de 15%.

 

CaixaBI antecipa que lucros da Galp tenham crescido 13,5% para 604 milhões de euros

O CaixaBI antecipa que a Galp Energia tenha encerrado o ano de 2017 com lucros de 604 milhões de euros, o que representa uma subida de 13,5% face ao resultado líquido de 483 milhões de euros registado em 2016. No que respeita apenas ao quarto trimestre do ano passado, os lucros terão aumentado 55,8% para 188 milhões de euros, uma evolução suportada pelo crescimento da produção e dos preços do petróleo.


 

Investidores focados nos indicadores económicos

Esta quinta-feira será o dia de se conhecerem os dados da produção industrial nos EUA, com os economistas a preverem um aumento de 0,2%. E serão também divulgados os dados dos pedidos de desemprego na semana passada no país, um indicador mais volátil, mas que dá alguns sinais de como está a evoluir o mercado laboral.


 

Espanha e França vão ao mercado financiar-se

Esta quinta-feira será também marcada pela emissão de dívida de longo prazo por parte de Espanha e França. Os Tesouros dos dois países vão realizar um duplo leilão: a 5 e 10 anos. À semelhança do que fez esta quarta-feira Portugal, que foi ao mercado emitir obrigações do Tesouro a cinco e 10 anos, tendo registado um ligeiro agravamento do custo do financiamento na emissão de mais longo prazo.

 

Volatilidade domina as sessões

Os dias têm sido de uma forte volatilidade. As bolsas sobem e descem com dimensões acentuadas. Ora os investidores antecipam mais aumentos de juros, ora acalmam-se porque os indicadores afinal não são tão peremptórios nas pistas que deixam. Foi assim nos últimos dias. E quarta-feira não foi excepção, com os investidores primeiro a reagirem ao aumento da inflação (levando as bolsas a registarem novas quedas) e depois a reflectirem a queda das vendas a retalho – voltando a elevar as bolsas americanas com ganhos superiores a 1%. Como acordarão os investidores esta quinta-feira?