Research A análise do Haitong a 11 cotadas nacionais

A análise do Haitong a 11 cotadas nacionais

A maioria das cotadas nacionais tem potencial acima de 20%. Veja o que o Haitong diz de cada uma das empresas que vai estar presente na conferência que o banco está a realizar em Londres.
Nuno Carregueiro 12 de janeiro de 2017 às 17:00

Nos – Recomendação: Comprar

Nos – Recomendação: Comprar
O Haitong avalia as acções da Nos em 7,60 euros, o que implica um potencial de valorização 41%. A recomendação é de comprar. O banco de investimento assinala que depois de um período de “forte crescimento e investimentos, a Nos atingiu as suas metas de quota de mercado e crescimento dois anos antes do previsto”. 2017 deverá ser um “ano muito importante” para a empresa liderada por Miguel Almeida, pois deverá marcar uma inflexão na estratégia da cotada, passando a privilegiar a geração de “cash flow” e a remuneração aos accionistas, em detrimento da conquista de quota de mercado. Devido ao reduzido nível de endividamento, o Haitong estima que a Nos seja “mais agressiva” no seu compromisso com o pagamento de dividendos, “compensando os investidores pela espera nos últimos anos marcados pelo forte investimento”. A estimativa aponta para um dividendo por acção de 25 cêntimos a pagar este ano, o que compara com 16 cêntimos no ano passado. Em 2018 a remuneração accionista deverá subir para 38 cêntimos e em 2019 para 46 cêntimos.

Mota-Engil – Recomendação: Neutral

Mota-Engil – Recomendação: Neutral
O Haitong avalia as acções da Mota-Engil em 2,00 euros, o que implica um potencial de valorização 40%. A recomendação é de neutral. O banco de investimento assinala que a Mota-Engil expandiu a sua actividade para África e América Latina, que são agora os seus mercados mais importantes. No final do primeiro semestre a construtora tinha uma carteira de encomendas de 4,6 mil milhões de euros, com a o mercado europeu a ter um peso de apenas 20%. O Haitong estima que a dívida líquida de 1,5 mil milhões de euros desça nos próximos tempos devido à venda da Ascendi. “Contudo, a companhia ainda não conseguiu atingir um crescimento orgânico no seu ‘cash flow’ de forma a mostrar que pode reduzir a alavancagem de uma forma sustentada”, refere o Haitong, assinalando que apesar do potencial de valorização, a recomendação é neutral devido à “necessidade de uma maior clareza sobre as encomendas em África”.

EDP – Recomendação: Comprar

EDP – Recomendação: Comprar
O Haitong avalia as acções da EDP em 3,35 euros, o que implica um potencial de valorização 19%. A recomendação é de comprar. O banco de investimento assinala que a EDP está a negociar com “múltiplos muito atractivos”, apesar dos factores favoráveis que deverão impulsionar os resultados no segundo semestre, tais como as boas condições na geração de energia e a valorização do real. Se a avaliação da EDP tivesse em conta os preços-alvo da Haitong para a EDP Renováveis e EDP Brasil, e não as cotações actuais, a avaliação da EDP seria de 3,63 euros. O Haitong destaca que a cotada liderada por António Mexia está exposta ao risco soberano de Portugal, pelo que um agravamento nos “spreads” da dívida portuguesa “terá um impacto negativo na acção”. Isto apesar de a EDP estar a reduzir o endividamento, o custo da dívida (30 pontos base entre 2016 e 2018) e ter as suas necessidades de financiamento cobertas até 2019.

EDP Renováveis – Recomendação: Comprar

EDP Renováveis – Recomendação: Comprar
O Haitong avalia as acções da EDP Renováveis em 8,00 euros, o que implica um potencial de valorização 35%. A recomendação é de comprar. O banco de investimento assinala que a EDP Renováveis apresenta uma avaliação “muito atractiva”, estando a negociar em bolsa tendo em conta um cenário “muito pessimista”, com um crescimento nulo na capacidade instalada e um aumento de 50 pontos base no custo médio do capital. Trata-se de uma avaliação “injustificada, pois acreditamos que a acção deve começar a apresentar uma melhor prestação assim que as notícias nos Estados Unidos confirmarem que não era tão más como o esperado”. O Haitong considera que o mercado reagiu de forma exageradamente negativa aos riscos regulatórios nos Estados Unidos devido à vitória de Donald Trump nas eleições. “Dado que a regulação nos Estados Unidos advém de três fontes (Presidente, Congresso e Estados) e pelo menos duas não mudaram, acreditamos que o risco regulatório é mais baixo do que está a ser apreendido pelo mercado”, acrescenta.

REN – Recomendação: comprar

REN – Recomendação: comprar
O Haitong avalia as acções da REN em 3,20 euros, o que implica um potencial de valorização 20%. A recomendação é de comprar. A empresa que gere a rede energética em Portugal continua a transaccionar em bolsa a desconto face às suas congéneres, refere o Haitong, que destaca a avaliação “atractiva” da REN, que paga um “dividendo seguro”. O banco de investimento assinala que o desconto da REN face às congéneres alargou-se em 2014 e permanece perto de máximos históricos ao nível do rácio EV/EBITDA. O Haitong destaca que está prestes a chegar à maturidade uma obrigação com custos elevados, pelo que a descida dos custos financeiros deverá contribuir para um crescimento acima de 10% nos lucros em 2017. “Actualmente, o maior risco que vemos na REN é o alargamento da taxa extraordinária sobre os activos energéticos”, refere o “research”.

Altri – Recomendação: comprar

Altri – Recomendação: comprar
O Haitong avalia as acções da Altri em 4,50 euros, o que implica um potencial de valorização 14%. A recomendação é de comprar. O banco de investimento assinala que a perspectiva para a evolução do “free cash flow” da Altri está a ficar mais atractiva. O Haitong espera que os investimentos efectuados no passado permitam novas descidas nos custos da empresa e mais aumentos na produção, sendo que a redução do capex também deverá contribuir para um aumento do “cash flow”, o que abre espaço para uma melhoria na remuneração aos accionistas. A Altri é uma das cotadas portuguesas mais expostas à variação cambial, sendo que uma descida de 5% do euro face ao dólar implica uma subida de 23 milhões de euros no EBITDA, o que representa uma subida de 12%.

Corticeira Amorim – Recomendação: comprar

Corticeira Amorim – Recomendação: comprar
O Haitong avalia as acções da Corticeira Amorim em 11,00 euros, o que implica um potencial de valorização 26%. A recomendação é de comprar. A Corticeira Amorim vai continuar a beneficiar de um bom momento, já que está a ganhar quota de mercado nas rolhas de cortiça, sobretudo nos segmentos “premium”, o que permite um aumento dos preços de venda e uma melhoria nas margens EBITDA. Além do ganho de quota de mercado, a Corticeira Amorim tem beneficiado com a alta do dólar face ao euro e pode ainda tirar partido das aquisições que pode vir a realizar. O Haitong espera que a Corticeira Amorim apresente um crescimento médio de anual no EBITDA de 7% até 2020, o que compara com o aumento de 11% no período entre 2012 e 2015.

Galp Energia – Recomendação: neutral

Galp Energia – Recomendação: neutral
O Haitong avalia as acções da Galp Energia em 12,00 euros, o que implica um potencial de desvalorização de 17%. A recomendação é de neutral. As acções da Galp Energia apresentam uma prestação 58% superior ao sector nos últimos dois anos, negociando já acima da avaliação do Haitong. Contudo, o banco de investimento diz que as acções deverão continuar suportadas no curto prazo devido ao impacto da recuperação dos preços do petróleo nos resultados; potencial de valorização dos activos em Moçambique e boa execução dos projectos no Brasil. As estimativas do Haitong apontam para que produção da Galp aumente 39% este ano e 29% em 2018, devido à actividade no campo petrolífero Lula. A recente venda de activos em Portugal (22,5% da Galp Gás Natural Distribuição) pode abrir portas a aquisições no Brasil, salienta o banco de investimento, alertando contudo para a “forte concorrência” por estes activos devido à melhoria da situação política no Brasil e recuperação nos preços do petróleo.

Navigator – Recomendação: comprar

Navigator  – Recomendação: comprar
O Haitong avalia as acções da Navigator em 4,20 euros, o que implica um potencial de valorização de 26%. A recomendação é de comprar. O banco de investimento classifica a Navigator com uma das companhias “mais eficientes” da indústria, apresentando margens acima de 20% devido à sua integração total (pasta e papel), baixos custos laborais e nova capacidade de produção. O Haitong estima que em 2017 a ex-Portucel vai ser capaz de manter o EBITDA estável apesar da redução substancial dos preços da pasta no último ano. “A empresa deve beneficiar de um dólar forte e dos resultados dos programas de eficiência implementados”, refere o banco. O baixo endividamento (representa em 2016 apenas 1,7 vezes o EBITDA) e o elevado “payout” (percentagem dos lucros distribuídos aos accionistas) permitem à Navigator apresentar um dos maiores “dividend yields” da Península Ibérica.

CTT – Recomendação: comprar

CTT  – Recomendação: comprar
O Haitong avalia as acções dos CTT em 10,00 euros, o que implica um potencial de valorização de 51%. A recomendação é de comprar. Os CTT têm enfrentado alguns ventos contrários nos últimos tempos, devido a eventos extraordinários e o Banco CTT tem penalizado a geração de “cash flow”. Mas a cotada deve retomar o seu “curso normal” e o Haitong espera que o sentimento à volta da empresa melhore este ano. Isto porque a actividade em Espanha deverá atingir o “break even”; é esperado que celebre um acordo com um operador para a venda de produtos e uma plataforma de e-commerce; crescimento dos volumes; regresso da evolução positiva nos preços. O Haitong assinala que os CTT apresentam um forte “cash flow” e “dividend yield”, transaccionando com um “múltiplo atractivo” para uma empresa que “ainda apresenta oportunidades de crescimento”. O banco estima que a cotada tem um “dividend yield” de 7,5% e a promessa de continuar a aumentar a remuneração aos accionistas.

Sonae – Recomendação: comprar

Sonae  – Recomendação: comprar
O Haitong avalia as acções da Sonae em 1,08 euros, o que implica um potencial de valorização de 25%. A recomendação é de comprar. Olhando para os múltiplos (PER de 10,8 e EV/EBITDA de 4,8) as acções da Sonae estão “baratas”, refere o Haitong. O banco de investimento assinala que a nova oferta comercial da Sonae MC (retalho alimentar através do Continente), implementada ao longo dos dois últimos anos nos seus 41 hipermercados, “parece estar a resultar”. A variação das vendas comparáveis passou de um valor negativo de 0,4% no segundo trimestre para um crescimento de 4,1% nos três meses seguintes e o Haitong espera que esta tendência positiva se mantenha. No que diz respeito às margens, o banco espera que a evolução negativa diminua já no quarto trimestre e não aguarda uma nova deterioração no ambiente concorrencial. O Haitong considera que o foco dos investidores deve mudar para o retalho não alimentar (Sonae SR), onde a empresa conseguiu surpreender no terceiro trimestre em termos de crescimento nas vendas e margens. “Acreditamos que a Sonae deveria considerar seriamente alternativas de fusões e aquisições na SR, de modo a reduzir os prejuízos num ano que poderá ser de ‘pegar ou largar’ para estas operações”, refere o research.

O Haitong arrancou esta quinta-feira em Londres com a sua 6ª conferência anual em Londres, onde marcam presença cerca de 30 cotadas ibéricas, que vão ser apresentadas a mais de uma centena de gestores provenientes de grandes fundos de investimento.

 

A edição deste ano tem especial enfoque na importância de investimento chinês nos mercados europeus, sendo que entre os oradores está Lingjiang Xu, da Fosun.

 

Entre as empresas presentes na conferência, onze são portuguesas, sendo que o Haitong analisa todas elas num relatório. Veja em cima um resumo do banco de investimento às cotadas em causa. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Pois a minha aposta não passa por nenhuma dessas.
Vai para Sonae Industria

Anónimo Há 2 semanas

A AVALIACAO E AS COTADAS QUE LHE INTERESSAM, EU SE TIVESSE NOS. VENDIA MESMO SE DEREM 25 CENTIMOS, GRANDE FARTURA AO LA DE UMA NAVIGATOR, DA ESSES DIVIDENDOS, EA COTACAO ESTA QUASE POR METADE,

Anónimo Há 2 semanas

a melhor e a navigator desde junho de 2016 subiu quase 30 %

pub