Mercados A "boa gestão" da CMVM no fecho da delegação do Porto 

A "boa gestão" da CMVM no fecho da delegação do Porto 

"Actuamos dentro da lei, e dentro dos poderes e deveres de boa gestão a que o conselho de administração da CMVM está obrigado", afirmou a presidente da reguladora do mercado de capitais sobre o fecho da delegação do Porto, em declarações ao Negócios.
A "boa gestão" da CMVM no fecho da delegação do Porto 
Miguel Baltazar
Rui Neves 04 de dezembro de 2017 às 13:08

Manhã de 4 de Dezembro, na Fundação Cupertino de Miranda, no Porto. A presidente da Comissão de Mercados de Valores Mobiliários (CMVM) tinha acabado de participar no primeiro debate da conferência sobre "Investimento e financiamento do investimento: financiar a recuperação económica e o crescimento - desafios para Portugal no contexto europeu", promovida pelo Banco de Portugal e o Banco Europeu de Investimentos (BEI).

  

Questionada pelo Negócios sobre o encerramento da delegação do Porto da CMVM, a presidente da CMVM começou por dizer que este "é um não assunto" e não estava disponível para "alimentar mais polémicas". "Actuámos dentro da lei, e dentro dos poderes e deveres de boa gestão a que o conselho de administração da CMVM está obrigado", afirmou Gabriela Figueiredo Dias, na primeira declaração pública sobre o assunto.

 

O encerramento da delegação da CMVM no Porto foi recebido com fortes críticas de vários quadrantes, desde o presidente da Câmara do Porto ao PSD, reforçando o ataque ao centralismo em Lisboa por causa da retirada de centros de decisão da região Norte.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Re: “Não pode haver duplicado de tudo no Porto” Há 5 dias

Não é por acaso que existia no Porto uma profunda tradição e um Palácio da Bolsa;
Não é por acaso que a Presidente da CMVM se sentiu na obrigação de se referir a um homem do Norte – o Eng. Belmiro – ao evocar o seu papel na dinamização da Bolsa;
Não terá sido por acaso que os estatutos da CMVM previam uma delegação no Porto e que a mesma tinha agora 4 funcionários;
Por outro lado:
Dada a densidade de empresas no Norte que poderiam beneficiar (elas, os investidores e o país) de uma entrada na Bolsa;
Dado o benefício que poderia advir de um esforço deliberado de tentativa de aumento do grau de literacia financeira do imenso universo de interessados pela Bolsa, existentes no Norte:
Não teria deixado também de se compreender que, ao invés de se fechar a delegação da CMVM no Porto, se tivesse transferindo a sua sede para o Porto, deixando em Lisboa uma delegação.
Os 22 milhões de euros que nós outros investidores pagamos em taxas e multas à CMVM, bem poderiam suportar tal.

comentários mais recentes
Re: “Não pode haver duplicado de tudo no Porto” Há 5 dias

Não é por acaso que existia no Porto uma profunda tradição e um Palácio da Bolsa;
Não é por acaso que a Presidente da CMVM se sentiu na obrigação de se referir a um homem do Norte – o Eng. Belmiro – ao evocar o seu papel na dinamização da Bolsa;
Não terá sido por acaso que os estatutos da CMVM previam uma delegação no Porto e que a mesma tinha agora 4 funcionários;
Por outro lado:
Dada a densidade de empresas no Norte que poderiam beneficiar (elas, os investidores e o país) de uma entrada na Bolsa;
Dado o benefício que poderia advir de um esforço deliberado de tentativa de aumento do grau de literacia financeira do imenso universo de interessados pela Bolsa, existentes no Norte:
Não teria deixado também de se compreender que, ao invés de se fechar a delegação da CMVM no Porto, se tivesse transferindo a sua sede para o Porto, deixando em Lisboa uma delegação.
Os 22 milhões de euros que nós outros investidores pagamos em taxas e multas à CMVM, bem poderiam suportar tal.

Rado Há 6 dias

Não pode haver duplicado de tudo no Porto.

Fernando Goncalves Há 6 dias

Estranho que agora não questionem o governo. Sò quando sai de Liboa, caso do Infarmed, é que se questiona?

Anónimo Há 6 dias

A Suécia um País com tantos Habitantes como Portugal com um clima que não se compara ao Português tem um mercados de capitais umas ( 300 empresas cotadas ) que faz chorar qualquer um quando olha para o africano PSI 20 ou geral CMVM ou qué isso ?
Cresçam e mostrem trabalho.

ver mais comentários
pub