Mercados num minuto Abertura de mercados: Bolsas na Europa somam em ambiente pré-eleitoral

Abertura de mercados: Bolsas na Europa somam em ambiente pré-eleitoral

Depois do ganho de ontem, segue-se mais uma valorização nas bolsas europeias esta terça-feira. O petróleo está a subir 1% com novas previsões de procura pela matéria-prima.
Abertura de mercados: Bolsas na Europa somam em ambiente pré-eleitoral
Reuters
Diogo Cavaleiro 08 de Novembro de 2016 às 09:36

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,16% para 4.561,59 pontos

Stoxx 600 ganha 0,24% para 334,64 pontos

Nikkei desliza 0,03% para 17.171,38 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos somam 1,1 pontos base para 3,242%

Euro soma 0,18% para 1,1060 dólares

Petróleo em Londres sobe 1,06% para 46,64 dólares por barril

 

Bolsas europeias avançam 

Os mercados bolsistas continuam a reagir às eleições na maior economia do mundo. Hillary Clinton e Donald Trump, um deles será o presidente dos Estados Unidos da América eleito esta noite e, depois das quebras da semana passada, os investidores começaram esta semana a responder positivamente ao facto de o FBI ter deixado cair as investigações à candidata democrata.

 

Ainda assim, após os avanços superiores a 1% das bolsas europeias de ontem, as praças do Velho Continente avançam mais ligeiramente. O Stoxx Europe 600 soma 0,24% enquanto o português PSI-20 avança 0,16%. As restantes bolsas, incluindo Madrid e Frankfurt, ganham também ligeiramente.

 

Em Lisboa, a Nos avança 1,44% para 5,928 euros depois de ter apresentado um crescimento de lucros de 6%, com os números ligeiramente acima das estimativas. A Sonae ganha 0,28% apesar de um corte na avaliação feita pelo Haitong.

 

Juros portugueses sobem 

Os juros associados à dívida portuguesa estão a subir no mercado secundário. o prazo de referência, a dez anos, a "yield" soma 1,1 pontos base para 3,242%, segundo dados da Bloomberg.

 

O comportamento positivo das taxas implícitas da dívida nacional, que representa um aumento do preço das obrigações, ocorre quando há um desempenho misto nos restantes mercados europeus. Itália, Espanha e Alemanha marcam uma tendência indefinida no mercado de dívida.

 

Dólar menos volátil

Em ambiente pré-eleitoral, o dólar marca uma redução da volatilidade, com base no índice do JPMorgan, que a Bloomberg atribui ao facto de a candidata democrata estar à frente das sondagens. 

De resto, as principais moedas seguem estáveis, sem grandes variações, seja o peso mexicano ou o iene japonês.

O euro ganha 0,18% para 1,1060 dólares.

 

Petróleo sobe com perspectiva de maior procura

Os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais. Em Londres, a subida é de 1,06% para 46,64 dólares por barril de Brent do Mar do Norte enquanto em Nova Iorque o avanço do preço do West Texas Intermediate é de 0,69% para 45,20 dólares por barril.

 

A subida da matéria-prima ocorre após a subida de previsão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo para o próximo ano. A nova previsão aponta para uma procura de 95,3 milhões de barris por dia em 2017, mais 300 mil barris diários do que os antecipados até aqui. 

Ouro recupera
O ouro está a recuperar e sobe 0,2% para 1.285 dólares por onça, após a queda de 1,8% de segunda-feira. 

No campo dos metais preciosos, e de acordo com a agência de informação Bloomberg, o níquel ganha 1,2%








A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub