Mercados num minuto Abertura dos mercados: Apesar das tensões geopolíticas, bolsas e euro sobem

Abertura dos mercados: Apesar das tensões geopolíticas, bolsas e euro sobem

As principais praças europeias estão a negociar em terreno positivo, numa altura em que os investidores continuam atentos as tensões geopolíticas criadas nomeadamente pela situação na Síria e Coreia do Norte. Euro e petróleo crescem.
Abertura dos mercados: Apesar das tensões geopolíticas, bolsas e euro sobem
Ana Laranjeiro 12 de abril de 2017 às 09:38

Os mercados em números       

PSI-20 ganha 0,50% para 4.991,54 pontos

Stoxx 600 valoriza 0,49% para 383,04 pontos

Nikkei desvalorizou 1,04% para 18.552,61 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 2 pontos base para 3,874%

Euro 0,10% para 1,0616 dólares

Petróleo em Londres ganha 0,60% para 56,57 dólares o barril

Bolsas em alta

As principais bolsas europeias estão no verde apesar de os investidores continuarem preocupados com as tensões geopolíticas. Ainda esta terça-feira, os presidentes dos Estados Unidos e da China, Donald Trump e Xi Jinping respectivamente, abordaram numa conversa ao telefone a situação na Coreia do Norte. Isto depois de Donald Trump ter deixado vários avisos à China.

Em relação à Síria, depois do ataque norte-americano na semana passada desfez uma aliança antes ainda da sua consagração entre os EUA e a Rússia.

Lisboa lidera os ganhos no Velho Continente, com o PSI-20 a subir 0,50%, seguido pelo francês CAC 40, que valoriza 0,49%. O Stoxx 600, índice de referência, avança 0,49%.

 

Juros em alta em dia de leilão

Os juros da dívida pública portuguesa estão a subir no mercado secundário. A dez anos, as "yields" avançam 2 pontos base para 3,874%. Esta quarta-feira, Portugal realiza um leilão de Obrigações do Tesouro a cinco e a oito anos. O objectivo é garantir entre 1.000 e 1.250 milhões de euros de financiamento. Caso seja colocado o montante máximo previsto, o Tesouro garante 44% do financiamento previsto este ano.

O Negócios escreve esta quarta-feira que o Tesouro português deverá pagar esta quarta-feira uma taxa de juro mais baixa para emitir dívida de longo prazo, num duplo leilão a cinco e oito anos.

Euro acima dos 1,06 dólares

A moeda da Zona Euro está a valorizar face ao dólar, subindo 0,10% para 1,0616 dólares. A moeda norte-americana deverá estar a ser penalizada pelas tensões geopolíticas.

Arábia Saudita dá ganhos ao petróleo

A cotação do petróleo nos mercados internacionais está a subir. O West Texas Intermediate ganha 0,52% para 53,68 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, avança 0,60% para 56,57 dólares por barril.

Este comportamento tem lugar numa altura em que o mercado está optimista quanto à possibilidade de a Arábia Saudita, um dos maiores produtores do mundo de petróleo, apoiar um alargamento do prazo do acordo, assinado em Novembro, para uma redução da produção por parte dos países que são membros da OPEP.

Goldman Sachs antecipa queda do ouro para 1.200 dólares

O banco de investimento Goldman Sachs emitiu uma nota em que assinala que o outro pode cair para os 1.200 dólares em três meses, de acordo com a Bloomberg.  Por esta altura, o metal amarelo cede 0,01% para 1.274,67 dólares por onça, depois de nas últimas sessões ter valorizado, fruto do recurso a este activo de refúgio.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub