Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsa de Lisboa contraria ganhos na Europa, juros em queda

Abertura dos mercados: Bolsa de Lisboa contraria ganhos na Europa, juros em queda

As principais praças europeias recuperaram terreno e estão agora com negociação positiva, enquanto em Lisboa as perdas da Pharol mantêm o PSI-20 com quedas. Em dia de votação do OE no Parlamento, juros a 10 anos estão abaixo dos 2% pela 11.ª sessão.
Abertura dos mercados: Bolsa de Lisboa contraria ganhos na Europa, juros em queda
Bloomberg
Os mercados em números
PSI-20 desce 0,34% para 5.265,39 pontos
Stoxx 600 soma 0,25% para 387,58 pontos
Nikkei caiu 0,24% para 22.495,99 pontos
Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 1,7 pontos para 1,922%
Euro desliza 0,07% para 1,1925 dólares
Petróleo em Londres desce 0,20% para 63,73 dólares o barril

Lisboa contraria ganhos das bolsas europeias
Apesar de terem iniciado a sessão em queda, as bolsas europeias já inverteram para terreno positivo, seguindo nesta altura com valorizações ligeiras abaixo de 0,5%. Isto num dia que deverá ficar marcado pela votação, no Senado dos Estados Unidos, da prometida reforma fiscal norte-americana, que prevê uma redução dos impostos sobre as empresas.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,05% para 386,82 pontos, numa altura em que só a bolsa de Atenas e a praça portuguesa seguem com sinal vermelho.

Em Lisboa, o PSI-20 desliza 0,43% para 5.260,89 pontos, penalizado sobretudo pela Pharol. As acções da antiga PT SGPS perdem 8,5% para 32,3 cêntimos, depois de terem chegado a afundar um máximo de 11,33% para 31,3 cêntimos, o valor mais baixo desde Setembro. A empresa, que é a maior accionista da Oi, está a reagir à demissão do presidente executivo da operadora brasileira, anunciada na passada sexta-feira.

Juros em queda em dia de aprovação do OE 2018
Os juros da dívida portuguesa em mercado secundário seguem em alívio na generalidade dos prazos, com a' 'yield' no prazo de referência - dez anos - abaixo dos 2% pela 11.ª sessão consecutiva. As descidas - que se repetem nos restantes países periféricos do Sul do euro - acontecem no dia em que o parlamento português aprova a proposta para o Orçamento do Estado para 2018.

O prémio de risco - diferencial das 'yields' portuguesa e alemã no prazo a dez anos - está estável nos 155,97 pontos base.

Euro pouco alterado com "luz ao fundo do túnel" na Alemanha
A moeda da Zona Euro cede ligeiramente face à par norte-americana e depois de quatro sessões consecutivas de ganhos. O valor próximo de máximos de 22 de Setembro - mais de dois meses - para a moeda europeia ocorre depois de, no fim-de-semana, ter crescido a expectativa da resolução do impasse político na Alemanha, depois de falhadas as negociações da CDU com FDP e Verdes para um entendimento.

O cenário de reedição da Grande Coligação CDU/CSU e SPD voltou a estar em cima da mesa, com uma reunião de responsáveis marcada para esta quinta-feira. No sábado, Angela Merkel lembrou o que disse ser a boa experiência de convivência dos dois partidos no governo e considerou que seria um erro partir para eleições antecipadas. 

Petróleo desce à espera da OPEP
O valor do barril de ouro negro degrada-se em Londres e Nova Iorque a dias da reunião do cartel da OPEP com produtores externos que pode decidir a continuidade dos cortes na produção e perante sinais de aumento recente da produção nos Estados Unidos.

O encontro, que acontece na próxima quinta-feira, colhe optimismo junto dos analistas. "É provável que vejamos uma extensão dos cortes. O mercado está mais optimista em relação ao outlook para 2018. A resposta dos Estados Unidos é a chave. Temos assistido a um aumento substancial da produção naquele mercado depois dos ganhos recentes no preço do petróleo," disse à Bloomberg David Lennox, da Fat Prophets.

Ouro sobe pela primeira vez em três sessões

O metal precioso está a valorizar esta segunda-feira, depois de duas sessões consecutivas de perdas, numa altura em que os investidores aguardam pela votação da reforma fiscal dos Estados Unidos no Senado – que poderá já hoje – e pela segunda leitura do PIB do terceiro trimestre, que poderá ser revisto em alta na quarta-feira.

O ouro ganha 0,27% para 1.291,82 dólares, enquanto o cobre está a cair 1,27%, penalizado pelos dados que mostram que os lucros da indústria na China subiram menos do que o esperado.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

A malta tem q gastar a massa. Vem ai o mês do Natal e os lu ros. N compredem q só administramos com a massa no bolsa.

merda de banco Há 2 semanas

o que e que tem este carallho deste banco que os outros nao teem

AQR Capital Management, LLC = FOSUN Há 2 semanas




VOÇÊS ACORDEM não SEJAM BURROS TODA A VIDA isto da : AQR Capital Management, LLC é para INGLÊS ver não sejam BURROS o MILENIUM BCP VAI DAR UM SALTO muito em BREVE até aos 0.50 ACORDEM eles QUEREM a TOTALIDADE do BCP

Re: Jose Há 2 semanas

Infelizmente Sr.º José, pelo andar da carruagem nem em 2025... o titulo BCP está infestado de shorts e fundos rapinas e tem acionistas de ref. falidos e sem qualquer credibilidade (Fosun e Sonangol). Assim é impossivel captar investidores de qualidade... eu estou +- na mesma situação (0,58€)...

ver mais comentários