Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas animadas, euro em queda em dia de BCE

Abertura dos mercados: Bolsas animadas, euro em queda em dia de BCE

As principais bolsas europeias estão a negociar em terreno positivo num dia em o mercado aguarda pela decisão do Banco Central Europeu em relação à sua política monetária. O euro cede ligeiramente.
Abertura dos mercados: Bolsas animadas, euro em queda em dia de BCE
Reuters
Ana Laranjeiro 20 de julho de 2017 às 09:24

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,35% para 5.320,76 pontos

Stoxx 600 ganha 0,38% para 386,99 pontos

Nikkei valorizou 0,62% para 20.144,59 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 1,2 pontos para 3,079%

Euro recua 0,12% para 1,1501 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,10% para 49,75 dólares o barril

Bolsas animadas em dia de BCE

As principais bolsas europeias estão a negociar em alta, num dia em que o mercado vai estar atento à conferência de imprensa de Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu, após o final do encontro da autoridade monetária.


Depois do presidente do BCE ter realçado, em Sintra, que as pressões sobre a inflação são "temporárias", os investidores procuram agora perceber se Draghi deixa indicações sobre uma eventual redução do seu programa de estímulos, na conferência de imprensa após a reunião de política monetária da instituição. No final de Agosto, o responsável estará presente em Jackson Hole.

A liderar os ganhos na Europa está o principal índice holandês (sobe 0,78%), seguido pelo germânico DAX (valoriza 0,76%). O Stoxx 600, índice de referência, ganha 0,38%. Em Lisboa, o PSI-20 soma 0,35%, com o BCP a ganhar 1,22% para 24,92 cêntimos e a Corticeira Amorim a subir 1,47% para 12,43 euros.


Juros sobem

Os juros da dívida pública portuguesa estão a subir no mercado secundário, num dia em que os investidores aguardam pelas decisões do BCE. E depois de ontem Portugal ter ido ao mercado com um duplo leilão de dívida de curto prazo.


Nos títulos com maturidade em Janeiro (seis meses) o IGCP conseguiu uma taxa de -0,292%, inferior aos -0,21% da emissão semelhante realizada em Maio, enquanto na colocação de títulos com maturidade em Julho de 2018 a "yield" situou-se em -0,259%, bem abaixo dos -0,153% da emissão de Maio.

Esta quinta-feira, 20 de Julho, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida nacional a dez anos sobem 1,2 pontos base para 3,079%. No caso da Alemanha, os juros no mesmo prazo estão a ganham 0,8 pontos base para 0,550%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 248,5 pontos.

Euro pouco alterado

O euro regista uma desvalorização ligeira face ao dólar, continuando assim a aliviar dos ganhos recentes e enquanto o mercado aguarda para ouvir Mario Draghi que, a partir de Frankfurt, pode dar novas pistas sobre o rumo da política monetária na zona do euro. Por esta altura, o euro cede 0,12% para 1,1501 dólares.

Brent próximo dos 50 dólares

O Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, está a registar uma subida ligeira de 0,10% para negociar nos 49,75 dólares por barril, mantendo-se assim muito próximo da fasquia dos 50 dólares. Já o crude negociado em Nova Iorque está também com em alta ligeira mas mais longe dos 50 dólares. O West Texas Intermediate aprecia 0,13% para 47,18 dólares.


A negociação da matéria-prima está a ser marcada pela queda das reservas de gasolina nos EUA, o que está a aliviar os receios em torno do excesso de oferta. Os dados da Administração de Informação Energética dos EUA, divulgados esta quarta-feira, indicam que os inventários norte-americanos de crude caíram 4,73 milhões de barris na semana passada. Os inventários de gasolina recuaram 4,45 milhões de barris também na semana passada.


Ouro perde brilho

O metal amarelo, para entrega imediata, desce 0,27% para 1.237,89 dólares por onça, numa altura em que os investidores aguardam pelo discurso do líder do Banco Central Europeu.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
já começaram a MARRAR NO BCP 20.07.2017

Mas quando é que estes gajos PARTEM os CORNOS para deixarem de marrar o bcp para BAIXO nem com os 500 MILHÕES DE LUCRO do MILENIUM POLACO nem com os 200 MILHÕES do MILENIUM PORTUGUÊS nada ADIANTA NADA livra HAJA PACIÊNCIA

pub