Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas aplaudem acordo EUA-México. Euro sobe para máximos de quase um mês

Abertura dos mercados: Bolsas aplaudem acordo EUA-México. Euro sobe para máximos de quase um mês

As acções europeias seguem no valor mais alto em duas semanas, enquanto o euro está em máximos de quase um mês, depois de os EUA e o México terem chegado a um entendimento para um novo acordo comercial.
Abertura dos mercados: Bolsas aplaudem acordo EUA-México. Euro sobe para máximos de quase um mês
Bloomberg
Rita Faria 28 de agosto de 2018 às 09:19

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,33% para 5.539,22 pontos

Stoxx 600 ganha 0,26% para 386,58 pontos

Nikkei valorizou 0,06% para 22.813,47 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 1,3 pontos para 1,848%

Euro sobe 0,05% para 1,1684 dólares

Petróleo em Londres valoriza 0,04% para 76,24 dólares o barril

 

Bolsas europeias em máximos de duas semanas

As bolsas europeias estão a negociar em alta esta terça-feira, 28 de Agosto, pela terceira sessão consecutiva, a reflectir o alívio dos receios em torno da guerra comercial. Isto depois de os Estados Unidos e o México terem chegado a um acordo comercial para substituir o NAFTA, que animou os mercados, e impulsionou o S&P500 e o Nasdaq para novos máximos históricos.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,26% para 386,58 pontos, o valor mais alto das últimas duas semanas.

 

Em Lisboa, o PSI-20 sobe 0,33% para 5.539,22 pontos, animado sobretudo pela Mota-Engil e pela Altri.

 

Juros sobem na Zona Euro

Os juros da dívida portuguesa estão a subir em todas as maturidades, acompanhando o agravamento que se regista na generalidade dos países do euro. A yield associada às obrigações portuguesas a dez anos sobe 1,3 pontos para 1,848%.

 

Em Espanha, no mesmo prazo, a subida é de 1,0 ponto para 1,420%, e em Itália é mais acentuada, de 4,7 pontos para 3,202%. Na Alemanha, pelo contrário, os juros recuam 0,3 pontos para 0,373%.

 

Euro em máximos de quase um mês

A moeda única europeia está a ganhar terreno face ao dólar, negociando no valor mais alto em quase um mês. O euro valoriza 0,05% para 1,1684 dólares, o nível mais elevado desde 31 de Julho.

 

Esta evolução acontece numa altura em que a moeda dos Estados Unidos continua a perder força pela terceira sessão consecutiva. A contribuir para a descida estão os comentários do presidente da Fed Jerome Powell que, na sexta-feira, desiludiu o mercado que antecipava uma mensagem mais "hawkish", e também o facto de o Canadá ainda não se ter pronunciado sobre o entendimento alcançado entre os EUA e o México, o que poderá comprometer o acordo.

 

Brent toca máximos de quase três semanas

O petróleo negoceia sem uma tendência definida nos mercados internacionais, estando o Brent em alta ligeira e o West Texas Intermediate em queda.

 

Amanhã serão conhecidos os dados sobre as reservas de crude dos Estados Unidos e a expectativa é que tenham voltado a cair na semana passada, depois de terem registado uma diminuição superior ao esperado nos sete dias terminados em 17 de Agosto.

 

Nesta altura, o WTI cai 0,17% para 68,75 dólares, enquanto o Brent ganha 0,04% para 76,24 dólares, depois de já ter tocado no valor mais alto desde 11 de Julho.  
 

Ouro e prata pouco alterados

O ouro está a negociar em baixa ligeira, muito próximo do valor mais alto em duas semanas, beneficiando da correcção do dólar. O metal amarelo desce 0,02% para 1.211,16 dólares, enquanto a prata sobe 0,04% para 14,9032 dólares.    




pub