Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas e euro em alta, juros e petróleo em queda

Abertura dos mercados: Bolsas e euro em alta, juros e petróleo em queda

As principais praças europeias transaccionam em terreno positivo neste início de sessão, numa altura em que o euro valoriza pelo quinto dia seguido contra o dólar. Em sentido inverso, os juros dos periféricos da Zona Euro recuam e o petróleo desvaloriza.
Abertura dos mercados: Bolsas e euro em alta, juros e petróleo em queda
Bloomberg
David Santiago 14 de novembro de 2017 às 09:22

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,41% para 5.279,46 pontos

Stoxx 600 ganha 0,06% para 386,35 pontos

Topix desvalorizou 0,26% para 1.778,87 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos cedem 0,5 pontos para 1,988%

Euro valoriza 0,25% para 1,1697 dólares

Petróleo em Londres cai 0,36% para 62,93 dólares o barril

 

Bolsas europeias regressam ao verde

As bolsas europeias estão a transaccionar em terreno positivo, depois de terem invertido face a um início de dia de quedas ligeiras. O índice de referência europeu Stoxx 600 transacciona no verde pela primeira vez em seis sessões enquanto o PSI-20 segue em alta depois de quatro dias consecutivos a acumular perdas.

 

Isto no dia em que, a partir das 10:00 em Lisboa, o Eurostat revela os dados relativos ao PIB na União Europeia. Antes, às 09:30, o INE anuncia a evolução do produto português.

 

No plano nacional, o principal destaque cabe ao BCP que aprecia 1,27% para 0,2555 euros, com o banco liderado por Nuno Amado animado pelos resultados favoráveis ontem apresentados. A instituição regressou aos lucros nos primeiros nove meses deste ano, tendo alcançado um resultado líquido de 133 milhões de euros.

 

Juros portugueses caem pelo segundo dia

Os juros da dívida portuguesa estão a recuar no mercado secundário, isto depois de três sessões seguidas a subirem. No prazo a 10 anos, a taxa de juro associada às obrigações lusas recua 0,5 pontos base para 1,988%.

 

Nos periféricos da Zona Euro a tendência também é de quedas. As "yields" associadas às obrigações italianas e espanholas com maturidade a 10 anos recuam 0,5 e 0,1 pontos base para 1,829% e 1,531%, respectivamente. Apesar de agora seguirem a cair, os juros da dívida italiana a 10 anos já tocaram esta manhã no valor mais elevado desde 31 de Outubro.

 

Em sentido inverso segue a dívida alemã que sobe em praticamente todos os prazos, excepção feita às maturidades a um mês e seis meses. A 10 anos, as "bunds" germânicas crescem 0,8 pontos base 0,425%, tendo já tocado no valor mais alto desde 27 de Outubro e no quarto dia consecutivo a subir.

 

Euro valoriza pela quinta sessão face ao dólar

A moeda única europeia está a valorizar pela quinta sessão seguida contra o dólar, com o euro a apreciar 0,25% para 1,1697 dólares, estando assim em máximos de 26 de Outubro comparativamente com a divisa norte-americana.

 

Já a libra recua pelo segundo dia face ao euro, perdendo 0,35% para 1,1203 euros, estando a transaccionar em mínimos de 3 de Novembro contra a moeda única europeia.

 

A divisa britânica continua a ser pressionada nos mercados cambiais pela incerteza em torno do processo de negociação relativo ao Brexit.

 

Petróleo desvaloriza pelo terceiro dia em Londres

O petróleo está em queda nos mercados internacionais, com o Brent do Mar do Norte, negociado em Londres e utilizado como valor de referência para as importações nacionais, a cair 0,36% para 62,93 dólares por barril. É a terceira sessão seguida em que o Brent desvaloriza.

 

Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate (WTI) segue a tendência ao cair 0,28% para 56,60 dólares por barril. A desvalorização do crude acontece depois de na semana passada o petróleo ter alcançado a maior valorização semanal desde Outubro do ano passado, escreve a agência Bloomberg.

 

Este comportamento surge depois de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) ter elevado as perspectivas relativas à procura da matéria-prima em 2018. Ao mesmo tempo, o cartel estima que seja necessário aumentar a produção petrolífera em 400 mil barris por dia para assegurar a procura estimada diária de 33,4 milhões de barris por dia ao longo do próximo ano.

 

Ouro cai para mínimos de 6 de Novembro

O metal precioso está a desvalorizar, seguindo nesta altura a perder 0,45% para 1.272,53 dólares por onça, numa manhã em que o ouro já tocou no valor mais baixo desde 6 de Novembro.

 

Também a prata segue em queda, com a matéria-prima a desvalorizar 0,70% para 16,9360 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub