Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas e juros pouco alterados com BoE e Fed sob os holofotes

Abertura dos mercados: Bolsas e juros pouco alterados com BoE e Fed sob os holofotes

As bolsas europeias seguem pouco alteradas, tal como os juros da dívida, à espera da decisão do Banco de Inglaterra (BoE) e do anúncio do próximo presidente da Fed.
Abertura dos mercados: Bolsas e juros pouco alterados com BoE e Fed sob os holofotes
Rita Faria 02 de novembro de 2017 às 09:12

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,23% para 5.451,05 pontos

Stoxx 600 ganha 0,03% para 396,89 pontos

Nikkei valorizou 0,53% para 22.539,12 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 0,2 pontos para 2,103%

Euro soma 0,17% para 1,1639 dólares

Petróleo em Londres cai 0,35% para 60,28 dólares o barril

Bolsas europeias sem tendência definida

As bolsas europeias estão a negociar sem tendência definida esta quinta-feira, 2 de Novembro, num dia em que dois grandes bancos centrais estão debaixo dos holofotes: o Banco de Inglaterra poderá anunciar um aumento dos juros pela primeira vez em mais de dez anos, e o presidente dos Estados Unidos deverá revelar quem será o próximo presidente da Fed, um anúncio muito aguardado pelo mercado.

Depois de ter tocado em máximos de mais de dois anos na sessão de ontem, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,03% para 396,89 pontos.

Na bolsa nacional, o PSI-20 sobe 0,23% para 5.451,05 pontos, animado sobretudo pelo BCP, que valoriza 0,95% para 25,62 cêntimos, e pela EDP Renováveis, que soma 1,13% para 7,27 euros.

Do lado das descidas, os CTT desvalorizam 2,27% para 3,87 euros, um novo mínimo histórico.

Juros pouco alterados

Os juros da dívida dos países do euro estão a oscilar entre subidas e descidas ligeiras, à espera das novidades dos bancos centrais.

Em Portugal, a ‘yield’ associada às obrigações a dez anos recua 0,2 pontos para 2,103%, um dia antes de a agência de notação financeira DBRS se poder pronunciar sobre o rating.
 

Em Espanha, os juros a dez anos estão inalterados em 1,474% e na Alemanha sobem 1,0 ponto para 0,383%.
 

Dólar recua com aposta em Jerome Powell

O índice que mede a evolução do dólar face às principais congéneres mundiais está a descer, numa altura em que cresce a convicção de que a Donald Trump irá escolher Jerome Powell para substituir Janet Yellen na liderança da Reserva Federal.

Powell tem sido considerado como moderado em termos de política monetária e económica, não se mostrando tão preocupado como Yellen com o facto de a inflação nos EUA estar ainda longe da meta dos 2%. Powell apoia, por exemplo, a recente ortodoxia da Fed, nomeadamente a subida gradual dos juros directores.

Petróleo em queda ligeira com aumento da produção dos EUA

O petróleo está a negociar em queda ligeira nos mercados internacionais, um dia depois de a Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos ter revelado que os inventários de crude desceram em 2,44 milhões de barris, enquanto a produção norte-americana aumentou pela segunda semana.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, cai 0,33% para 54,12 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, recua 0,35% para 60,28 dólares.

Ouro ganha terreno

O metal precioso está a negociar com sinal verde, em contraciclo com o dólar norte-americano, suportado pela perspectiva de que Jerome Powell vai seguir a linha de Janet Yellen e subir os juros de forma gradual.

O ouro sobe 0,14% para 1.276,46 dólares, enquanto a prata cai 0,35% para 17,0795 dólares. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub