Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas e petróleo em alta, euro em queda

Abertura dos mercados: Bolsas e petróleo em alta, euro em queda

As bolsas europeias estão a negociar em terreno positivo, corrigindo assim das perdas recentes. Os preços do petróleo sobem nos mercados internacionais, isto depois dos comentários do ministro do petróleo do Kuweit.
Abertura dos mercados: Bolsas e petróleo em alta, euro em queda
Reuters
Ana Laranjeiro 22 de agosto de 2017 às 09:27

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,38% para 5.186,49 pontos

Stoxx 600 aprecia 0,54% para 374,75 pontos

Nikkei cedeu 0,05% para 19.383,84 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal avança 2,8 pontos base para 2,775%

Euro desvaloriza 0,32% para 1,1777 dólares

Petróleo ganha 0,66% para 52 dólares, em Londres

Acções animadas

As principais praças europeias estão a recuperar das quedas recentes, registando uma valorização inferior a 1%. Isto depois de nas últimas horas, o presidente dos Estados Unidos ter apresentado a estratégia norte-americana para o Afeganistão, "a guerra mais longa da história norte-americana", que prevê o envio de mais soldados e uma pressão acrescida sobre o Paquistão para deixar de abrigar "terroristas".


O britânico Footsie lidera os ganhos no Velho Continente, subindo 0,74%, seguido pelo germânico DAX lidera os ganhos no Velho Continente, subindo 0,69%. Em Lisboa, o PSI-20 aprecia 0,38%. O Stoxx 600, índice de referência, sobe 0,54%.

Juros em alta ligeira

Os juros da dívida pública portuguesa estão a registar uma subida ligeira no mercado secundário depois da queda registada na última sessão. A dez anos, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida nacional entre si sobem 2,8 pontos base para 2,775%.

Este comportamento surge numa semana em que os investidores aguardam pelo discurso de Mario Draghi, no simpósio de Jackson Hole, para aferir se o presidente do BCE dará ou não indicações sobre a estratégia de saída do programa alargado de compra de activos. No entanto, segundo fontes citadas pela Reuters, Draghi não deverá mudar o discurso nessa intervenção agendada para o final da semana.

Os juros da Alemanha a dez anos ganham 1,4 pontos base para 0,414%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 231,5 pontos.


Euro trava ganhos

Na primeira sessão da semana, a moeda da Zona Euro chegou a tocar nos 1,1828 dólares, porém, esta terça-feira o euro está a aliviar desta valorização, recuando agora 0,32% para 1,1777 dólares. Esta evolução do euro ocorre precisamente numa altura em que o mercado aguarda pelo encontro dos banqueiros centrais nos Estados Unidos para perceber quais os próximos passos que vão ser dados na política monetária mundial.


O Banco Central Europeu não deverá, adiantaram fontes da Reuters, anunciar nenhuma mudança na sua política. Quanto à Reserva Federal dos EUA, o mercado vai tentar encontrar indícios sobre o que vai acontecer na maior economia do mundo depois de as minutas do último encontro terem mostrado divisões entre os responsáveis de política monetária e apontaram preocupações em relação à baixa inflação.

Petróleo recupera

Os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais depois de ontem o ministro do petróleo do Kuweit ter apontado que na próxima reunião da OPEP poderá haver uma decisão sobre o fim do acordo que está em vigor, e que determina um corte na produção, ou um novo prolongamento do entendimento entre o cartel e os outros produtores que aceitaram limitar a sua produção.

O mercado aguarda entretanto pelos dados oficiais das reservas de crude nos Estados Unidos na semana passada. Os dados vão ser revelados amanhã, 23 de Agosto.

O West Texas Intermediate sobe 0,68% para 47,69 dólares por barril e o Brent do Mar do Norte avança 0,66% para 52 dólares por barril.


Ouro perde brilho

A cotação do metal amarelo está a recuar, numa altura em que os investidores podem estar sinais de terem deixado um pouco para trás o foco em questões como a saída de um dos conselheiros de Trump, os ataques terroristas na Europa e as tensões entre os EUA e a Coreia do Norte. Por esta altura, o ouro, para entrega imediata, desce 0,52% para 1.285,18 dólares por onça.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub