Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas e petróleo em queda após falha de acordo na OPEP

Abertura dos mercados: Bolsas e petróleo em queda após falha de acordo na OPEP

As bolsas europeias estão a ser pressionadas pelo sector da energia, que reflecte a falta de acordo na OPEP para o corte na produção. O petróleo também está a descer.
Abertura dos mercados: Bolsas e petróleo em queda após falha de acordo na OPEP
Sara Antunes 31 de Outubro de 2016 às 09:29

Os mercados em números
PSI-20 desce 0,78% para 4.639,40 pontos
Stoxx 600 perde 0,40% para 339,45 pontos
Nikkei caiu 0,12% para 17.425,02 pontos
Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 1,5 pontos base para 3,353%
Euro sobe 0,30% para 1,0952 dólares
Petróleo em Londres cai 0,26% para 49,58 dólares o barril

Energia pressiona bolsas europeias

A falta de acordo entre os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) sobre os cortes na produção está a afectar a negociação entre o sector da energia, o que está a pressionar as praças europeias. O Stoxx 600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias, perde quase 0,5%, numa sessão que está a ser pautada pelo vermelho.

 

E Lisboa não é excepção, com o sector energético a ser o que mais pressiona. Em queda estão também os CTT, depois de terem reportado uma queda dos lucros nos primeiros nove meses do ano.

Juros da dívida em alta

As taxas de juro da dívida pública portuguesa mantêm a tendência de alta, acumulando subidas há cinco sessões consecutivas. Ao contrário dos juros alemães, que estão a descer, o que eleva o prémio de risco associado à dívida nacional. A taxa de juro a 10 anos de Portugal está a avançar 1,5 pontos base para 3,353%, enquanto a bund está a descer 0,8 pontos para 0,159%, o que eleva para mais de 319 pontos base o "spread" da dívida portuguesa.

 

As taxas de juro têm vindo a subir desde a semana passada um pouco por todos os mercados, numa altura em que os indicadores económicos apontam para melhorias que poderão levar à retirada de estímulos por parte dos bancos mundiais.

Euro em queda 
A expectativa em torno da subida de juros nos EUA e a manutenção dos estímulos na Zona Euro tem pressionado o euro contra o dólar.  

Petróleo cai após "desacordo" na OPEP

Os membros da OPEP não conseguiram chegar a acordo sobre o corte na produção. Na reunião que terminou na sexta-feira, os países que compõem o cartel não fecharam um acordo, o que está a pressionar os preços da matéria-prima. "As negociações ao longo do fim-de-semana fazem parecer menos provável que seja alcançado um acordo sobre os cortes na produção", afirmou à Bloomberg Ric Spooner, analista na CMC Markets.

 

O Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a descer 0,26% para 49,58 dólares por barril.

 

Alumínio em forte alta

Depois de ter subido quase 10% na semana passada para máximos de Setembro de 2014, o alumínio continua em alta, a reflectir as perspectivas mais animadoras sobre a economia mundial, o que se se confirmar deverá levar a um aumento do consumo deste material.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
SÍTIO MUITO MANHOSO Há 5 dias

MASSIFIQUEM A VENDA DE AUTOMÓVEIS ELÉCTRICOS, O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL, PARA QUE O PREÇO DOS DITOS BAIXEM...E OS PRODUTORES DE PETRÓLEO QUE O...BEBAM !!!

pub