Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas em alta e euro alivia de máximos

Abertura dos mercados: Bolsas em alta e euro alivia de máximos

As principais bolsas europeias estão a negociar em terreno positivo, num dia em que a época de resultados prossegue nos Estados Unidos. O euro, depois de ontem ter renovado máximos de 2014, está em queda face ao dólar.
Abertura dos mercados: Bolsas em alta e euro alivia de máximos
Reuters

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,37% para 5.641,83pontos

Stoxx 600 cresce 0,13% para 398,35pontos

Nikkei valorizou 1% para 23.951,81 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 3,3 pontos base para 1,767%

Euro recua 0.25% para 1,2233 dólares

Petróleo em Londres desce 0,63% para 69,82 dólares

Bolsas europeias em alta

As principais praças do Velho Continente estão a negociar em terreno positivo, animadas pelos dados relativos às vendas de empresas. Um desses casos é germânica Hugo Boss que anunciou que as vendas no quarto trimestre do ano passado superaram as estimativas anteriores. As acções da empresa crescem 2,11% para 74,50 euros, tendo já disparado 4,82% para 76,48 euros

O mercado aguarda esta terça-feira pela continuação da época de apresentação de resultados nos Estados Unidos. Esta semana - mais pequena nas praças norte-americanas, uma vez que ontem foi feriado - a banca continua a revelar os seus números. Hoje é a vez do Citigroup.

A liderar os ganhos no Velho Continente está o PSI-20, que avança 0,37%, seguido pelo índice grego, que cresce 0,26%, e pelo germânico DAX, que soma 0,23%.

 

Juros em queda

Os juros da dívida pública portuguesa estão em queda no mercado secundário, antes do regresso de Portugal aos mercados de dívida. Amanhã, o Tesouro realiza um leilão de bilhetes do Tesouro em que espera arrecadar até 1.750 milhões de euros.

A dez anos, os juros da dívida pública portuguesa descem 3,3 pontos base para 1,767%. Os juros da Alemanha a dez anos estão a ceder 1,5 pontos base para 0,572%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 119,9 pontos.

Euro trava ganhos

A moeda da Zona Euro está a perder terreno face ao dólar (desce 0,25% para 1,2233 dólares) e aliviando de máximos de Dezembro de 2014. A moeda única da Zona Euro esteve a ser impulsionada pelas expectativas de que o BCE vá reduzir mais rapidamente o seu programa de estímulos monetários, depois de essa indicação ter sido deixada no encontro de Dezembro.

Petróleo alivia de máximos

Os preços do petróleo, que ontem voltaram a negociar acima dos 70 dólares por barril, estão a aliviar dos ganhos. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a descer 0,63% para 69,82 dólares. Nas últimas sessões esta matéria-prima esteve a ser impulsionada pela expectativa em torno do prolongamento dos cortes de produção por parte dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), bem como da queda do dólar.

 

Bitcoin afunda mais de 13%

A bitcoin voltou às quedas acentuadas, recuando mais de 13% para cerca de 12 mil dólares por unidade. A contribuir para a descida acentuadas deste activo estão os receios em torno da regulação, depois de ter sido noticiado que o ministro das Finanças da Coreia do Sul está a ponderar banir a negociação através de criptomoedas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub