Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas em queda ligeira. Petróleo e ouro aliviam de fortes subidas

Abertura dos mercados: Bolsas em queda ligeira. Petróleo e ouro aliviam de fortes subidas

O petróleo está a aliviar da forte subida que levou os preços, em Londres, para máximos de mais de dois anos, enquanto o ouro, que beneficiou do aumento da tensão entre os EUA e a Coreia, voltou para terreno negativo.
Abertura dos mercados: Bolsas em queda ligeira. Petróleo e ouro aliviam de fortes subidas
Bloomberg
Rita Faria 26 de setembro de 2017 às 09:16

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,14% para 5.305,52 pontos

Stoxx 600 perde 0,07% para 383,52 pontos

Nikkei desvalorizou 0,33% para 20.330,19 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos seguem inalterados em 2,450%

Euro recua 0,14% para 1,1832 dólares

Petróleo em Londres cai 0,29% para 58,85 dólares o barril

 

Bolsas europeias em queda com incerteza na Alemanha e tensões geopolíticas

As bolsas europeias estão a negociar em queda ligeira esta terça-feira, 26 de Setembro, penalizadas pela incerteza em torno do próximo governo alemão e pela tensão crescente entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, que ameaçou ontem abater bombardeiros norte-americanos.

 

Na Alemanha, os resultados das eleições e a recusa de Martin Schulz de se coligar com os democratas-cristãos deixaram Angela Merkel reduzida à possibilidade de se aliar ao FDP e aos Verdes, ainda que a chanceler tenha reiterado ontem que não vai deixar de parte os social-democratas nas conversações para a formação de um governo maioritário.

 

Do outro lado do Atlântico, o conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos garantiu que o país quer evitar uma guerra com a Coreia, ainda que não descarte essa possibilidade, depois das ameaças vindas de Pyongyang na segunda-feira. O aumento das tensões levou os investidores a procurarem refúgio em activos como o dólar norte-americano e o ouro.

 

Nesta altura, o índice de referência para a Europa, o Stoxx 600, perde 0,07% para 383,52 pontos.

 

Em Lisboa, o PSI-20 desce 0,14% para 5.305,52 pontos, penalizado sobretudo pela Nos, com uma queda de 0,36% para 5,271 euros, e pelo BCP, que recua 0,22% para 22,69 cêntimos.

 

Juros pouco alterados 

Os juros da dívida da generalidade dos países do euro estão pouco alterados esta terça-feira, um dia em que o mercado aguarda pelos discursos de vários responsáveis pela política monetária, sobretudo nos Estados Unidos. Entre eles está a própria presidente da Reserva Federal norte-americana, Janet Yellen, que é oradora na conferência anual NABE, em Cleveland (Ohio).

 

Em Portugal a ‘yield’ associada às obrigações a dez anos está inalterada em 2,450%, enquanto na Alemanha sobe 0,8 pontos para 0,408%. Em Espanha, os juros avançam 0,5 pontos para 1,629%.  

Euro cai pela segunda sessão
A moeda única europeia está em terreno negativo face ao dólar, depois de ter caído quase 1% na sessão de ontem, penalizado pelos resultados das eleições legislativas na Alemanha, que deram uma vitória curta à CDU de Angela Merkel e o terceiro lugar ao partido de extrema-direita AfD. Nesta altura, o euro recua 0,14% para 1,1832 dólares

 

Por outro lado, o índice que mede o desempenho do dólar face às principais congéneres mundiais está a subir pela segunda sessão, a beneficiar das tensões geopolíticas que levam os investidores a refugiarem-se na divisa dos Estados Unidos.

 

Petróleo alivia de forte subida

Depois de já ter estado em terreno positivo esta manhã, o petróleo está a aliviar da forte subida registada na sessão de ontem. A matéria-prima negociada em Londres chegou a valorizar mais de 4% para superar os 59 dólares por barril – o valor mais alto desde o Verão de 2015 – impulsionada pela ameaça da Turquia em bloquear um oleoduto que transporta petróleo da região do Curdistão para um porto turco, numa forma de colocar pressão sobre os curdos iraquianos que avançaram para um referendo sobre a independência.

 

Nesta altura, o Brent desce 0,29% para 58,85 dólares enquanto o West Texas Intermediate, transaccionado em Nova Iorque, recua 0,34% para 52,04 dólares.

 

Ouro em baixa após maior subida em duas semanas

O metal precioso negoceia em queda ligeira, após ter subido mais de 1% na sessão de ontem, animado pelas tensões entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte e pelos comentários de William Dudley, presidente da Fed de Nova Iorque, que defendeu que a Reserva Federal deve manter o seu plano de subida gradual dos juros nos Estados unidos.

 

O ouro recua 0,17% para 1.308,57 dólares enquanto a prata desce 0,22% para 17,1456 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub