Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas europeias e euro em alta à espera de ouvir Yellen

Abertura dos mercados: Bolsas europeias e euro em alta à espera de ouvir Yellen

As bolsas europeias estão a negociar em alta, com o mercado à espera de conhecer os dados da inflação na Zona Euro e EUA, e de ouvir Yellen. O petróleo também segue no verde, tal como o euro, que recupera de oito sessões de perdas.
Abertura dos mercados: Bolsas europeias e euro em alta à espera de ouvir Yellen
Bloomberg
Rita Faria 17 de Novembro de 2016 às 09:17

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,48% para 4.416,13 pontos

Stoxx 600 ganha 0,24% para 339,27 pontos

Nikkei encerrou inalterado nos 17.862,63 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 2,1 pontos base para 3,652%

Euro soma 0,28% para 1,0721 dólares

Petróleo em Londres ganha 0,30% para 46,77 dólares o barril

 

Bolsas europeias sobem à espera de Yellen

As bolsas europeias estão a negociar em alta, com os investidores à espera de conhecer os dados da inflação na Zona Euro e nos Estados Unidos, e de ouvir a presidente da Fed, Janet Yellen, que discursa em Washington esta quinta-feira, 17 de Novembro, pela primeira vez desde que Donald Trump venceu as eleições presidenciais. É um discurso que assume especial relevo numa altura em que o mercado dá quase como certo que a Fed vai subir os juros em Dezembro.

 

No Japão, o Topix encerrou em máximos de Fevereiro, depois de o Banco do Japão ter anunciado um programa de compra de dívida soberana, sem limites, para conter a subida das ‘yields’.

No plano nacional, o PSI-20 soma 0,48% para 4.416,13 pontos, animado sobretudo pelo grupo EDP. A empresa mãe valoriza 1,62% para 2,69 euros, enquanto a EDP Renováveis ganha 0,98% para 5,993 euros. 

Juros descem em toda a Europa

Os juros das obrigações soberanas estão a descer na generalidade dos países do euro, depois de várias sessões de agravamento, na sequência da vitória de Trump nas eleições dos Estados Unidos. Em Portugal, a ‘yield’ associada às obrigações a dez anos cai 2,1 pontos base para 3,652%, depois de ter atingido ontem o valor mais elevado desde 24 de Junho, no rescaldo do Brexit.

 

Na Alemanha, os juros da dívida a dez anos descem 2,6 pontos para 0,271%, e em Espanha aliviam 2,1 pontos para 1,522%.

 

Dólar cai pela primeira vez em nove sessões

O índice que mede o desempenho do dólar face às principais congéneres mundiais está a descer, aliviando de oito sessões consecutivas de ganhos, em que a moeda norte-americana foi impulsionada pela expectativa de que a política expansionista de Trump vai acelerar o crescimento económico e a inflação.

 

O euro sobe 0,23% para 1,0716 dólares, depois de ter atingido ontem o valor mais baixo desde Dezembro de 2015.

 

Petróleo sobe animado pela expectativa de acordo da OPEP

O petróleo está a negociar em alta nos mercados internacionais, animado pela expectativa de que os membros da OPEP vão chegar a um entendimento sobre a implementação do acordo alcançado em Setembro para reduzir a produção e estabilizar os preços.

 

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, sobe 0,37% para 45,74 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, soma 0,30% para 46,77 dólares.

 

Segundo o ministro russo da Energia, Alexander Novak, a Rússia vai reunir-se com representantes da OPEP esta quinta-feira, havendo uma forte possibilidade de o país apoiar o acordo do cartel para cortar a oferta.

 

Ouro valoriza à espera de sinais da Fed

O ouro segue em alta esta quinta-feira, contrariando a evolução do dólar norte-americano, à espera das pistas que Yellen dará no seu discurso em Washington. O metal precioso tem oscilado entre ganhos e perdas, depois da forte queda de 5,9% - a maior desde 2013 – registada na semana passada, na sequência do resultado das eleições nos Estados Unidos. O ouro ganha 0,31% para 1.228,84 pontos, enquanto a prata sobe 0,49% para 17,0633 dólares. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

COFINA: SUPER ATRATIVA AO PREÇO ATUAL:
Com 3,6 M€ de lucros nos 9M2016, que dá 4,8 M€ estimados para o final do ano, corresponde a 0,0468 de lucro anual por cada uma das 102,56 milhões de açoes, ou seja um PER=5,51 (0,258 cotação de ontem/0,0468).Super barata! E,muito perto do mínimo anual (0,242).

pub
pub
pub
pub