Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas europeias e petróleo em alta

Abertura dos mercados: Bolsas europeias e petróleo em alta

As principais praças europeias estão a negociar sobretudo em terreno positivo, impulsionadas pelos resultados de empresas. Os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais. Os juros nacionais descem.
Abertura dos mercados: Bolsas europeias e petróleo em alta
Bloomberg
Ana Laranjeiro 25 de Outubro de 2016 às 09:33
Os mercados em números
PSI-20 desce 0,14% para 4.733,97 pontos
Stoxx 600 sobe 0,33% nos 345,38 pontos
Nikkei subiu 0,76% para 17.365,25 pontos
"Yield" a 10 anos de Portugal cede 1,8 pontos base para 3,134%
Euro sobe 0,05% para 1,0887 dólares
Petróleo sobe 0,60% para 51,77 dólares por barril em Londres

Bolsas europeias com sinal mais
As principais praças europeias estão a negociar com sinal positivo, depois de dois dias em queda. O comportamento das acções europeias está a ser suportado pelos resultados de empresas que estão a impulsionar o optimismo dos investidores acerca da saúde das empresas da região.No Velho Continente, o britânico Footsie lidera os ganhos, ao subir 0,52%, seguido pelo germânico DAX, que cresce 0,48%. O Stoxx 600, índice de referência, cresce 0,33%. O PSI-20 cede 0,14%, penalizado nomeadamente pelas acções do BCP e da EDP Renováveis. O BCP recua 0,23% para 1,302 euros na segunda sessão após a fusão de acções. E a EDP Renováveis desce 0,75% para 7,061 euros.

Juros abaixo dos 3,2%
Os juros da dívida pública nacional estão a recuar no mercado secundário. No prazo a dez anos, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si descem 1,8 pontos base para 3,134%. Esta evolução dos juros nacionais tem lugar depois de na última sexta-feira, a agência de "rating" canadiana DBRS ter mantido a notação de Portugal.No caso da dívida alemã a dez anos, os juros descem 0,7 pontos base para 0,017%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 309,0 pontos.

Dólar em queda
A moeda norte-americana tem estado a subir, nomeadamente face ao euro, depois de a Reserva Federal dos Estados Unidos ter limitado as subidas das taxas de juro a uma por ano, de acordo com uma das maiores gestoras do mundo. Porém, por esta altura há uma ligeira inversão da tendência com o euro a somar 0,05% para 1,0887 dólares.

Petróleo no verde
Os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais numa altura em que o Secretário-Geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) se dirige para Bagdad (Iraque) para tentar resolver o impasse sobre produção petrolífera. Este exportador da matéria-prima ameaçou colocar em causa o acordo para estabilizar o mercado, pois pode ser dispensado do corte de produção. O ministro do petróleo, Jabbar Al-Luaibi, afirmou, no domingo, que o Iraque pode ser excluído dos cortes de produção uma vez que está a ser confrontado com a guerra com os militares islâmicos.O West Texas Intermediate soma 0,71% para 50,88 dólares por barril. O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, avança 0,60% para 51,77 dólares por barril.

Índia leva ouro a subir
Os preços do ouro estão a subir numa altura em que o mercado avalia as perspectivas de um aumento da procura por parte da Índia, o segundo maior utilizador do mundo deste metal. O festival Diwali, de acordo com a Bloomberg, está a aproximar-se o que pode ditar um crescimento na procura do "metal amarelo" neste país. Por esta altura, o ouro para entrega imediata sobe 0,31% para 1.268,41 dólares por onça. 



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub