Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, euro em mínimo de Janeiro

Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, euro em mínimo de Janeiro

Na semana seguinte à eleição de Donald Trump as bolsas estão optimistas e começaram o dia a negociar em alta. Já o euro cai pela sexta sessão seguida face ao dólar para mínimos de Janeiro. Ouro e prata seguem em mínimos de cinco meses.
Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, euro em mínimo de Janeiro
David Santiago 14 de Novembro de 2016 às 09:29

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,64% para 4.405,14 pontos

Stoxx 600 valoriza 1,28% para 341,83 pontos

Nikkei somou 1,71% para 17.672,62 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 7,0 pontos para 3,554%

Euro recua 0,91% para 1,0757 dólares

Petróleo em Londres inalterado nos 44,75 dólares o barril

 

Bolsas europeias sobem mais 1%

As principais praças europeias continuam a negociar em alta neste início de sessão, com o índice de referência europeu Stoxx 600 a ganhar 1,28% para 341,83 pontos. A apoiar estes ganhos está em especial a banca europeia que sobe 1,69% e o dos recursos básicos que avança 2,31%.

 

A bolsa italiana (+1,50%), o índice francês CAC40 (+1,31%) e o alemão DAX (+1,21%) lideram os ganhos no Velho Continente. Já a PSI-20 cresce 0,64% para 4.405,14 pontos, apoiado pelos ganhos do grupo EDP e do BCP.

 

Juros portugueses a dez anos em máximos de um mês

Os juros da dívida portuguesa estão a subir em todas as maturidades, acompanhando a tendência que se estende à generalidade dos países do euro, designadamente os periféricos. A ‘yield’ associada às obrigações portuguesas a dez anos sobe 7,0 pontos para 3,554%, o valor mais alto desde 7 de Outubro.

 

Em Itália os juros das obrigações com prazo a dez anos sobem 7,7 pontos base pata 2,096% e na Alemanha a subida é de 4,1 pontos base pata 0,349%.

 

Euro em mínimo de Janeiro face ao dólar

O euro está a negociar em mínimos de Janeiro face ao dólar norte-americano. A divisa europeia segue a cair 0,91% para 1,0757 dólares numa altura em que a moeda dos Estados Unidos está a valorizar pela sexta sessão consecutiva num momento em que os mercados acreditam que as políticas económicas do presidente eleito Donald Trump irão ser benéficas para a maior economia mundial.

 

Trata-se mesmo da mais longa série de perdas do euro relativamente ao dólar desde Maio passado.

 

Petróleo praticamente inalterado

O preço do petróleo está praticamente inalterado nos mercados internacionais neste início de sessão. Depois de na última sessão ter transaccionado em mínimos de Agosto, o Brent do Mar do Norte, negociado em Londres e utilizado como valor de referência para as importações nacionais, está a inalterado nos 44,75 dólares.

 

Já em Nova Iorque o West Texas Intermediate (WTI), que na sexta-feira esteve em mínimos de Setembro, segue a ceder 0,28% para 43,29 dólares.

 

Ouro e prata em mínimos de cinco meses

Ao contrário do dólar o ouro e a prata estão em forte queda na manhã desta segunda-feira, estando mesmo a negociar, respectivamente, nos valores mais baixos desde Junho.

 

O ouro cai 0,49% para 1.221,57 dólares por onça, um mínimo de 3 de Junho, enquanto a prata resvala 0,45% para 17.2900 dólares.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Quando as obrigações a 10 anos atingirem 7% game over!

Anónimo Há 3 semanas

Um desastre chamado Centeno...e su muchacho Costa : agora, até os Gregos fazem melhor figura que nós !

Anónimo Há 3 semanas

O Monhé conseguiu fazer crescer a Taxa a 10 Anos 50% num ano! É obra! E calma que o ano ainda nao acabou, e aos 4% faz-se o chocapic!

pub