Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, juros em queda

Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, juros em queda

As principais bolsas europeias estão a negociar em alta, numa altura em que os investidores estão de olhos postos na Catalunha e na época de resultados nos EUA. Os juros da dívida estão em queda em semana de nova emissão de dívida e de Orçamento do Estado.
Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, juros em queda
Ana Laranjeiro 09 de outubro de 2017 às 09:33

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,40% para 5.416,80 pontos

Stoxx 600 ganha 0,23% para 390,37 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recuam 3,5 pontos base para 2,379%

Euro desliza 0,01% para 1,1730 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,23% para 55,75 dólares por barril

Bolsas em alta

As principais bolsas europeias estão a negociar em alta, num altura em que os investidores estão de olhos postos na Catalunha – o presidente do Governo regional vai ao Parlamento e pode declarar a independência da região. A captar a atenção dos investidores estará também o arranque da época de resultados nos Estados Unidos da América.

Na Europa, nota ainda para o início de mais uma ronda de negociações para o Brexit. Esta será a última ronda antes da cimeira europeia de 19 e 20 de Outubro. Até aqui, os dois lados – a União Europeia e o Reino Unido - têm revelado posições diferentes. Após o fim da quarta ronda de negociações, as posições tornadas públicas reflectiam diferenças claras. Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, à entrada para uma cimeira na Estónia, adiantou que só por "milagre" é que haverá até final de Outubro progressos suficientes nas negociações com o Reino Unido sobre o Brexit que permitam iniciar a discussão sobre a futura relação. Theresa May dizia que estava "satisfeita por as negociações terem conhecido progressos".


Esta segunda-feira, realiza-se também um encontro dos ministros das Finanças da Zona Euro. Em cima da mesa vai estar o programa de ajustamento a Portugal e o futuro do Mecanismo Europeu de Estabilidade.

A liderar os ganhos na Europa está o espanhol IBEX e o principal índice grego, ambos a subir 0,62%, seguidos pelo principal índice holandês, que sobe 0,37%. O Stoxx 600, índice de referência, sobe 0,23%.

 

Juros em queda

Os juros da dívida pública portuguesa estão a cair no mercado secundário. A dez anos, o prazo de referência, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre desce 3,5 pontos base para 2,379%. Na próxima quarta-feira, o Tesouro português vai ao mercado com uma emissão de dívida a cinco e a dez anos. E vai tentar captar até 1.250 milhões de euros. Além disso, no final desta semana, o Governo português vai apresentar o Orçamento do Estado para o próximo ano.

Os juros da dívida da Alemanha, a dez anos cedem 0,6 pontos base para 0,453%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 192,9 pontos.

Libra em alta

A moeda britânica está a valorizar face ao euro, pela primeira vez em sete sessões, impulsionada pela expectativa dos investidores que o Banco de Inglaterra vá apertar a sua política monetária a um ritmo mais célere do que anteriormente esperado.

O jornal Times noticiou, de acordo com a Bloomberg, que o gabinete britânico de estatísticas cometeu um erro. Ou seja, os custos laborais estimados no segundo trimestre foram mais elevados que foi divulgado. Um comunicado a rectificar esta situação, indicando precisamente estes custos mais elevados, deve ser emitido esta segunda-feira. Esta notícia está assim a impulsionar a libra, dado que o mercado acredita que a autoridade monetária ganha margem para subir os juros antes do previsto.

O euro desce 0,39% para 0,89462 libras. Face ao dólar, a moeda da Zona Euro desliza 0,01% para 1,1730 dólares.

Petróleo com ganhos ligeiros

Esta segunda-feira, o secretário-geral da OPEP, Mohammad Barkindo, disse que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) está a ter sucesso na estratégia de reequilibrar o mercado petrolífero, mas adiantou que terão que ser tomadas mais medidas.

"Há um consenso crescente que, em primeiro lugar, o processo de reequilíbrio do mercado [petrolífero] está em andamento. Em segundo lugar, que para isto ser sustentável ao longo do próximo ano, algumas medidas extraordinárias têm que ser adoptadas de modo a restaurar esta estabilidade duma forma sustentável", afirmou Barkindo depois de um encontro com o ministro do petróleo da Índia.

Esta indicação de que terão de ser adoptadas "medidas extraordinárias" está a impulsionar os preços do petróleo. O West Texas Intermediate ganha 0,51% para 49,54 dólares por barril. O Brent do Mar do Norte, referência para o mercado nacional, cresce 0,23% para 55,75 dólares por barril.

Ouro em alta pela segunda sessão

A cotação do ouro está a subir pela segunda sessão, numa altura em que os investidores avaliam a possibilidade de a Reserva Federal dos EUA subir novamente as taxas de juro antes do final deste ano. Além disso, os investidores avaliam as tensões entre os Estados Unidos e a Turquia e também entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

O ouro, para entrega imediata, ganha 0,30% para 1.280,53 dólares por onça.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
o MILENIUM BCP vai TRIPLICAR 09.10.2017

O MILENIUM BCP hoje pareçe um RELOGIO a TRABALHAR a quaquer momento irá disparar e só irá parar nos 0.33 os RATINGS do BCP e de PORTUGAL vão voltar a subir já no dia 20 de outubro E os LUCROS já TRIPLICARAM em relação ao 2º trimestre

pub