Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, petróleo avança e ouro trava ganhos

Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, petróleo avança e ouro trava ganhos

Os ganhos da banca italiana evidenciam-se entre as acções europeias que avançam no início desta semana. O preço do ouro negro recupera pela terceira sessão, enquanto a libra ganha pelo quarto dia consecutivo.
Abertura dos mercados: Bolsas europeias em alta, petróleo avança e ouro trava ganhos
Bloomberg

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,67% para 5.235,70 pontos

Stoxx 600 ganha 0,55% para 389,75 pontos

Nikkei valorizou 0,10% para 20.153,35 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos caem 1 ponto base para 2,914%

Euro avança 0,01% para 1,1194 dólares

Petróleo em Londres ganha 1,16% para 46,07 dólares o barril

Banca dá gás à Europa
Os títulos do sector financeiro são dos que mais impulsionam as praças europeias para ganhos, sobretudo no índice italiano, onde os papéis da banca ganham mais de 2% com os investidores a aplaudirem a solução encontrada pelo Estado transalpino para resgatar duas instituições financeiras com a injecção de um montante que pode ir até aos 17 mil milhões de euros.

Em Lisboa o BCP acompanha a tendência de ganhos nas pares do Velho Continente e sobe mais de 1,5%, sendo em conjunto com a Galp e as retalhistas Jerónimo Martins e Sonae as que mais contribuem para que a praça portuguesa descole de mínimos de um mês e de quatro sessões de perda.

Juros recuam pela segunda sessão
A partilhar a tendência da maioria dos países do Sul do euro - onde os juros da dívida transaccionam entre alívios e agravamentos ligeiros - as 'yields' de Portugal em mercado secundário cedem, no que diz respeito ao prazo a dez anos, pela segunda sessão consecutiva. Já o risco da dívida - prémio em relação aos juros das obrigações germânicas a 10 anos - está estável nos 266,91 pontos-base.

Só em Itália - onde foi apresentada a solução de resgate aos bancos - a tendência é de alívio generalizado que se estende a todos os prazos.

Petróleo sobe, mas está a caminho da maior queda em quase um ano
O preço do barril de petróleo continua o movimento de recuperação - soma valor pelo terceiro dia - depois de perdas motivadas por receios de sobreprodução mundial e excesso de inventários. Ainda assim, e depois de ter entrado em "bear market", vai a caminho de fechar o mês de Junho com a pior queda em quase um ano - desde Julho do ano passado -, de acordo com dados da Bloomberg.

"À medida que os preços se mantiverem baixos, certamente algumas destas empresas vão começar a ajustar a suas previsões de despesas e investimento e isso, lentamente, começará a trazer algum equilíbrio ao mercado,"
disse Kerry Craig, da JPMorgan Asset Management, àquela agência noticiosa.

Libra valoriza pelo quarto dia face ao dólar


A divisa britânica está a ganhar terreno contra o dólar pela quarta sessão seguida no dia em que a primeira-ministra Theresa May apresentará mais detalhadamente a proposta que fará à União Europeia sobre os direitos dos cidadãos europeus a residir no Reino Unido.

 

No Conselho Europeu da semana passada, alguns dos principais dirigentes europeus mostraram-se insatisfeitos relativamente às primeiras propostas de May sobre a matéria. A libra segue a apreciar 0,21% para 1,2745 dólares.

 

Nota ainda para o euro que valoriza pelo segundo dia face ao dólar, estando nesta altura a subir ligeiros 0,04% para 1,1198 dólares nos mercados cambiais.  

Ouro e prata em máximos de mais de um mês

 

Tanto o ouro como a prata estão a negociar nos valores respectivos mais elevados em mais de um mês. No entanto, depois de ter tocado em máximos de 16 de Maio o metal dourado está agora a perder 1,02% para 1.243,92 dólares por onça.

 

Também a prata está a perder 1,43% para 16,4740 dólares.

 

A valorização do ouro está a ser potenciada pela perspectiva de uma subida gradual dos juros nos Estados Unidos.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
GLINTT 26.06.2017

VIVA, VIVA A MARTIFER teve 40milhões de prejuizo e já sobe quase 6%, este ano sobe 100% e a GLINTT 20%.

GLINTT 26.06.2017

A GLINTT corrigiu 19% nos últimos tempos, motivado por mãos fracas e impacientes, mas não por "VENDAS A DESCOBERTO", tem poucas acções no mercado para isso, é bom, não há pressão vendedora fictícia (CASINO), portanto vão uns e vem outros com dinheiro.

GLINTT 26.06.2017

A nossa tecnológica GLINTT vai ser a próxima a duplicar, as campeãs de prejuízos já subiram 120% e a GLINTT que dá lucro e já foi alvo de OPA subiu 20%. Pode ser alvo de outra OPA da Farminveste para a tirar da Bolsa. Mas deviam agora pagar 1€ cada acção. Já valeu 5€ em 2004.

pub