Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas mistas, euro em alta e juros sobem com excepção de Portugal

Abertura dos mercados: Bolsas mistas, euro em alta e juros sobem com excepção de Portugal

A última sessão do ano está a ser marcada por variações ligeiras nas bolsas, pela subida do euro, que se prepara para registar o melhor ano desde 2003, e por um aumento dos juros na Europa. Excepto em Portugal, onde as taxas voltam a descer, ainda que de forma ténue.
Abertura dos mercados: Bolsas mistas, euro em alta e juros sobem com excepção de Portugal
Bloomberg

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,10% para 5.363,26 pontos

Stoxx 600 subiu 0,06% para 389,79 pontos

Nikkei desvalorizou 0,08% para 22.764,94 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos recuam 0,4 pontos base para 1,904%

Euro sobe 0,26% para 1,1973 dólares

Petróleo avança 0,38% para 66,41 dólares por barril em Londres

 

Bolsas sem rumo definido na última sessão do ano

As bolsas europeias estão a negociar sem tendência definida esta sexta-feira, 29 de Dezembro, a última sessão bolsista de 2017. Os principais índices estão divididos entre ganhos e perdas pouco acentuadas, o que se explica também pela baixa liquidez, como é habitual na semana entre o Natal e a passagem de ano, devido à ausência de muitos investidores do mercado.

 

Depois da subida ligeira registada na sessão de ontem, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,06% para 389,79 pontos.

 

A praça de Milão desce 0,23%, um dia depois de o presidente ter dissolvido o Parlamento e de o Governo ter marcado eleições para 4 de Março. As bolsa de Amesterdão, Frankfurt, Madrid e Lisboa também seguem com sinal vermelho, enquanto Atenas e Londres negoceiam em alta.

 

Em Lisboa, o PSI-20 desliza 0,10% para 5.363,26 pontos, penalizado sobretudo pela Galp Energia, que desce 0,64% para 15,455 euros. 

 

Juros sobem na Europa. Portugal é excepção

As taxas de juro estão a subir um pouco por toda a Europa, com excepção de Portugal. As variações são muito ligeiras, com a taxa implícita na dívida a 10 anos de Portugal a descer apenas 0,4 pontos base para 1,904%, enquanto a da Alemanha sobe 0,5 pontos base para 0,430%. Em alta está também a taxa a 10 anos de Itália, ao subir 1,3 pontos base para 1,969%, depois de ontem ter sido confirmada a convocação de eleições no país. 4 de Março será o dia em que decorerrão as eleições italianas. 
  

Euro sobe e negoceia acima de 1,19 dólares

O euro está a subir contra o dólar, mantendo a tendência dos últimos dias. No acumulado do ano, a moeda única europeia está a subir quase 14% contra a divisa americana, o que corresponde ao melhor ano desde 2003.

 

Petróleo em alta com descida das reservas

O petróleo está a negociar em alta nos mercados internacionais, impulsionado pela descida das reservas de crude nos Estados Unidos.

 

Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate (WTI) ganha 0,52% para 60,15 dólares, enquanto em Londres o Brent sobe 0,38% para 66,41 dólares. Em ambos os casos, são cotações próximas de máximos de meados de 2015.

 

Na quinta-feira, a Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos revelou que as reservas diminuíram em 4,6 milhões de barris na semana passada para o nível mais baixo desde Outubro de 2015, uma queda que superou as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg, que apontavam para um decréscimo de 3,75 milhões.    

 

Ouro sobe à boleia da queda do dólar. Bitcoin regressa aos ganhos
O ouro está de novo em alta, apreciando 1,7% para 1.295,99 dólares por onça. A subida está relacionada sobretudo com a queda do dólar, com os investidores a refugiarem-se em activos como o ouro. 

Já a bitcoin, que no acumulado do ano sobe cerca de 1.500%, está a subir esta sexta-feira mais de 4%, voltando a aproximar-se dos 15.000 dólares. No último mês esta criptomoeda tem registado oscilações acentuadas, passando de fortes ganhos para perdas igualmente expressivas. Estas últimas provocadas essencialmente pelos alertas emitidos por entidades e autoridades sobre a potencial bolha que se está a formar, o que acabou por deixar os investidores mais apreensivos.




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

O investimento relacionado com a economia portuguesa, maioritariamente estrangeiro mas também de origem nacional, deslocou-se para a especulação com a dívida uma vez que a mentira de Centeno pegou. Agora, as mais-valias com a dívida vão realizar-se mas o novo investimento aqui direccionado vai mudar-se para as economias que, indo ao revés da fantasia enganosa de Centeno, fizeram e continuam a fazer reformas sérias e oportunas com vista à flexibilização, modernização e liberalização dos mercados de factores e de bens e serviços de modo a poderem optimizar a criação de valor nessas economias de forma justa e sustentável. Poortugal das esquerdas unidas resume-se a uma grande oportunidade de cariz especulativo com a dívida da República Portuguesa, o bitcoin das dívidas soberanas. Cuidado quando os especuladores começarem a despejar quer o bitcon quer os títulos da dívida portuguesa.

comentários mais recentes
RE : MAIS VOTADO Anónimo, Há 3 semanas

Não tragas para aqui a questão da Esquerda ou da Direita.
Antes de sermos de Esquerda ou de Direita, somos todos Portugueses, em grande maioria, clientes da grande Casa que Tu (suponho ) diriges,
e, como Tu, com preocupações quanto ao futuro dos nossos Filhos e ao nosso Futuro daqui a uns anos.
Aproveita a tua situação para fazeres o que podes e o melhor que podes, pelos teus clientes, pelos Portugueses e pelo País em geral, e pelos teus colaboradores.
E…Bom Ano !

Anónimo Há 3 semanas

Fiquem-se pela BlackRock. Deixem o BCP para o papalvo.

Anónimo Há 3 semanas

No Norte da Europa já estão a preparar-se em consonância com a realidade. Já em Poortugal... a bandalheira delirante do costume, como se a criação de valor se desse por decreto eleitoralista e a extracção do mesmo não fosse o maior cancro da economia e da sociedade. "Disappearing bank jobs won't be coming back: Nordea CEO" www.businesstimes.com.sg/banking-finance/disappearing-bank-jobs-wont-be-coming-back-nordea-ceo

surpreso Há 3 semanas

As habituais mentiras deste pasquim.Os juros das obrigações a 10 anos têm vindo a subir,desde há dias e hoje,o salto já é de 2,74 porcento

ver mais comentários