Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas prolongam optimismo de Wall Street. Petróleo e euro sobem

Abertura dos mercados: Bolsas prolongam optimismo de Wall Street. Petróleo e euro sobem

As bolsas europeias estão a negociar em alta pela segunda sessão, depois de os principais índices bolsistas dos EUA terem atingido novos máximos históricos. O petróleo segue animado pelo acordo da OPEP e o euro recupera das fortes quedas.
Abertura dos mercados: Bolsas prolongam optimismo de Wall Street. Petróleo e euro sobem
Bloomberg
Rita Faria 22 de Novembro de 2016 às 09:27

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,21% para 4.447,77 pontos

Stoxx 600 ganha 0,67% para 342,52 pontos

Nikkei valorizou 0,31% para 18.162,94 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 7,1 pontos para 3,640%

Euro avança 0,05% para 1,0635 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,39% para 49,09 dólares o barril

 

Bolsas europeias prolongam optimismo de Wall Street

As bolsas europeias estão a negociar em alta esta terça-feira, 22 de Novembro, prolongando o optimismo da sessão norte-americana, em que os quatro principais índices – Dow Jones, Nasdaq, S&P 500 e Russell 2000 – atingiram recordes simultaneamente pela primeira vez desde 1999.  

 

O índice de referência para a Europa, Stoxx 600 ganha 0,67% para 342,52 pontos, animado pelas empresas do sector da mineração e energia.

 

Por cá, o PSI-20 sobe 0,21% para 4.447,77 pontos, impulsionado sobretudo pela Galp Energia, que avança 0,55% para 12,735 euros.

 

Juros aliviam na Europa

Os juros da dívida portuguesa estão a aliviar em todas as maturidades, acompanhando a tendência que se estende à generalidade dos países do euro. Depois de terem atingido máximos de Fevereiro acima de 3,9%, os juros das obrigações portuguesas a dez anos descem 7,1 pontos para 3,640%.

 

Em Espanha, a yield da dívida a dez anos cai 6,8 pontos para 1,542%, enquanto na Alemanha a queda é de 3,0 pontos para 0,245%.

 

Dólar desce pela segunda sessão

O índice que mede a força do dólar norte-americano face às principais congéneres mundiais está a descer pelo segundo dia consecutivo, aliviando dos fortes ganhos nas dez sessões anteriores.

 

O dólar esteve a ser impulsionado pela expectativa de que as políticas de Trump vão impulsionar o crescimento económico e a inflação. Essa mesma expectativa levou as apostas na subida dos juros da Fed em Dezembro para 100% esta terça-feira.

 

Petróleo em máximos de mais de três semanas

O petróleo já atingiu esta terça-feira o valor mais alto em quase um mês, devido aos sinais de progresso nas negociações entre os membros da OPEP para finalizar o acordo que prevê a redução da oferta do cartel.

 

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, ganha 0,31% para 48,39 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, valoriza 0,39% para 49,09 dólares.

Ouro e prata em alta

O metal precioso está a negociar em alta pela segunda sessão, contrariando a evolução do dólar norte-americano, que interrompeu esta semana uma série de dez sessões de fortes ganhos.


O ouro ganha 0,3% para 1.217,85 dólares por onça, enquanto a prata valoriza 1,69% para 16,8728 dólares.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Kerryn Há 1 semana

Right onthi-s helped me sort things right out.

pub