Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas seguem optimismo global e juros de Portugal voltam a baixar os 2%

Abertura dos mercados: Bolsas seguem optimismo global e juros de Portugal voltam a baixar os 2%

As bolsas europeias estão a valorizar depois de quatro sessões de perdas, com o PSI-20 na liderança, no valor mais alto desde 2015. O euro alivia de máximos de Setembro e o ouro cai após oito sessões de ganhos.
Abertura dos mercados: Bolsas seguem optimismo global e juros de Portugal voltam a baixar os 2%
Reuters
Rita Faria 03 de janeiro de 2018 às 09:24

Os mercados em números

PSI-20 sobe 1,14% para 5.531,80 pontos

Stoxx 600 ganha 0,41% para 389,94 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 1,2 pontos para 1,997%

Euro recua 0,16% para 1,2040 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,05% para 66,60 dólares o barril

Bolsas europeias acompanham optimismo global

As bolsas europeias estão a negociar em alta esta quarta-feira, 3 de Janeiro, depois de três sessões consecutivas de perdas, seguindo o optimismo da sessão asiática e norte-americana. Em Wall Street, os grandes índices bateram novos recordes na sessão de ontem, enquanto as acções asiáticas tiveram o melhor arranque de ano desde 2013.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,41% para 389,94 pontos, numa altura em que o português PSI-20 lidera as subidas. O principal índice português sobe 1,14% para 5.531,80 pontos, o valor mais elevado desde Novembro de 2015.

Em Lisboa, é o BCP e os CTT que se destacam nos ganhos. O banco liderado por Nuno Amado avança 3,32% para 28,93 cêntimos – o valor mais elevado desde Agosto de 2016 – enquanto os CTT somam 2,81% para 3,738 euros, a beneficiar da notícia de que a empresa vai encerrar 22 lojas, um medida que faz parte do seu plano de reestruturação, com vista à redução de custos.

Juros da dívida portuguesa a dez anos abaixo de 2%

Os juros da dívida portuguesa a dez anos estão a descer, depois de cinco sessões consecutivas de ganhos que os levaram a superar ontem a barreira dos 2%. O agravamento recente é não só uma correcção das descidas verificadas após a melhoria do rating pela Fitch, em Dezembro, como uma reacção à crescente expectativa de que a recuperação europeia levará o BCE a normalizar a política monetária mais cedo.

A ‘yield’ associada às obrigações portuguesas a dez anos cai 1,2 pontos para 1,997%, acompanhando a tendência que se estende à generalidade dos países do euro.

Em Espanha, os juros descem 3,2 pontos para 1,582%, em Itália aliviam 2,1 pontos para 2,074% e na Alemanha recuam 1,1 pontos para 0,456%. 

Euro alivia de máximos de Setembro

A moeda única europeia está a negociar em baixa face ao dólar, depois de ter atingido ontem o valor mais alto desde Setembro, animada por dados que apontam para um crescimento recorde na actividade manufactureira da Zona Euro em Dezembro.

Já o dólar está a recuperar de cinco sessões consecutivas de perdas face às principais congéneres mundiais, que o arrastaram para mínimos de três meses.

Nesta altura, o euro recua 0,16% para 1,2040 dólares.

Petróleo pouco alterado à espera das reservas

O petróleo está pouco alterado nos mercados internacionais, ainda que a negociar próximo do valor mais alto em mais de dois anos, antes de serem divulgados os dados das reservas de crude dos Estados Unidos.

Segundo a Bloomberg, os números da Administração de Informação de Energia, deverão mostrar que as reservas caíram pela sétima semana consecutiva, o que deverá animar ainda mais os preços da matéria-prima.

Nesta altura, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, ganha 0,10% para 60,43 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, sobe 0,05% para 66,60 dólares.

Ouro toca máximos de mais de três meses

O metal amarelo está em queda ligeira, depois de oito sessões consecutivas de ganhos, apesar de já ter tocado esta manhã no valor mais elevado em mais de três meses. O ouro tem beneficiado da queda do dólar, o que lhe dá mais protagonismo entre os activos de refúgio.

O ouro cai 0,25% para 1.314,31 dólares, enquanto a prata desce 0,36% para 17,1285 dólares.  




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
O SANTANDER VAI ENGOLIR o bcp Há 2 semanas

não se esqueçam que o MONTEPIO estava FALIDO e em INSOLVÊNCIA e foi OPADO por 1 EURO por AÇÃO

pub