Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas sem definição enquanto euro e petróleo sobem

Abertura dos mercados: Bolsas sem definição enquanto euro e petróleo sobem

As principais bolsas europeias negoceiam sem tendência definida nesta que é a última semana completa de negociação. O petróleo sobe e o euro valoriza numa altura em que as tensões políticas entre a China e os EUA pressionam o dólar.
Abertura dos mercados: Bolsas sem definição enquanto euro e petróleo sobem
Reuters
Ana Laranjeiro 19 de dezembro de 2016 às 09:46

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,31% para 4.642,21 pontos

Stoxx 600 desce 0,26% para 359,10 pontos

Nikkei desvalorizou 0,05% para 19.391,60 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos desce 3,7 pontos para 3,765%

Euro valoriza 0,12% para 1,0463 dólares

Petróleo em Londres cresce 0,49% para 55,48 dólares

 

Bolsas europeias sem tendência

As principais bolsas europeias estão a negociar sem uma tendência definida nesta primeira sessão da semana. Esta evolução tem lugar na que é a última semana completa de negociação do ano. A liderar as quedas no Velho Continente está o principal índice grego, que recua 1,56%, seguido pelo espanhol Ibex 35, que perde 0,51%. O Stoxx 600, índice de referência, desce 0,26%.

Por outro lado, em alta, destaque para o principal índice holandês, que soma 0,37%, e para o PSI-20. O principal índice de bolsa de Lisboa soma 0,31%, impulsionado pelas acções dos CTT (somam 1,11% para 6,365 euros) e da Nos (que avançam 0,61% para 5,639 euros).

 

Juros em queda

Os juros da dívida pública portuguesa estão a recuar no mercado secundário. A dez anos, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si recuam 3,7 pontos base para 3,765%. Esta evolução ocorre depois do agravamento registado na semana passada.

Entre os restantes países periféricos verifica-se também um alívio. No caso da dívida espanhola, as "yields" descem 1,5 pontos base para 1,410%. E no caso da dívida italiana, os juros descem 0,7 pontos base para 1,866%%.

A dívida alemã a dez anos no mercado secundário soma 0,6 pontos base para 0,320%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 339,4 pontos.


Euro em alta

A moeda da Zona Euro está a valorizar face ao dólar, estando, por esta altura, a somar 0,12% para 1,0463 dólares. O dólar está a desvalorizar face às principais congéneres depois a notícia de que um navio da marinha chinesa capturou um drone submersível norte-americano.

O drone foi capturado no mar do Sul da China, em águas internacionais, o que provocou crispação com as autoridades norte-americanas, com o Pentágono a solicitar a imediata restituição daquele aparelho não tripulado. Depois destas notícias, os investidores avaliam o intensificar das tensões entre a China e os Estados Unidos, o que está a pressionar a divisa norte-americana.


Brent acima dos 55 dólares

Os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais, numa altura em que está em ponto incerto a perspectiva de uma subida da produção de petróleo por parte da Líbia, e após as tensões continuadas entre os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

O West Texas Intermediate soma 0,62% para 52,22 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, sobe 0,49% para 55,48 dólares por barril.


Ouro sobe com desvalorização do dólar

O ouro está a valorizar beneficiando da queda da moeda norte-americana. Quando a moeda norte-americana está em queda muitas vezes as matérias-primas denominadas em dólares apreciam. Ainda a marcar a negociação do ouro está, de acordo com a Bloomberg, um indicador técnico que mostra que a recente saída dos investidores da matéria-prima foi excessiva.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 19.12.2016

CTT CTT CTT
O melhor dividendo da bolsa, muitos institucionais vão entrar para agarrá-lo até maio.
Banco em rápido crescimento, milhares fartos de ser roubados em comissões na restante banca já lá abriram conta.
e mais não digo

pub
pub
pub
pub