Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas sem rumo com investidores a olhar para a Catalunha e dados económicos

Abertura dos mercados: Bolsas sem rumo com investidores a olhar para a Catalunha e dados económicos

As principais bolsas do Velho Continente estão a negociar sem um rumo definido, numa altura em que a situação na Catalunha continua presente no mercado e os investidores aguardam por dados económicos.
Abertura dos mercados: Bolsas sem rumo com investidores a olhar para a Catalunha e dados económicos
Ana Laranjeiro 06 de outubro de 2017 às 09:25

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,3% para 5.429,33 pontos

Stoxx 600 cede 0,10% para 390,62 pontos

Nikkei valorizou 0,30% para 20.690,71 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal sobe 2,4 pontos base para 2,426%

Euro desce 0,20% para 1,1688 dólares

Petróleo avança 0,09% para 57,05 dólares por barril

Bolsas sem direcção

As principais bolsas europeias estão a negociar sem uma tendência definida nesta manhã de sexta-feira, 6 de Outubro. Este comportamento das bolsas europeias tem lugar num dia em que os receios em torno da situação na Catalunha continuam presentes no mercado. Ontem o índice espanhol subiu animado com o relato de que os separatistas catalães estariam a tentar encontrar uma forma de protelar uma declaração definitiva de independência.

Isto depois de o Tribunal Constitucional espanhol ter decretado a suspensão da sessão do Parlamento catalão sobre o referendo que estava agendada para a próxima segunda-feira.


Além disso, o governo espanhol estará a ponderar aprovar um decreto que facilite a saída rápida de empresas da Catalunha. Esta possibilidade será debatida hoje em conselho de ministros. Os bancos CaixaBank e Sabadell estudam retirada de sede da Catalunha.

A marcar ainda o dia nos mercados vai estar a divulgação de vários dados económicos, como dados sobre o mercado de trabalho nos EUA. Já esta manhã, foi noticiado que as encomendas à indústria alemã registaram em Agosto a maior subida do ano.

O principal índice grego lidera os ganhos na Europa (+0,72%), seguido pelo britânico Footsie (+0,08%) seguido pelo germânico DAX (+0,07%) e pelo PSI-20 (+0,03). Por outro lado, o índice italiano (-0,63%) e o espanhol (-0,56%). O Stoxx 600, índice de referência, desliza 0,10%.

 

Juros em alta
Os juros da dívida pública portuguesa estão a subir no mercado secundário. A dez anos, o prazo considerado de referência, as obrigações avançam 2,4 pontos base para 2,426%. A tendência altista não ocorre apenas com a dívida nacional. Os juros exigidos pelos investidores para trocarem entre si dívida alemã a dez anos sobem 1,7 pontos base para 0,473%. E os juros espanhóis no mesmo prazo crescem 5,8 pontos base  1,757%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 195,5 pontos. 

Dólar em alta

A moeda norte-americana está próxima de alcançar a quarta semana de ganhos, com a divisa a ser impulsionada pelas perspectivas que a Reserva Federal possa voltar a subir os juros ainda este ano. Por esta altura, o euro perde 0,20% para 1,1688 dólares. Ainda assim, desde o início do ano a moeda da Zona Euro acumula um ganho superior a 11%.

Petróleo próximo da primeira queda semanal num mês

Os preços do petróleo estão próximos de registar a primeira queda semanal desde o início de Setembro, com a matéria-prima a ser pressionada pelo crescimento da produção mundial. Isto numa altura em que a tempestade tropical Nate encaminha-se para a região norte-americana do Golfo, levando petrolíferas a encerrar as suas operações na região. Esta tempestade deve evoluir para furacão amanhã, sábado, 7 de Outubro.

O West Texas Intermediate desce 0,20% para 50,69 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, ganha 0,09% para 57,05 dólares por barril.

Ouro em queda há quatro semanas

Os preços do ouro estão próximos de registar esta semana a quarta de quedas, a pior sequência de perdas deste ano, com a matéria-prima a ser penalizada pelas perspectivas dos investidores que indicam que a Reserva Federal norte-americana pode voltar a subir os juros em 2017. Por esta altura, ainda assim, o ouro ganha 0,03% para 1.268,58 dólares por onça.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
MILENIUM BCP a 0.275 é já na terça feira Há 1 semana

DIA em que os RATINGS do MILENIUM BCP e de PORTUGAL vão voltar a subir e depois serão os JUROS que irão começar a SUBIR isto para já não falar dos LUCROS que já TRIPLICARAM em RELAÇÃO ao 1º TRIMESTRE

pub
pub
pub
pub