Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas sem rumo e euro em alta

Abertura dos mercados: Bolsas sem rumo e euro em alta

As principais bolsas europeias estão a negociar sem uma tendência definida numa altura em que Trump admite terminar com o NAFTA. O euro está a corrigir das perdas recentes e os juros estão em alta ligeira.
Abertura dos mercados: Bolsas sem rumo e euro em alta
Reuters
Ana Laranjeiro 23 de agosto de 2017 às 09:30

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,37% para 5.172,06 pontos

Stoxx 600 cede 0,10% para 375,42 pontos

Nikkei ganhou 0,26% para 19.434,64 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal sobe 1,8 pontos base para 2,795%

Euro valoriza 0,16% para 1,1781 dólares

Petróleo recua 0,44% para 51,64 dólares, em Londres

Bolsas sem tendência

As principais bolsas europeias estão a negociar sem uma tendência definida nesta quarta-feira. Este comportamento tem lugar numa altura em que os investidores aguardam pela divulgação de dados económicos e também esperam pelo arranque da conferência de Jackson Hole. Esta conferência realiza-se nos Estados Unidos e reúne os líderes dos principais bancos centrais mundiais.


Os investidores vão tentar perceber que sinais deixam os bancos centrais sobre a política monetária para as várias economias. Segundo fontes da Reuters, Mario Draghi, do Banco Central Europeu, não deverá transmitir nenhuma mensagem nova sobre a política monetária para a Zona Euro. Ainda antes de Jackson Hole, Mario Draghi vai fazer um discurso na Alemanha.


A marcar o dia nos mercados podem estar ainda as palavras do presidente dos Estados Unidos. Donald Trump ameaçou quase paralisar o governo, caso precise de pressionar o Congresso para obter financiamento para dar início à construção do muro na fronteira entre os EUA e o México. Além disso, Trump admitiu a possibilidade de colocar um ponto final no NAFTA - Acordo de Comércio Livre da América do Norte – que envolve o México e o Canadá.

A liderar as quedas na Europa está o PSI-20, que recua 0,37%, seguido pelo índice francês e grego - ambos com uma desvalorização de 0,14%. Em alta está Londres, Frankfurt e Milão.

 

Juros em alta ligeira

Os juros da dívida pública estão a subir ligeiramente no mercado secundário, acompanhando agora a tendência de fecho da última sessão. A dez anos, o prazo considerado de referência, as "yields" sobem 1,8 pontos base para 2,795%. Um comportamento que tem lugar precisamente numa altura em que os investidores aguardam pelo discurso de Mario Draghi em Jackson Hole.

Os juros da Alemanha no mercado secundário estão a subir, estando a maturidade a dez anos a crescer 0,8 pontos base para 0,408%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 234,0 pontos.

Euro com subida ténue

O euro regista uma subida ligeira face ao dólar (avança 0,16% para 1,1781 dólares), podendo estar assim a corrigir da desvalorização recente contra a moeda norte-americana. O dólar tem estado a crescer, com os investidores a aguardar pelo discurso de Janet Yellen em Jackson Hole. Perceber os próximos passos da autoridade monetária norte-americana é o objectivo dos investidores.

A subida da moeda única surge depois de terem sido publicados dados económicos positivos para a Zona Euro. O índice dos gestores de compras (PMI) da IHS Markit, para medir a evolução do sector industrial na Zona Euro, aumentou em Agosto para 57,4, acima dos 56,6 de Julho e contrariando a estimativa dos economistas, que apontavam para uma queda.

Petróleo no vermelho

Os preços do petróleo estão a cair nos mercados internacionais, depois dos dados da indústria nos Estados Unidos da América, conhecidos ontem, terem indicado uma subida das reservas de gasolina, o que ofuscou a queda das reservas de crude, de acordo com a Bloomberg. Os dados oficiais, da Administração de Informação Energética, são revelados hoje e expectativa é que indiquem uma quebra das reservas da gasolina como de crude.

O West Texas Intermediate desce 0,52% para 47,58 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, cai 0,44% para 51,64 dólares.

Ouro com subida ligeira

O ouro está a registar uma subida ligeira, ganha 0,07% para 1.285,96 dólares por onça. Isto numa altura em que o presidente dos EUA admitiu terminar com o NAFTA e em que os investidores estão à espera da conferência de Jackson Hole.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Enquanto não PRENDEREM os REFERENÇIADOS Há 12 horas

ENQUANTO NÃO PRENDEREM OS REFERENÇIADOS DO COLUIO QUE JÁ VAI EM 20 dias SEGUIDOS acho que o SR NUNO AMADO DEVERIA TOMAR uma GRANDE DECISÃO E MANDAR ENCERRAR AS NEGOCIAÇÕES DO MILENIUM BCP NA CMVM

pub