Mercados num minuto Abertura dos mercados: Europa prolonga pessimismo de Wall Street na penúltima sessão do ano

Abertura dos mercados: Europa prolonga pessimismo de Wall Street na penúltima sessão do ano

As bolsas europeias estão a negociar em queda depois de três sessões consecutivas de ganhos, na última sessão de 2016. Os juros estão a descer e o petróleo segue sem tendência definida nos mercados internacionais.
Abertura dos mercados: Europa prolonga pessimismo de Wall Street na penúltima sessão do ano
Bloomberg
Rita Faria 29 de dezembro de 2016 às 09:26

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,07% para 4.648,60 pontos

Stoxx 600 perde 0,32% para 360,36 pontos

Nikkei desvalorizou 1,32% para 19.145,14 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 2,9 pontos base para 3,742%

Euro ganha 0,29% para 1,0443 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,55% para 56,53 dólares o barril

Bolsas europeias no vermelho

As bolsas europeias estão a negociar em queda esta quinta-feira, 29 de Dezembro, depois de três sessões consecutivas de ganhos, prolongando o pessimismo da sessão em Wall Street e no Japão.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, perde 0,32% para 360,36 pontos, penalizado sobretudo pelas empresas ligadas às matérias-primas, sector automóvel e banca.

No plano nacional, o BCP é a cotada que mais penaliza o PSI-20 com uma descida de 1,35% para 1,026 euros, depois de já ter desvalorizado praticamente 2% e atingido um novo mínimo histórico de 1,02 euros.

Juros descem na Zona Euro

Os juros da dívida pública portuguesa estão em queda em todas as maturidades, acompanhando a tendência que se estende à generalidade dos países do euro. Por cá, a ‘yield’ das obrigações a dez anos cai 2,9 pontos para 3,742%, enquanto em Espanha, no mesmo prazo, o alívio é de 2,3 pontos para 1,319%.

Em Itália, onde o Governo se prepara para ajudar a banca e conter o risco no sector, os juros descem 2,8 pontos para 1,784%. Na Alemanha, a queda é de 2,5 pontos para 0,170%.

Euro com maior valorização numa semana
A moeda única avança em relação ao dólar, e já esteve esta sessão a ganhar 0,5%, o maior ganho intradiário no espaço de uma semana. Cada euro vale 1,0443 dólares, depois de uma apreciação de 0,29%.

A fraqueza da moeda norte-americana (que regista a maior queda em duas semanas em relação às suas pares, medido no índice Bloomberg Dollar Spot) ocorre numa altura em que também o mercado cambial regista um volume de negociações abaixo da média. Nas últimas semanas, a nota verde atingiu o valor mais elevado em mais de uma década, impulsionado pelas perspectivas de aumento da inflação e dos potenciais efeitos do programa de investimentos públicos prometidos pelo Presidente eleito Donald Trump.

Petróleo sem tendência definida após reservas

O petróleo está a negociar sem uma tendência definida, depois de ter sido divulgado ontem pelo Instituto Americano do Petróleo que as reservas de crude nos Estados Unidos aumentaram em 4,2 milhões de barris na semana passada.

Depois de oito sessões consecutivas de ganhos, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, desce 0,02% para 54,05 dólares, enquanto em Londres, o barril de Brent ganha 0,55% para 56,53 dólares.

Ouro sobe pela quarta sessão
O metal precioso está a negociar em alta pela quarta sessão consecutiva, a mais longa série de ganhos desde 4 de Novembro. Esta evolução acontece numa altura em que o dólar norte-americano está em queda, depois das fortes subidas registadas desde a vitória de Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos.

O ouro ganha 0,58% para 1.148,35 dólares por onça, enquanto a prata valoriza 0,81% para 16,1556 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub