Mercados num minuto Abertura dos mercados: Fed anima bolsas mas deprime euro e obrigações

Abertura dos mercados: Fed anima bolsas mas deprime euro e obrigações

As maioria das bolsas europeias está a negociar em alta depois da decisão da Fed de subir os juros. Por outro lado, e depois desta decisão, o euro tocou em mínimos de 20 meses e os juros sobem.
Abertura dos mercados: Fed anima bolsas mas deprime euro e obrigações
Andrew Harrer/Bloomberg
Ana Laranjeiro 15 de dezembro de 2016 às 09:44

Os mercados em números

PSI-20 cede 1,02% para 4.552,51 pontos

Stoxx 600 ganha 0,08% para 356,00pontos

Nikkei valorizou 0,10% para 19.273,79 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 4,9 pontos para 3,824%

Euro recua 0,31% para 1,0503 dólares

Petróleo em Londres soma 0,71% para 54,28 dólares

 

Fed sobe os juros e anima bolsas europeias

A maioria das bolsas europeias está a negociar com sinal mais, depois da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) ter decido subir 25 pontos base na taxa de fundos federais para entre 0,50% e 0,75%, algo que era visto como uma "formalidade" por parte dos investidores. Além disso, a autoridade monetária norte-americana deixou a indicação que pode subir mais três vezes os juros no próximo ano.

No Velho Continente, o francês CAC40 lidera os ganhos ao subir 0,52%, seguido peli principal índice italiano que avança 0,50%. o índice de referência, o Stoxx 600, soma 0,08%.


Por outro lado, o principal índice grego lidera as perdas, caindo 2%, seguido pelo PSI-20 que perde 1,02%. Destaque para as acções da Nos, que recuam 1,59%, para as da Jerónimo Martins, que descem 1,68%, e para as da Galp Energia, que perdem 0,74%.

 

Juros em alta

Os juros da dívida pública de vários países da Zona Euro estão a subir depois da decisão da Fed de subir o custo do dinheiro. A dívida nacional não é excepção. A dez anos, as "yields" avançam 4,9 pontos base para 3,824%. No caso das obrigações italianas negociadas no mercado secundário os juros somam 5,1 pontos base para 1,846%. E as espanholas ganham 5,5 pontos base para 1,456 %. A dívida alemã, considerada muitas vezes como activo de refúgio, cresce 6,4 pontos base para 0,365%. 

Euro em mínimos de 20 meses

Com a decisão da Fed de subir os juros, o dólar tem vindo a registar uma valorização significativa face a outras divisas mundiais como é o caso do euro. Por esta altura, o euro desce 0,31% para 1,0503 dólares. No entanto, nesta sessão a moeda da Zona Euro já negociou nos 1,0468 dólares, o que corresponde ao valor mais baixo desde Março do ano passado.

 

Não é a primeira vez que a divisa da Zona Euro negoceia em mínimos de 20 meses. A 4 de Dezembro, após terem sido conhecidas as sondagens à boca das urnas do referendo às reformas constitucionais em Itália a moeda caiu igualmente para mínimos de Março de 2015.

Petróleo com ganhos ligeiros

O petróleo está a registar uma valorização ligeira nos mercados internacionais numa altura em que os ganhos do dólar têm um efeito de equilíbrio em relação à queda semana das reservas petrolíferas nos Estados Unidos, de acordo com a Bloomberg. Ainda a marcar a negociação da matéria-prima está o facto de a Líbia estar a preparar-se para fazer o primeiro envio de petróleo a partir de um dos seus maiores terminais de exportação em dois anos.


O West Texas Intermediate soma 0,27% para 51,18 dólares. O Brent do Mar do Norte avança 0,71% para 54,28 dólares por barril.


Ouro no vermelho

O ouro está a cair nos mercados internacionais depois da Fed ter decidido subir os juros, uma decisão que não surpreendeu o mercado. Menos esperado foi, talvez, a indicação que no próximo ano a autoridade monetária norte-americana pode subir os juros três vezes. Por esta altura, o ouro para entrega imediata recua 0,43% para 1.137,98 dólares por onça.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 15.12.2016

As bolsas sobem com estimulos da fed, Excepto a portuguesa, porquê?Simples, não vale nada

Anónimo 15.12.2016

uma animação q eu nem sei.

ano passado foi assim: http://www.zerohedge.com/news/2015-12-18/quad-witches-bitches-stocks-crash-opex

pub
pub
pub
pub