Mercados num minuto Abertura dos mercados: Juros da dívida avançam na Europa, bolsas mistas

Abertura dos mercados: Juros da dívida avançam na Europa, bolsas mistas

Está a ser uma manhã tremida para as praças europeias, sendo que Lisboa é a que mais valoriza. Os preços do petróleo recuam, ao contrário dos juros das obrigações europeias, que recuam. O ouro ganha pelo segundo dia.
Abertura dos mercados: Juros da dívida avançam na Europa, bolsas mistas
Reuters
Diogo Cavaleiro 09 de novembro de 2017 às 09:26

Os mercados em números

PSI-20 soma 0,84% para 5.374,78 pontos
Stoxx 600 desliza 0,11% para 394,02 pontos
Nikkei cedeu 0,20% para 22.868,71 pontos
Juros da dívida portuguesa a dez anos avançam 2 pontos base para 2,027%

Euro soma 0,03% para 1,1599 dólares

Petróleo em Londres perde 0,17% para 63,38 dólares por barril

 

Bolsas europeias mistas, mas Lisboa em alta

A bolsa de Lisboa é o grande destaque num dia em que as praças europeias negoceiam mistas. O português PSI-20 avança em torno de 1%, ganhando com a força da Nos, que dispara 5% após divulgação de resultados, e da Galp Energia.

 

O índice geral europeu segue a cair, com praças como Madrid e Paris em queda, contrariando o avanço de Milão. Num dia em que a maior economia do mundo se queixou do comércio desleal da segunda maior economia, os investidores continuam a olhar para os resultados das empresas relativos aos primeiros nove meses do ano. Além disso, esta quinta-feira, é dia de divulgação das previsões económicas para os próximos anos por parte da Comissão Europeia. No Japão, as praças tocaram no valor mais alto em 25 anos, mas fecharam a desvalorizar-se com uma queda de 0,2% após um afundanço repentino superior a 1,5%.

 

Juros sobem na Europa

É sessão de avanços para os juros associados à dívida dos países europeus, o que indica que o preço das obrigações está a cair. Portugal não escapa à tendência, registando também agravamentos das "yields" pedidas pelos investidores para negociar dívida portuguesa no mercado secundário. A taxa está acima dos 2%, depois de ter caído abaixo dessa fasquia à boleia dos estímulos do Banco Central Europeu.

 

Iene ganha contra dólar

A queda das bolsas nipónicas impulsionou a subida do iene, que ganha contra o dólar e as restantes pares mundiais. A Bloomberg refere que foi a procura pelo iene, devido à queda das bolsas do país, que motivou esta subida do câmbio. O iene ganha 0,3% para 113,56 por dólar.

 

Já o euro segue praticamente inalterado, tendo estado a cair 0,01% e a ganhar 0,03%, estando nos níveis mais baixos desde Julho passado.

 

Petróleo recua pelo terceiro dia

Os preços do petróleo estão a recuar pelo terceiro dia consecutivo nos mercados internacionais, sem que haja grandes notícias a motivar a evolução desta quinta-feira. Ainda assim, os preços estão a aliviar das subidas acentuadas que levaram os preços do petróleo para máximos de dois anos.

Na China, Donald Trump voltou a reforçar que é preciso actuar contra a Coreia do Norte, o que trouxe algum receio para o mercado.

A desvalorização do preço do barril é tímida: em Londres, perde 0,17% para 63,38 dólares. Em Nova Iorque, o crude nova-iorquino cede 0,07% para 56,77 dólares por barril.

 

Ouro ganha pelo segundo dia

O ouro está a valorizar-se pela segunda sessão consecutiva. O metal precioso soma 0,19% para 1.283,75 dólares por onça. Os analistas consultados pela Bloomberg têm atribuído esta subida às preocupações relativas à reforma fiscal que a administração Trump quer implementar nos Estados Unidos.