Mercados num minuto Abertura dos mercados: Juros e ouro descem. Petróleo sobe pela quarta sessão

Abertura dos mercados: Juros e ouro descem. Petróleo sobe pela quarta sessão

As bolsas europeias estão em alta ligeira depois de duas sessões de quedas, enquanto o ouro e os juros da dívida recuam. O petróleo valoriza pela quarta sessão consecutiva.
Abertura dos mercados: Juros e ouro descem. Petróleo sobe pela quarta sessão
Bloomberg
Rita Faria 18 de outubro de 2017 às 09:09

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,59% para 5.418,93 pontos

Stoxx 600 ganha 0,06% para 390,66 pontos

Nikkei valorizou 0,13% para 21.363,05 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 0,2 pontos para 2,319%

Euro recua 0,02% para 1,1764 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,67% para 58,27 dólares o barril

 

Bolsas europeias em alta ligeira com foco nos resultados

Os principais índices europeus estão a negociar em alta ligeira esta quarta-feira, 18 de Outubro, depois de duas sessões consecutivas de perdas, numa altura em que os investidores continuam a olhar para os resultados trimestrais das empresas.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx 600, ganha 0,06% para 390,66 pontos, seguindo no verde pela primeira vez esta semana.

 

Em Lisboa, o PSI-20 contraria a tendência, com uma descida de 0,59% para 5.418,93 pontos, penalizado sobretudo pelo BCP e pela Jerónimo Martins. O banco liderado por Nuno Amado cai 1,33% para 25,26 cêntimos enquanto a retalhista desce 0,89% para 15,65 euros. A EDP Renováveis recua 0,33% para 7,042 euros, depois de ter revelado ontem que a sua produção de electricidade aumentou 10% nos primeiros nove meses deste ano.

 

Esta manhã, foi a vez de a EDP apresentar os seus dados operacionais, que mostram que a venda de energia na Península Ibérica caiu. Os títulos reagem negativamente, com uma queda de 0,40% para 2,987 euros.

 

Juros portugueses pouco alterados em dia de leilão

Os juros da dívida portuguesa a dez anos estão a descer 0,2 pontos para 2,319%, no dia em que o IGCP vai regressar ao mercado para um duplo leilão de dívida de curto prazo (3 e 11 meses), uma operação com a qual o Tesouro se pretende financiar entre 1.000 e 1.250 milhões de euros.

Na Europa, as alterações são igualmente ligeiras. Em Espanha, a ‘yield’ associada às obrigações a dez anos cai 0,1 pontos para 1,546% enquanto na Alemanha recua 0,4 pontos para 0,361%.  

Dólar valoriza pela quinta sessão

O índice que mede a evolução do dólar face às principais congéneres mundiais está a valorizar pela quinta sessão consecutiva, impulsionado pela especulação de que John Taylor será o próximo presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos. O economista da Universidade de Stanford tem defendido uma subida mais rápida dos juros no país, uma postura que anima o dólar americano.

O euro cai 0,02% para 1,1764 dólares.

Petróleo animado com descida dos inventários

O petróleo está a negociar em alta pela quarta sessão consecutiva, animado pelos dados do Instituto do Petróleo Americano que mostram que os inventários nos Estados Unidos desceram em 7,13 milhões de barris na semana passada. O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, ganha 0,40% para 52,09 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, sobe 0,67% para 58,27 dólares.

Estes números são revelados antes dos dados oficiais da Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos que, segundo estimativas citadas pela Bloomberg, deverão mostrar que as reservas de crude diminuíram em 3,25 milhões de barris.

Ouro contraria dólar

O metal precioso está em queda, contrariando o dólar norte-americano, penalizado pela especulação de que os juros poderão subir de forma mais acelerada nos Estados Unidos.

Esta quarta-feira será divulgado o Livro Bege da Reserva Federal, o retrato mais recente sobre as actuais condições económicas nos Estados Unidos, depois de a publicação de Setembro ter considerado que a actividade económica estava a crescer a um ritmo "modesto a moderado."

O ouro desce 0,12% para 1.283,63 dólares, enquanto a prata cai 0,14% para 17,0142 dólares. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub