Mercados num minuto Abertura dos mercados: Petróleo em alta com investidores de olhos postos na OPEP

Abertura dos mercados: Petróleo em alta com investidores de olhos postos na OPEP

O encontro de hoje da OPEP está a marcar o dia nos mercados, estando os preços do petróleo em alta, bem como a maioria das praças europeias. Novos desenvolvimentos em torno do Brexit alimentam a libra.
Abertura dos mercados: Petróleo em alta com investidores de olhos postos na OPEP
Bloomberg

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,22% para 5.363,50 pontos

Stoxx 600 avança 0,14% para 388,51pontos

Nikkei valorizou 0,57% para 22.724,96 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal cede 0,6 pontos base para 1,925%

Euro desliza 0,16% para 1,1828 dólares

Petróleo avança 0,76% para 63,59 dólares por barril em Londres

 

Bolsas europeias em alta

Os principais índices bolsistas europeus estão esta manhã sobretudo a negociar em alta, numa altura em que os investidores dão sinais de optimismo em relação ao Brexit. O jornal britânico The Times, citado pela Bloomberg, avança que Londres e Dublin estão próximos de alcançar um acordo que coloque fim ao impasse em torno da fronteira irlandesa. Esta tem sido uma questão, nomeadamente a par da facturação financeira que os britânicos terão de pagar pelo Brexit que tem travado que as negociações avancem para a futura relação comercial entre as partes, um dos temas que o Reino Unido quer ver debatido o quanto antes.

Além disso, está agendado para esta quinta-feira o encontro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP). Em cima da mesa, vai estar a possibilidade do cartel e dos parceiros alargarem os cortes da produção da matéria-prima até ao final do próximo ano.

 
A praça italiana lidera os ganhos na Europa ao avançar 0,80%. É seguida pelo alemão DAX, que sobe 0,47%. Em Lisboa, o PSI-20 cresce 0,22%. E o índice de referência, o Stoxx 600, valoriza 0,14%.

Juros pouco alterados

Os juros da dívida pública portuguesa estão a descer no mercado secundário. A dez anos, as "yields" recuam 0,6 pontos base para 1,925%. Os juros da Alemanha, por sua vez, ganham 2 pontos base para 0,405%. Também em alta, estão os juros da Espanha, que sobem 0,2 pontos base para 1,457%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 152,3 pontos

 

Libra em máximos de dois meses à boleia do Brexit

A notícia avançada pelo The Times e que indica que o um acordo entre britânicos e irlandeses está próximo, resolvendo assim a questão da fronteira da Irlanda do Norte com a República da Irlanda, está a animar a libra, que face ao dólar já tocou em máximos de dois meses.

A libra soma 0,40% para 1,3463 dólares, tendo já negociado esta quinta-feira nos 1,3480 dólares, o valor mais alto desde 26 de Setembro. Face ao euro, a moeda britânica ganha 0,55% para 1,1381 euros, tendo tocado já nos 1,1384 euros, um máximo de 2 de Novembro.

Petróleo avança com acordo para prolongar cortes

O petróleo está a negociar em alta, no dia em que decorre em Viena a reunião da OPEP, que deverá ficar marcada por um acordo entre os membros do cartel e a Rússia para prolongar os cortes na produção da matéria-prima, até ao final do próximo ano.

 

O acordo vigente mantinha os níveis de produção actuais até Março de 2018, mas de acordo com a Bloomberg, já há luz-verde de todos os membros da OPEP e da Rússia para que as quotas de produção fiquem estáveis até Dezembro do próximo ano.

 

O brent em Londres soma 0,76% para 63,59 dólares e o WTI, em Nova Iorque, está a somar 0,38% para 57,52 dólares.  

 

Ouro recua pela terceira sessão com PIB dos EUA em alta

O ouro está a prolongar a tendência de queda das duas últimas duas sessões, estando esta quinta-feira a ser penalizado pela revisão em alta do PIB dos Estados Unidos, que cresceu no terceiro trimestre ao ritmo mais elevado em três anos. O metal precioso está a cair 0,26% para 1.280,25 dólares a onça.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub