Mercados num minuto Abertura dos mercados: Petróleo em queda há cinco semanas deixa bolsas no vermelho

Abertura dos mercados: Petróleo em queda há cinco semanas deixa bolsas no vermelho

A queda do petróleo continua a ser o tema que domina a tendência dos mercados. Apesar da recuperação desta sexta-feira, a matéria-prima recua cerca de 5% na semana.
Abertura dos mercados: Petróleo em queda há cinco semanas deixa bolsas no vermelho
Bloomberg
Nuno Carregueiro 23 de junho de 2017 às 09:15

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,26% para 5.231,17 pontos

Stoxx 600 perde 0,08% para 388,22 pontos

Nikkei valorizou 0,11% para 20.132,67 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos estáveis nos 2,95%

Euro avança 0,2% para 1,1174 dólares

Petróleo em Londres avança 0,04% para 45,24 dólares o barril

 

Bolsas recuam pela quarta sessão 

As bolsas europeias estão a desvalorizar pela quarta sessão consecutiva, numa semana que está a ser marcada pela perda de valor das cotações do petróleo, que têm condicionado a evolução das cotadas do sector energético.

 

O Stoxx cede menos de 0,1%, com os investidores também a aproveitarem os máximos obtidos nas últimas semanas para acumularem mais-valias, numa altura em que o foco está também na direcção dos juros dos Estados Unidos, sendo que as últimas declarações dos responsáveis da Fed não alteraram a expectativa de mais um agravamento do preço do dinheiro até ao final do ano.

 

Em Lisboa o PSI-20 acompanha a tendência de queda das praças europeias, com o índice a ser pressionado sobretudo pela Galp Energia, que cede 0,57% para 13,03 euros. O BCP recupera 0,42% para 23,75 cêntimos, depois da Fosun, que é o maior accionista do banco português, também ter recuperado na bolsa em Hong Kong.   

Juros portugueses estáveis abaixo dos 3% 

Os juros da dívida portuguesa seguem pouco alterados na abertura da sessão, em linha com o comportamento das últimas sessões, no dia em que o INE vai revelar o valor do défice orçamental do primeiro trimestre. A "yield" dos títulos a 10 anos segue nos 2,95%, com o "spread" face à dívida alemã a situar-se nos 270 pontos base.

 

Libra sobe no aniversário do Brexit 

A moeda britânica está a negociar em alta naquela que é a sessão em que se assinala o primeiro aniversário do referendo que ditou a saída do Reino Unido da União Europeia. A libra avança 0,4% para 1,2731 dólares, uma subida ainda assim insuficiente para travar uma nova queda semanal. O euro está a recuperar das quedas do início da semana face ao dólar, com um ganho de 0,2% para 1,1174 dólares, já que os investidores estão agora a atribuir uma menor probabilidade de duas subidas de juros nos Estados Unidos. Esta expectativa, corrigida depois de declarações de responsáveis da Fed, deu força ao dólar no início da semana.

 

Petróleo recua pela quinta semana 

O petróleo até está a recuperar ligeiramente no arranque da sessão de sexta-feira, mas a subida é insuficiente para travar a queda na semana, que será já a quinta consecutiva de descidas para a matéria-prima.

 

O Brent em Londres valoriza 0,04% para 45,24 dólares, sendo que nas últimas cinco sessões acumula uma queda de 5%. A matéria-prima atingiu mínimos de sete meses nos últimos dias, perante os sinais mais fortes de aumento da oferta que mantém o mercado em desequilíbrio apesar dos cortes de produção da OPEP.

 

Ouro recupera de mínimos 

A última sessão da semana está também a ser de recuperação para o ouro, que valoriza pela terceira sessão consecutiva, afastando-se dos mínimos de cinco semanas que atingiu no início da semana.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado SÍTIO MUITO MANHOSO 23.06.2017


... este seria um dos factores que poderia fazer subir o rendimento dos portugueses , honrando-se a palavra dada e também os custos das empresas , animando a economia.
Mas que fazem ? Nada...continuam a esmifrar tudo e todos !

... e não venham com as balelas ou bitaites do costume, pois já não conseguem enganar mais ninguém quanto á não existência de cartel ... basta ir ver as informações nos painéis das auto-estradas . . . TUDO AO MESMO PREÇO ! ! !

UMA VERGONHA !

comentários mais recentes
ESPECULADORES MALICIOSOS 23.06.2017

VOÇÊS SÃO ESPECULADORES MALICIOSOS 5% nãso são 10 % então e hoje não está logo na 1ª noticia e em letras GIGANTES que subiu 15 % PORQUÊ hoje já NÃO VOS INTERESSA FALAR DA FOSUN ok como eu VOS COMPREENDO

SÍTIO MUITO MANHOSO 23.06.2017


... este seria um dos factores que poderia fazer subir o rendimento dos portugueses , honrando-se a palavra dada e também os custos das empresas , animando a economia.
Mas que fazem ? Nada...continuam a esmifrar tudo e todos !

... e não venham com as balelas ou bitaites do costume, pois já não conseguem enganar mais ninguém quanto á não existência de cartel ... basta ir ver as informações nos painéis das auto-estradas . . . TUDO AO MESMO PREÇO ! ! !

UMA VERGONHA !

METE A GLINT NO TEU CU 23.06.2017

Mais claro é impossivel!

GLINTT 23.06.2017

A GLINTT corrigiu 13% nos últimos tempos, motivado por mãos fracas e impacientes, mas não por "VENDAS A DESCOBERTO", tem poucas acções no mercado para essas jogadas, portanto vão uns e vem outros com dinheiro.

ver mais comentários
pub