Mercados num minuto Abertura dos mercados: Petróleo prossegue recuperação e ouro aproxima-se de máximo de três semanas

Abertura dos mercados: Petróleo prossegue recuperação e ouro aproxima-se de máximo de três semanas

As bolsas europeias estão a valorizar, com os investidores a aplaudirem os resultados das empresas. O petróleo está novamente em alta, tal como ouro, próximo do valor mais alto em três semanas. Os juros seguem com subidas ligeiras.
Abertura dos mercados: Petróleo prossegue recuperação e ouro aproxima-se de máximo de três semanas

Os mercados em números

PSI-20 sobre 1,80% para os 5.518,03 pontos

Stoxx 600 ganha 0,64% para 376,94 pontos

Nikkei valorizou 1,47% para 21.464,98 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 0,8 pontos base para 2,087%

Euro soma 0,35% para 1,2494 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,57% para 64,73 dólares o barril

 

Bolsas europeias em alta

As principais praças europeias estão a negociar em alta, numa altura em que os investidores deixam para trás a subida da inflação nos EUA e se focam nos resultados das empresas do Velho Continente.

O Stoxx 600, índice de referência, avança 0,64% para 376,94 pontos. Entre as cotadas europeias destaque para a Airbus, que dispara 9,01% para 91,75 euros, depois de ter apresentado lucros acima do estimado pelos analistas.

Nota também para as acções da L’Oreal, que deslizam 0,54% para 174,35 euros, e as da Nestlé, que recuam 2,15% para 75,66 francos suíços. Este comportamento tem lugar depois de ter sido noticiado que a Nestlé não pretende aumentar a sua participação na empresa de cosméticos L’Oreal, isto depois de na semana passada ter sido noticiado que a empresa francesa estava pronta para comprar a participação de 23% da Nestlé.

Entre as principais praças europeias, o português PSI-20 ganha 1,80%, impulsionado nomeadamente pelos ganhos do BCP – dispara 6,17% para 32,36 cêntimos – e Galp Energia – que avança 1,41% para 14,735 euros.

O francês CAC40 sobe 1,27%, o espanhol IBEX 35 avança 1,13% e o germânico DAX sobe 0,63%.

 

Juros em alta ligeira na Europa

Os juros da dívida portuguesa estão em alta ligeira, depois de terem aliviado quase 6 pontos base no prazo a dez anos, na sequência do leilão de dívida de longo prazo, em que o Tesouro pagou uma taxa ligeiramente superior para se financiar a dez anos, mas a procura se manteve robusta.

 

Nesta altura, a yield associada às obrigações a dez anos sobe 0,8 pontos base para 2,087%, acompanhando a tendência da generalidade dos países do euro. Em Espanha, os juros agravam-se em 1,9 pontos para 1,533% e em Itália sobem 2,2 pontos para 2,087%, precisamente a mesma taxa que está a ser exigida pelos investidores para comprarem títulos de Portugal. Na Alemanha, a subida é de 2,5 pontos para 0,782%.

 

Libra sobe pela quarta sessão

A libra está a subir pela quarta sessão face ao dólar, depois de o Politico ter noticiado que a União Europeia poderá aliviar as condições de transição do Brexit. A moeda do Reino Unido valoriza 0,34% para 1,4046 dólares.

 

Também o euro está em alta face à moeda norte-americana, negociando próximo de 1,25 dólares.  

 

Petróleo animado com subida das reservas inferior ao esperado

O petróleo está a negociar em alta nos mercados internacionais pela segunda sessão consecutiva, animado pela subida inferior ao esperado das reservas de crude norte-americanas.

 

Ontem, a Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos revelou que as reservas aumentaram em 1,84 milhões de barris na semana passada para um total de 422 milhões, quando os analistas antecipavam uma subida de 3,1 milhões.

 

Nesta altura, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, ganha 1,09% para 61,26 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, valoriza 0,57% para 64,73 dólares.

 

Ouro próximo de máximos de três semanas

O metal amarelo está a valorizar pela quarta sessão consecutiva, em contraciclo com o dólar norte-americano, beneficiando dos receios dos investidores em torno do défice orçamental e de conta corrente dos Estados Unidos, numa altura em que o mercado continua a avaliar o impacto da subida da inflação e dos dados decepcionantes sobre as vendas a retalho.

 

O ouro ganha 0,33% para 1.355,14 dólares, enquanto a prata valoriza 0,60% para 16,9603 dólares.  

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub