Mercados num minuto Abertura dos mercados: Resultados animam Europa. Petróleo e euro também seguem em alta

Abertura dos mercados: Resultados animam Europa. Petróleo e euro também seguem em alta

As bolsas europeias estão a negociar em alta animadas pelos resultados das empresas referentes ao último trimestre. O petróleo também valoriza, tal como o ouro, que segue próximo do valor mais alto desde Novembro.
Abertura dos mercados: Resultados animam Europa. Petróleo e euro também seguem em alta

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,56% para 4.534,80 pontos

Stoxx 600 sobe 0,15% para 364,48 pontos

Nikkei desvalorizou 0,53% para 18.907,67 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos recuam 1,7 pontos base para 4,098%

Euro ganha 0,02% para 1,0700 dólares

Petróleo sobe 0,76% para 55,54 dólares por barril

Bolsas europeias sobem à boleia dos resultados

As bolsas europeias seguem em alta, animadas pelos resultados de cotadas apresentados esta quinta-feira. O Société Générale é o grande destaque, com as acções a subirem 2,40% para 43,755 euros, depois de ter o banco revelado que fechou o quarto trimestre com um lucro de 390 milhões de euros. Este valor corresponde a uma queda de 41% face a 2015, mas superou as estimativas dos analistas que apontavam par um resultado de 315 milhões de euros. O Stoxx600 sobe 0,15% para 364,48 pontos.

 

O PSI-20 contraria a tendência, descendo 0,56%, a reflectir as quedas do sector da banca. O BCP perde 6,85% para 0,136 euros, no dia em que se estreiam as novas acções do aumento de capital. Já o BPI afunda 10,48% para 0,94 euros, tendo chegado a deslizar mais de 19%, a reflectir os resultados da OPA do CaixaBank, um dia antes de sair do PSI-20. 

Juros aliviam
As taxas de juro implícitas na dívida portuguesa estão a descer, continuando a aliviar das subidas recentes. A "yield" a 10 anos está a recuar 1,7 pontos base para 4,098%. Este comportamento está a ser observado na generalidade dos países, com os juros de Espanha, Itália e França a recuarem, a aliviarem das subidas recentes, provocadas pelos receios em torno da incerteza política, com especial enfoque em Paris, cujas eleições presidenciais decorrem em Abril e Maio. A excepção é a Alemanha, cuja bund a 10 anos está a subir 1,4 pontos base para 0,310%. Este comportamento leva a que o prémio de risco da dívida portuguesa recue para 388 pontos base. 

 

Dólar desce pela primeira vez em sete sessões

O índice que mede o desempenho do dólar face às principais congéneres mundiais está a descer, corrigindo de seis sessões consecutivas de subidas, em que a moeda norte-americana foi impulsionada pela expectativa de um aumento mais rápido dos juros nos Estados Unidos.

O euro, por seu lado, está a valorizar pela segunda sessão face à divisa dos Estados Unidos. A moeda única europeia ganha 0,02% para 1,0700 dólares, numa altura em que se mantêm os receios em torno da incerteza política na Europa, sobretudo em França, onde se realizam eleições presidenciais em Abril e Maio.

Crude em Nova Iorque acima dos 60 dólares

O petróleo está a negociar em alta nos mercados internacionais, depois de o Goldman Sachs ter defendido que o aumento das reservas de crude dos Estados Unidos não altera as suas perspectivas de que o mercado global vai anular o excedente na oferta na primeira metade deste ano devido aos cortes na produção da OPEP.

O West Texas Intermediate, negociado em Nova Iorque, sobe 0,75% para 52,73 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, valoriza 0,76% para 55,54 dólares.

A Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos revelou, na quarta-feira, que as reservas de crude norte-americanas aumentaram em 13,8 milhões de barris na semana passada, a segunda maior subida desde que há registos.

Ouro próximo de máximos de Novembro
O ouro está a subir 0,03% para 1.241,90 dólares por onça, um valor próximo de máximos de Novembro de 2016, numa altura em que os receios relacionados com a situação política na Europa, especialmente em França, e o impacto das políticas de Donald Trump, continuam a motivar a procura por este activo de refúgio. O ouro valorizou em cinco das últimas seis sessões. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Vai dar muita azia 09.02.2017

Há títulos a cair porque o pessoal vende a perder para comprar BCP e nesta voltar a perder, mas como é titulo da moda, não há nada a fazer. É muita acção e muita gente, não pode dar para todos porque a maioria quer lucros imediatos mas não é possível. Só lucra quem aguentar 2 anos.

Anónimo 09.02.2017

Sonae, o triste caminho da falência ! E o pior é que já não vou a tempo de fugir...

Luis 09.02.2017

Já viu a sua fatura de gás natural de Janeiro? Sabia que não tem de pagar a taxa ocupação de subsolo!? Nº3 do artº 85 da Lei 42/2016. RECLAME, chega de roubo...

pub
pub
pub
pub