Mercados num minuto Abertura dos mercados: Resultados deixam bolsas no vermelho. Petróleo segue próximo de máximos

Abertura dos mercados: Resultados deixam bolsas no vermelho. Petróleo segue próximo de máximos

As bolsas europeias estão a ser penalizadas sobretudo pelo sector da tecnologia, depois dos resultados decepcionantes da Amazon. O petróleo está pouco alterado mas próximo de máximos do final de Maio.
Abertura dos mercados: Resultados deixam bolsas no vermelho. Petróleo segue próximo de máximos
Reuters
Rita Faria 28 de julho de 2017 às 09:25

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,89% para 5.203,94 pontos

Stoxx 600 perde 0,84% para 379,11 pontos

Nikkei desvalorizou 0,60% para 19.959,84 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 0,6 pontos para 2,961%

Euro ganha 0,19% para 1,1698 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,06% para 51,52 dólares o barril

Bolsas europeias no vermelho

As bolsas europeias estão a negociar em queda esta sexta-feira, 28 de Julho, penalizadas sobretudo pelo sector automóvel e da tecnologia, depois de a Amazon ter apresentado uma descida dos lucros e um aumento dos custos.

Nesta última sessão da semana, os investidores vão continuar a olhar para as contas trimestrais das empresas, o que poderá condicionar a evolução das acções. O índice de referência para a Europa, o Stoxx 600 perde 0,84% para 379,11 pontos.


Em Lisboa, o PSI-20 desce 0,89% para 5.203,94 pontos, com apenas duas cotadas em alta: a Novabase e a Ibersol. A REN é a que mais penaliza, com uma descida de 2,85% para 2,695 euros. A empresa liderada por Rodrigo Costa revelou que os seus lucros aumentaram 30% no primeiro semestre para 53 milhões de euros.

Juros pouco alterados na Europa

Os juros da dívida pública portuguesa estão em alta ligeira, numa sessão em que as variações são ligeiras na generalidade dos países da Zona Euro. A ‘yield’ associada às obrigações a dez anos sobe 0,6 pontos para 2,961%. Em Espanha, no mesmo prazo, os juros descem 0,6 pontos para 1,501% e na Alemanha descem 0,7 pontos para 0,529%.

Franco suíço cai pela quarta sessão

O franco suíço está a descer face ao euro pela quarta sessão consecutiva, devido à maior propensão ao risco dos investidores, que os afasta de moedas com características de refúgio, e a expectativa de que o banco central suíço continue com uma política monetária expansionista.

O franco desce 0,61% para 0,8821 euros, depois de já ontem ter perdido praticamente 1%.

Petróleo pouco alterado próximo de máximos de Maio

O petróleo está pouco alterado nos mercados internacionais, a negociar próximo de máximos do final de Maio. A matéria-prima deverá completar esta sexta-feira a maior valorização semanal em um mês, devido à queda das reservas norte-americanas e aos sinais de aumento da procura.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, desce 0,02% para 49,03 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, ganha 0,06% para 51,52 dólares.

Ouro a caminho de sexto mês de ganhos em Setembro

O metal precioso está a caminho de completar o sexto mês de ganhos em sete, depois de a Reserva Federal norte-americana ter sinalizado que a taxa de inflação continua persistentemente abaixo da meta, o que poderá travar o processo de normalização dos juros nos Estados Unidos, beneficiando o ouro.

Nesta altura, o ouro ganha 0,03% para 1.259,47 dólares por onça e a prata sobe 0,02% para 16,5837 dólares. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub